Avaliação do índice de massa corporal e risco cardiovascular em crianças e adolescentes de uma escola particular na cidade de Marília, SP

Autores

  • Juliana Bassalobre Carvalho Borges UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências – Departamento de Educação Especial. Marília – SP – Brasil.
  • Juliana Corage Figueiredo Fisioterapeuta. Egressa da UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências – Departamento de Psicologia da Educação. Marília – SP – Brasil.
  • Márcia Bassalobre Ribeiro de Carvalho Médica Residente. Cardiologia da Santa Casa de Misericórdia de Marília. Marília – SP – Brasil.
  • Sebastião Marcos Ribeiro de Carvalho UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências – Departamento de Psicologia da Educação. Marília – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v6i0.9516

Palavras-chave:

Crianças, Escolares, Índice de massa corporal, Obesidade, Risco cardiovascular,

Resumo

Objetivo: Avaliar o IMC e risco cardiovascular em crianças e adolescentes de uma escola particular da cidade de Marília/SP. Métodos: Foram avaliados 124 alunos (62 feminino e 62 masculino) com idade entre 4 e 18 anos. Realizado exame físico (antropometria), para classificação do IMC utilizou-se os pontos de corte definidos por Cole et al. (2000) e pela Associação para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO, 1998). Realizada análise estatística pelo teste qui-quadrado. Resultados: Encontrou-se prevalência de 28,8% de sobrepeso/RCV baixo, sendo maior no sexo feminino (19,3%) do que no masculino (10,5%) e 11,3% de obesidade/RCV moderado. Houve associação significante entre sobrepeso/RCV baixo com sexo feminino na amostra total (p=0,019) e na idade de 9 anos (p=0,044) e de obesidade/RCV moderado com sexo masculino (p=0,019) na amostra total. Conclusão: A prevalência de sobrepeso e obesidade na escola estudada é maior que a encontrada para essa faixa etária na população brasileira; os escolares do sexo feminino apresentam maior freqüência de sobrepeso e risco baixo, principalmente na idade de 9 anos e, os do gênero masculino maior freqüência de obesidade e risco moderado. Esses achados apontam para importância da atuação preventiva sobre obesidade e fatores de risco em crianças e adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

09/03/2017

Como Citar

BORGES, J. B. C.; FIGUEIREDO, J. C.; CARVALHO, M. B. R. de; CARVALHO, S. M. R. de. Avaliação do índice de massa corporal e risco cardiovascular em crianças e adolescentes de uma escola particular na cidade de Marília, SP. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 6, 2017. DOI: 10.26673/tes.v6i0.9516. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/9516. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação