Estudo de caso de “mercado auto-regulado”: normas voluntárias e qualidade dos produtos da agricultura orgânica

Marie-France Garcia Parpet

Resumo


O objetivo desse artigo é examinar a regulação dos mercados por normas voluntárias e de observar como a lógica mercantil é introduzida no âmago das relações que ela pretende regular, a partir do espaço da certificação dos produtos orgânicos aos quais se atribui um selo de qualidade. O texto constitui uma exemplificação da regressão da regulação realizada pelo Estado das regras de produção, em prol de um aumento da fixação de padrões de qualidade por entidades privadas que, com frequência, exercem suas atividades para além das fronteiras nacionais.

Palavras-chave


Regulação econômica; Neoliberalismo; Certificação; Produtos orgânicos; Sociologia dos mercados;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32760/1984-1736/REDD/2012.v4i2.5177

Direitos autorais 2012 REDD – Revista Espaço de Diálogo e Desconexão

 

 

 

E-ISSN: 1984-1736

UNESP - Universidade Estadual Paulista / Araraquara
GT Trabalho e Trabalhadores Departamento Sociologia Rod. Araraquara - Jaú Km1 Bairro dos Machados Caixa Postal 174 CEP: 14.800-901 Araraquara - SP