O associativismo negro em Rio Claro: sujeitos, práticas e ideias na República

Pedro de Castro Picelli

Resumo


Os clubes sociais de Rio Claro são fundados em fins do século XIX e tem como última data de organização o ano de 1951. Portanto, o período histórico estrutural de formação destes clubes pode ser lido como um longo processo iniciado ainda no período escravista e que aponta na segunda metade do século XX para a existência, não necessariamente simultânea no tempo, de mais de uma dezena deles. A vivência associativa do espaço social apresenta-se como importante chave para pensarmos a transformação das relações sociais postas pós 1888. Assim, buscaremos neste breve artigo apresentar alguns dos clubes negros, membros e práticas para refletirmos as implicações das experiências destas associações para reposicionamento dos sujeitos e relações sociais no espaço social rioclarense.


Palavras-chave


Associativismo; Clubes sociais; Rio Claro; Pós-abolição; Racismo.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALBUQUERQUE, Wlamyra. A vala comum da raça emancipada: abolição e racialização no Brasil, breve comentário. In: História Social, v. 19, 2010, p. 91-108.

ALBUQUERQUE, Wlamyra. O Jogo da dissimulação. Abolição e cidadania negra no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

BILAC, M.B. Bianchini. As elites políticas de Rio Claro. Piracicaba; Campinas: UNIMEP; UNICAMP, 2001.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças dos velhos. 3 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CASTRO, Bernadete A. Patrimônio Cultural e Territorialidade Negra em Rio Claro-SP. In: Espaço & Geografia, v.16, n. 2, 2013, p. 566-570.

DEAN, Warren. Rio Claro: um sistema brasileiro de grande lavoura (1820-1920). Rio de Janeiro: Paz e terra, 1977.

DINIZ, Diana M.F.L. Rio Claro e o café: desenvolvimento, apogeu e crise (1850-1900). [Tese] Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Rio Claro, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 1973.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento Negro Brasileiro: alguns apontamentos históricos. In: Tempo, v.12, n. 23, 2007, p. 100-122.

ESCOBAR, Giane Vargas. Clubes sociais negros: lugares de memória, resistência negra, patrimônio e potencial. [Dissertação] Santa Maria: UFSM, 2010.

PEREIRA, Flavia A. de Souza. Organizações e espaços da raça no oeste paulista: movimento negro e poder locar em Rio Claro. Tese de Doutorado pela Universidade Federal de São Carlos; 2008




DOI: https://doi.org/10.29373/sas.v8i1.12585



 

 

Rev. Sem Aspas, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN  2358-4238

DOI Prefix: 10.29373/semaspas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.