A metamorfose do estado: a transição da lógica social para a penal em Loïc Wacquant

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29373/sas.v9i2.14500

Palavras-chave:

Estado social, Estado penal, Campo burocrático, Loïc Wacquant, Pierre Bourdieu

Resumo

O presente artigo tem por objetivo discorrer sobre o declínio do Estado-Providência e a emergência do Estado Penal a partir da revisão bibliográfica da tese desenvolvida por Loïc Wacquant (2001; 2003; 2008; 2015). Para tanto, primeiramente, apresentamos as inspirações teóricas na elaboração dessa tese central, que tem na sociologia relacional de Pierre Bourdieu sua origem; em seguida, contextualizamos o processo de metamorfose que teria ocorrido a partir de meados dos anos 1970 do século XX, marcado como uma ‘grande transformação’ nas estruturas do Estado-Providência (Welfare State), que vê sua lógica social ser substituída pela consolidação da lógica penal, caracterizada pela criminalização da pobreza e do encarceramento em massa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo José de Carvalho Moura, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Pesquisador no Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Sociedade, Poder, Organização e Mercado (NESPOM). Bolsista FAPESP (Processo n. 2019/24480-8).

Mateus Tobias Vieira, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UNESP. Pesquisador no Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Sociedade, Poder, Organização e Mercado (NESPOM). Bolsista FAPESP (Processo n. 2019/08738-5).

Referências

BARSIL. Departamento Penitenciário Nacional. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. Disponível em: https://www.gov.br/depen/pt-br/sisdepen. Acesso em: 02 de novembro de 2020.

BATISTA, V. M. Prefácio. In: WACQUANT, L. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Rio de Janeiro, Editora Revan, 2003. p. 7-18.

BOURDIEU, P. Rethinking the state: on the genesis and structure of the bureaucratic field. Sociological Theory, v. 12, n. 1, p. 1-19, 1994

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Ed. Papirus, 1996.

BOURDIEU, P. Contrafogos 1. São Paulo: Jorge Zahar, 1998.

BOURDIEU, P. Contrafogos 2. São Paulo: Jorge Zahar, 2001.

BOURDIEU, P. Sobre o Estado. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

BRESSER-PEREIRA, L. C. A crise financeira global e depois: um novo capitalismo? Novos Estudos - CEBRAP, São Paulo, n. 86, p. 51-72, 2010.

HOBSBAWM, E. Era dos extremos: o breve século XX – 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LEBARON, F. A formação dos economistas e a ordem simbólica mercantil. REDD – Revista Espaço de Diálogo e Desconexão, Araraquara, v. 4, n. 2, p. 1-35, jan./jul. 2012.

MARSHALL, T. H. Citizenship and social class and other essays. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1950.

WACQUANT, L. As duas faces do gueto. São Paulo: Boitempo, 2008.

WACQUANT, L. As prisões da miséria. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2011.

WACQUANT, L. Bourdieu, Foucault e o Estado Penal na Era Neoliberal. Revista Transgressões: ciências criminais em debate. v. 3, n. 1, p.5-22, 2015.

WACQUANT, L. Os condenados da cidade: um estudo sobre a marginalidade avançada. Rio Janeiro: Revan; Fase, 2001.

WACQUANT, L. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. 2. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2003.

Publicado

01/03/2021

Como Citar

MOURA, P. J. de C.; VIEIRA, M. T. A metamorfose do estado: a transição da lógica social para a penal em Loïc Wacquant. Revista Sem Aspas , [S. l.], v. 9, n. 2, p. 247–260, 2021. DOI: 10.29373/sas.v9i2.14500. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/14500. Acesso em: 6 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigos