A inserção da participação social brasileira no debate das teorias democráticas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29373/sas.v12i00.17738

Palavras-chave:

Teorias democráticas, Participação social, Democracia, Políticas públicas

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo explorar as interseções existentes entre as teorias democráticas e a participação social no contexto brasileiro. As teorias democráticas representam uma área crucial da Ciência Política e discutem como o conceito de democracia é compreendido por diferentes autores. Por sua vez, a participação social é outra área importante da Ciência Política e um princípio fundamental inerente à democracia, constituindo-se em um exercício essencial para estabelecer uma maior proximidade entre o Estado e a sociedade e viabilizar a implementação de políticas públicas. Através de uma revisão bibliográfica de autores referenciados nas teorias da democracia e na participação social, o artigo tem como propósito apresentar e analisar os conceitos-chave que aproximam essas duas áreas, considerando os pressupostos metodológicos da Ciência Política e da pesquisa em políticas públicas. A investigação realizada revela uma aproximação conceitual e metodológica que pode ser estabelecida entre as duas áreas no contexto brasileiro, uma vez que essas teorias convergem ao serem aplicadas em uma análise abrangente das condições que permitem a participação ativa da população na construção do sistema político.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Vasconcelos, Universidade Estadual Paulista

Graduanda em Ciências Sociais.

Referências

CAMPS, V. Os limites da participação. In: Paradoxos do individualismo. Lisboa: Relógio d’Água Editores, 1996.

CONSTANT, B. Da liberdade dos antigos comparada à dos modernos. In: MONTEIRO, J. P. Filosofia Política 2. Porto Alegre: L&PM Editores (UNICAMP/UFRGS – com apoio do CNPQ), 1985.

CORTES, S. V. As diferentes instituições participativas existentes nos municípios brasileiros. In: PIRES, R. R. C. Efetividade das Instituições Participativas no Brasil: estratégias de avaliação. Brasília, DF: Ipea, 2011.

FINLEY, M. I. Líderes e liderados. In: FINLEY, M. I. Democracia antiga e moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FONSECA et al. A Trajetória da Participação Social no Governo Federal: uma leitura a partir da produção bibliográfica do Ipea (2010-2020). Ipea: Boletim de Análise Político Institucional, [S. l.], n. 29, 2021. DOI: 10.38116/bapi29art9. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/boletim_analise_politico/214043_BAPI_29_Artigo_9.pdf. Acesso em: 25 jan. 2023.

MARQUES, E. As políticas públicas na Ciência Política. In: MARQUES, E.; FARIA, C. A. P. A Política Pública como campo multidisciplinar. São Paulo: Editora Unesp; Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2013.

PATEMAN, C. Participação e teoria democrática. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

ROMÃO, W.; BEZERRA, C.; RODRIGUES, M. O desmonte da participação social. A Terra é redonda, 2021. Disponível em: https://aterraeredonda.com.br/o-desmonte-da-participacao-social/. Acesso em: 25 jan.2023.

Publicado

07/08/2023

Como Citar

VASCONCELOS, M. A inserção da participação social brasileira no debate das teorias democráticas. Revista Sem Aspas , Araraquara, v. 12, n. 00, p. e023003, 2023. DOI: 10.29373/sas.v12i00.17738. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17738. Acesso em: 19 jun. 2024.