O “lugar” do liberalismo no Brasil do século XIX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29373/sas.v10i00.15186

Palavras-chave:

Liberalismo, Filosofia política, Liberdades, Século XIX

Resumo

O “lugar” do liberalismo no Brasil do século XIX é alvo de grandes debates na filosofia política (RICUPERO, 2007). Assim, temos como objetivo mapear esse debate e fornecer uma síntese dessas posições. Para isso, faremos, primeiro, um retorno ao contexto de surgimento do liberalismo na Inglaterra e, posteriormente, avançaremos para seus princípios filosóficos em John Locke. Em seguida, demonstraremos como esses princípios filosóficos foram interpretados no Brasil em três posições: primeiro como “ideia fora do lugar” (SCHWARZ, 2000; NOGUEIRA, 1976), segundo como “uma ideia tende a encontrar seu lugar” (COUTINHO, 2000) e terceiro como uma “ideia que está em seu devido lugar” (FRANCO, 1976; BOSI, 2010).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Flôres Vasques, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Referências

BOSI, A. O Pano de Fundo Ideológico: O liberalismo excludente. In: Ideologia e contraideologia: temas e variações. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

CARVALHO, M. As ideias estão no lugar. Cadernos de Debate, v. 1, p. 61-64, 1976.

COUTINHO, C. Cultura e Sociedade no Brasil: ensaio sobre idéias e formas. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

COUTINHO, C. N. A democracia como valor universal: notas sobre a questão democrática no Brasil. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1980.

DAGLIONE, V. A evolução política-econômica das Américas: do liberalismo como movimento de libertação política nacional ao mercantilismo como movimento de afirmação econômico-nacional. Revista de História, v. 23, n. 46, 1961.

FAORO, R. Existe um pensamento político brasileiro? Estudos Avançados, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 9-58, 1987.

LOCKE, J. Segundo tratado sobre o governo civil: ensaio sobre a origem, os limites e os fins verdadeiros do governo civil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

LUKÁCS, G. El Asalto a la razón: la trayectoria del irracionalismo desde Schelling hasta Hitler. Barcelona-México: Ediciones Grijalbo, 1972.

NOGUEIRA, M. As desventuras do liberalismo: Joaquim Nabuco, a Monarquia e a República. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1984.

NOGUEIRA, M. Socialismo e democracia no marxismo de Carlos Nelson Coutinho. Lua Nova, São Paulo, n. 88, 2013

RICUPERO, B. Da formação à forma: ainda as “ideias fora do lugar”. Lua Nova, São Paulo, n. 73, p. 59-69, 2008.

SCHWARZ, R. Ao vencedor as batatas. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 2000.

SCHWARZ, R. Martinha versus Lucrécia: ensaios e entrevistas. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

VARNAGHY, T. O pensamento político de John Locke e o surgimento do liberalismo. Buenos Aires; São Paulo: CLACSO/USP, 2006.

WEFFORT, F. Os clássicos da política. São Paulo: Editora Ática, 2001.

Publicado

30/06/2021

Como Citar

VASQUES, L. F. O “lugar” do liberalismo no Brasil do século XIX. Revista Sem Aspas , [S. l.], v. 10, n. 00, p. e021010, 2021. DOI: 10.29373/sas.v10i00.15186. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/15186. Acesso em: 19 set. 2021.