Desconfiança da urna eletrônica nas eleições municipais de São Paulo de 2020

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52780/res.v28i00.17379

Palavras-chave:

Urnas, Eleições Municipais, Desinformação, Conservadorismo-progressismo

Resumo

O Brasil conta com poucas pesquisas sobre recepção de desinformação. Acreditamos que compreender os efeitos produzidos por esse tipo narrativo traz uma contribuição que amplia a compreensão da complexidade desse fenômeno. Nesse sentido, a pesquisa realizada durante as eleições municipais de São Paulo de 2020 teve como objetivo analisar as fontes de informação consultadas pelos eleitores e verificar como se posicionavam em relação à desinformação. Para a realização do estudo foram adotadas duas técnicas de pesquisa: grupo de discussão e entrevista em profundidade. A metodologia de grupo de discussão é das mais adequadas por permitir que se compreenda as atitudes e comportamentos de grupos inseridos em uma dada realidade social. As entrevistas em profundidade permitem a conversação com pessoas que podem oferecer informações relevantes para o objetivo da pesquisa. Foram utilizados roteiro de entrevista semiestruturada e selecionados dois perfis ideológicos, progressista e conservador, subdivididos por idade e classificação socioeconômica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosemary Segurado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Pós-doutora em Comunicação Política pela Universidad Rey Juan Carlos de Madrid. Pesquisadora do Núcleo de Artes, Mídia e Política (NEAMP-PUCSP). Profa. Dra. do Programa de Estudos Pós-graduandos em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica da São Paulo e da Fundação Escola de Sociologia e Política (FESPSP).

Fabricio Amorim, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Jornalista. Mestre e Doutorando em Ciências Sociais pela PUC/SP. Pesquisador do Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política (NEAMP-PUSP). Editor assistente na Revista Aurora.

Carlos Raíces, Pontíficia Universidade Católica de São Paulo

Jornalista. Mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e pesquisador do Núcleo de Artes, Mídia e Política (NEAMP-PUCSP).

Referências

ALLCOTT, H.; GENTZKOW, M. Social media and fake news in the 2016 election. Journal of Economic Perspectives, [S. l.], v. 31, n. 2, p. 211-236, 2017.

ALVES, A. R. C., O conceito de hegemonia: de Gramsci a Laclau e Mouffe. Lua Nova, São Paulo, v. 80, p. 71-96, 2010.

AVRITZER, L. Política e antipolítica: A crise do governo Bolsonaro. São Paulo: Todavia, 2020.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

BRUNO, F.; ROQUE, T A ponta de um iceberg de desconfiança. In: BARBOSA, M. (org). Pós-verdade, fake news reflexões sobre a guerra das narrativas. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

BOUNEGRU, L.; GRAY, J.; VENTURINI, T.; MAURI, M. A Field Guide to Fake news. Public Data Lab, [S. l.], 2017. Disponível em: http://fakenews.publicdatalab.org/. Acesso em: 12 ago. 2020.

BORGES, A.; VIDIGAL, R. Do lulismo ao antipetismo? Polarização, partidarismo e voto nas eleições presidenciais brasileiras, Opinião Pública, [S. l.], v. 24, n. 1, Jan.-Apr. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-0191201824153.

CHAUI, M. O que é ideologia? São Paulo: Brasiliense, 2008.

CHINO, L. B. S; COIMBRA, R. C. M, A segurança do voto no Brasil. In: Cadernos Adenauer XIX, no. I, Eleições 2018 e perspectivas para o novo governo, Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer, abril 2019.

COUTO, C. G. “Novas eleições críticas?”. Em Debate, [S. l.], v. 6, p. 17-24, 2014.

CONCEIÇÃO, D. L.; SEGURADO, R. Fact-checking: uma análise da checagem de informação política do projeto Truco! Estudos de Sociologia, [S. l.], v. 25 n. 48, 2020.

DALMAZO, C.; VALENTE, J. Fake news nas redes sociais online: propagação e reações à desinformação em busca de cliques. Media & Jornalismo, [S. l.], v. 18, n. 32, p. 155-169, 2018. Disponível em: https://impactum-journals.uc.pt/mj/article/view/5682. Acesso em: 20 ago. 2021.

DOURADO, T.; ALMEIDA, S.; PIAIA, V.; CARVALHO, D., “Redes Digitais de Conspiração Eleitoral no Brasil: um estudo do fluxo interplataforma de atores e discursos sobre fraude nas urnas eletrônicas e manipulação eleitoral”. In: CONGRESSO COMPOLÍTICA: DEMOCRACIA E OPINIÃO PÚBLICA EM TEMPOS DE FAKE NEWS, 9., 2020. Anais [...]. [S. l.: s. n.], 2020. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1L8dfJQaxB2v-5cXmySyOB0n8glLOFT3B/view. Acesso em: 20 ago. 2021.

DOURADO, T. Processos de rumores e circulação de fake news: paralelos teóricos e o caso das eleições municipais de 2020 do Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer, Cadernos Adenauer, [S. l.], v. XXII, n. 1, 2021.

FARKAS, J.; SCHOU, J, Post-Truth, Fake News and Democracy: Mapping the politics of Falsehood, Sweden: Routledge, 2019.

FGV DAPP. Desinformação on-line e Eleições no Brasil: a circulação de links sobre desconfiança no sistema eleitoral brasileiro no Facebook e no YouTube (2014-2020). Rio de Janeiro: FGV DAPP, 2020. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/30085. Acesso em: 20 ago. 2021.

FIGUEIREDO, F. D.; SILVA, L.; CARVALHO, E. The forensics of fraud: Evidence from the 2018 Brazilian presidential election. Forensic Science International: Synergy, [S. l.], v. 5, 2022.

GOMES, W.; DOURADO, T. M. Fake news, um fenômeno de comunicação política entre jornalismo, política e democracia. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. 16, n. 2, p. 33-45, 2019.

INGLEHART, R.; BAKER, W. E. Modernization, cultural change, and the persistence of traditional values. American Sociological Review, Washington, D.C, v. 65, n. 1, 19-51, 2000. DOI: 10.2307/2657288.

LEVITSKY, S.; ZIBLATT, D. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 2018.

LEMOS, A.; MARQUES, D. Vigilância guiada por dados, privacidade e Covid-19. Lab404 Vigilância Guiada, Salvador, 11 maio 2020. Disponível em: http://bit.ly/3aj61Us. Acesso em: 20 maio 2020.

LIMA, B; CANTRERA, F.; GREGÓRIO, P. C. S. Competição partidária e interação estratégica na eleição presidencial brasileira de 2018. In: Congreso Lationamericano de Ciencia Política, de la Asociación Latinoamericana de Ciencias Políticas, 10., 2019. Anais [...]. [S. l.: s. n.], 2019.

NORRIS, P. Why Electoral Integrity Matters. New York: Cambridge University Press, 2014.

PARISER, E. O filtro invisível: o que a internet está escondendo de você. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

PATRINI, G.; LINI, S.; IVERY-LAW, H.; DAHL, M. Commoditisation of AI, digital forgery and the end of trust: how we can fix it. 2018. Disponível em: https://giorgiop.github.io/posts/2018/03/17/AI-and-digital-forgery/. Acesso em: 20 ago. 2021.

RECUERO, R. #FraudenasUrnas: estratégias discursivas de desinformação no Twitter nas eleições 2018. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, [S. l.], v. 20, n. 3, p. 383-406, 2020. DOI: 10.1590/1984-6398202014635.

REIS, F. W. “Eleição de 2014:”’país dividido’ e questão social”. Em Debate, [S. l.], v. 6, p. 8-1, 2014.

ROQUE, T. O negacionismo no poder. Piauí, São Paulo, n. 161, fev. 2020. Disponível em: https://bit.ly/37Xv2kX. Acesso em: 23 maio 2020.

RUEDIGER, M. A. Desinformação nas eleições 2018: o debate sobre fake news no Brasil, Rio de Janeiro: FGV DAPP, 2019.

RUEDIGER, M. A.; GRASSI, A. (coord.). O ecossistema digital nas eleições municipais de 2020 no Brasil: o buzz da desconfiança no sistema eleitoral no Facebook, YouTube e Twitter. Policy paper. Rio de Janeiro: FGV DAPP, 2020.

SANTOS, W. G. A democracia impedida: o Brasil no século XXI. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2017.

TARAUCO, G. Esquerda, direita e eleições presidenciais no Brasil. Estudos Avançados, v. 36, n. 106, p. 133-133, 2022. DOI: 10.1590/s0103-4014.2022.36106.008

TILLY, C., Democracy. Cambridge University Press: Nova York, 2007.

TSE, BRASIL. Teste de integridade das eleições 2022. TSE, [S. l.], 2022. Disponível em: https://www.tse.jus.br/comunicacao/noticias/2022/Outubro/teste-de-integridade-das-eleicoes-2022-comprova-eficiencia-das-urnas. Acesso em: 05 out. 2022.

VALLE, N.; HASENBALG, C. Origens e Destinos: desigualdades sociais ao longo da vida. Rio de Janeiro: TopBooks, 2004.

WARDLE, C.; DERAKHSHAN. H. Information Disorder: Toward and interdisciplinary framework for research and policy making. [S. l.: s. n.], 2017. Disponível em: http://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://rm.coe.int/information-disorder-toward-an-interdisciplinary-framework-for-researc/168076277c. Acesso em: 27 ago. 2021.

Publicado

30/12/2023

Como Citar

SEGURADO, R.; AMORIM, F.; RAÍCES, C. Desconfiança da urna eletrônica nas eleições municipais de São Paulo de 2020. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 28, n. 00, p. e023024, 2023. DOI: 10.52780/res.v28i00.17379. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/17379. Acesso em: 2 mar. 2024.