O mercado de trabalho formal em Bertioga sob a perspectiva de gênero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29373/sas.v8i2.13594

Palavras-chave:

Trabalho, Gênero, Empregos formais.

Resumo

O presente artigo faz uma análise acerca do mercado de trabalho formal no município de Bertioga – SP, relacionando as questões entre crescimento populacional, trabalho e gênero, com o recorte oferecido, ano a ano, desde a emancipação do município. A pesquisa se baseia na dialética em que se pratica com a historicidade sobre o capitalismo, e os arranjos neoliberais e por fim, com a inserção da mulher no mercado de trabalho do município de Bertioga - SP. Podemos analisar as contradições da reestruturação produtiva e levantar hipóteses consistentes: a crise estrutural do capitalismo interfere diretamente na divisão sexual do trabalho e; a mulher está inserida nos postos de trabalhos informais e precários.

Biografia do Autor

Maíra Darido da Cunha, Faculdade Bertioga (FABE), Bertioga – SP

Docente da Faculdade Bertioga - FABE, é mestre e doutora em Educação Escolar pela UNESP - Araraquara.

Guilherme dos Santos Dias Rodrigues, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos – SP

Mestrando em Serviço Social e Políticas sociais

Referências

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho. São Paulo: Boitempo Editorial, 1999.

BIHR, A. Da grande noite à alternativa. São Paulo: Boitempo, 1998.

CASTRO, M. G. Feminização da pobreza em cenário neoliberal. Brasil 2000. São Paulo: Anitta Garibaldi, 2001.

GOUNET, T. Fordismo e Toyotismo na civilização do automóvel. São Paulo: Boitempo, 1999.

HARVEY, D. A condição pós-moderna. Rio de Janeiro: Loyola, 1992.

HIRATA, H. & LE DAORÉ. Os paradoxos da globalização. Cadernos Sempreviva. São Paulo: Sempreviva Organização Feminina (SOF).

HIRATA, H. Globalização e divisão sexual do trabalho. Cadernos Pagu, Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero, Unicamp, 2001-2002.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

MAZZOLENIS, S. Riviera de São Lourenço ontem, hoje e registros. Bertioga: Sistema Integrado de Vendas, 2008.

MENICUCCI, E. A mulher, a sexualidade e o trabalho. São Paulo: Hucitec, 1999.

MÈSZAROS, I. Para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2002.

NOGUEIRA, Claudia Mazzei. A feminização no mundo do trabalho: entre a emancipação e a precarização. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

SAFFIOTI, H. A mulher na sociedade de classes. Rio de Janeiro, Vozes, 1976.

SCAVONE, L. Estudos de Gênero: uma sociologia feminista? Revista Estudos Feministas, vol. 16, n.1, jan. abr. 2018.

SCHIENBINGER, L. O feminismo mudou a ciência? Bauru, EDUSC, 2001.

SCOTT, J. W. História das mulheres. In. BURKE, Peter (Org.) A Escrita da História: Novas Perspectivas. São Paulo: Unesp. 1992.

SEADE. Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. São Paulo, 2018.

Publicado

30/12/2019

Como Citar

Darido da Cunha, M., & Rodrigues, G. dos S. D. (2019). O mercado de trabalho formal em Bertioga sob a perspectiva de gênero. Revista Sem Aspas, 8(2), 180–192. https://doi.org/10.29373/sas.v8i2.13594

Edição

Seção

Artigos