Chamada para Dossiê Temático (2018) - Atores e desafios na produção do espaço urbano: segregação, espoliação e vulnerabilidade social

Chamada para submissão de trabalhos para Dossiê Temático (2018):

Atores e desafios na produção do espaço urbano: segregação, espoliação e vulnerabilidade social

O dossiê temático “Atores e desafios na produção do espaço urbano: segregação, espoliação e vulnerabilidade social” tem por objetivo reunir trabalhos que avaliem, sob diversas interpretações teóricas e metodológicas, a esfera pública a partir da conceituação da teoria democrática como uma necessidade de se abordar a questão da governança urbana. A reflexão sobre os conceitos de cidadania, direto à cidade e justiça socioespacial, apontam para a identificação de movimentos democratizantes dos processos decisórios com a participação de múltiplos atores sociais. Portanto é o resultado de anos de lutas por pautas específicas (pessoas sem teto, processos de gentrificação e desalojamento, criminalização dos pobres e dos diferentes). A classe revolucionária urbana é formada por trabalhadores urbanos, uma tipologia social distinta da tradicional classe operária, pois é fragmentada e dividida, múltipla em suas aspirações e relação social ou modo de produção, conforme aponta Harvey (2014). Dessarte, em virtude desse conjunto de especificidades, Harvey (2014) denominou como “precariado” - em substituição ao conceito de proletariado tradicional - os grupos insurgentes que poderão promover a revolução urbana. Assim, objetivamos produzir reflexões sobre o desenvolvimento de projetos de renovação urbana que fizeram emergir conflitos e dinâmicas que apontam para uma crise do urbanismo nas últimas décadas do século XX. As relações entre o desenho e formas urbanas na consolidação dos subúrbios, das periferias proletárias [ou precariadas] e da especulação fundiária no Brasil e no mundo, são temas que apontam para a compreensão dos limites das capacidades estatais, dentro das suas dimensões política e relacional, de ofertar políticas públicas, além das relações federativas e dos processos de interação entre burocracias executoras e órgãos que exercem accountability horizontal.

No caso brasileiro, o processo de redemocratização engendrado pela Constituição de 1988 adicionou graus diferentes de complexidade ao campo de atuação do Estado. O dossiê terá como foco abordagens que abarquem a aplicação do conceito de capacidades estatais do ponto de vista teórico e empírico – na produção de projetos, ações e políticas públicas sociais -, que revelem os fenômenos segregação, espoliação e vulnerabilidade urbana. Também serão bem-vindos estudos comparativos entre políticas públicas, períodos históricos e entre países ou regiões que apontem processos de espoliação e segregação de grupos sociais na malha urbana. Os referenciais teóricos que servirão para os estudos deverão dialogar com os campos da Antropologia (especialmente na sua variável urbana), Ciência Política e Sociologia.

Prazo para submissão:

Serão aceitos trabalhos enviados de 30/09/2018 até 25/11/2018

Divulgação do resultado:

A divulgação do resultado será realizada no dia 30/11/2018

Forma de envio:

Link para submissão: https://periodicos.fclar.unesp.br/redd/about/submissions#onlineSubmissions ou através do 
e-mail: redd.dialogo@gmail.com 

Observação: A Revista busca não repetir temas em suas publicações, por isso solicitamos consultar nosso periódico para verificação dos temas publicados nos últimos dois anos.