A contribuição de Pierre Bourdieu para os estudos de elites no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29373/sas.v11iesp.1.17082

Palavras-chave:

Elites, Pierre Bourdieu, Sociologia relacional

Resumo

Este artigo traça um panorama dos estudos sobre elites no Brasil inspirados na teoria e no método relacional de Pierre Bourdieu. A partir de uma revisão bibliográfica das produções e das trajetórias dos pesquisadores, cuja passagem pela França marca uma "primeira geração" de brasileiros em contato direto com Bourdieu. O mapeamento mostra que, ao longo dos anos, ocorre uma diversificação e ampliação tanto das redes de pesquisadores, quanto de temáticas e dos usos metodológicos, que como resultado produz uma "segunda geração" de pesquisadores que serão responsáveis por profundar a conexão Brasil-França através do estreitamento dos laços com herdeiros franceses de Bourdieu, além de ocupar posições em importantes espaços institucionais nacionais, como professores e pós-graduandos em universidades públicas e privadas e nas principais associações da área de Ciências Sociais, o que contribuiu fortemente para estruturar polos formadores que possibilitaram a difusão e a operacionalização do método bourdieusiano para o estudo da questão das elites.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Lanza Porcionato, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP – Brasil

Doutora em Ciências Sociais. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Emoções, Sociedade, Poder, Organização e Mercado (NESPOM).

Paulo José de Carvalho Moura, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP – Brasil

Doutorando em Ciências Sociais. Pesquisador bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP (2022/03520-4). Pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Emoções, Sociedade, Poder, Organização e Mercado (NESPOM).

Mateus Tobias Vieira, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP – Brasil

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UNESP. Pesquisador no Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Sociedade, Poder, Organização e Mercado (NESPOM). Bolsista CAPES.

Referências

ARDUINI, G. R. Os soldados de Roma contra Moscou: A atuação do Centro Dom Vital no cenário político e cultural brasileiro (Rio de Janeiro, 1922-1948). 2014. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

ASSIS, K. G. Verdades econômicas e verdades políticas: O sistema financeiro em debate. 2016. 279 f. Tese. (Doutorado em Ciência Política) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2016.

BEGA, M. T. S. Sonho e invenção do Paraná: Geração simbolista e a construção de identidade regional. 2001. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

BICHOFFE, A. C. Métricas sobre o Estado: Por uma sociologia da classificação do risco de crédito soberano brasileiro. 2017. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9505. Acesso em: 10 jul. 2022.

BORTOLUCI, J. H.; JACKSON, L. C.; PINHEIRO FILHO, F. A. Contemporâneo clássico: a recepção de Pierre Bourdieu no Brasil. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 94, p. 217-254, 2015.

BOURDIEU, P. Capital simbólico e classes sociais. In: Bourdieu e a Questão das Classes. Novos estud. CEBRAP, São Paulo, n. 96, jul. 2013.

CAMPOS, L. A.; SZWAKO, J. Biblioteca Bourdieusiana ou como as ciências sociais brasileiras vêm se apropriando de Pierre Bourdieu (1999-2018). Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, n. 91, p. 1-25, 2020.

CORADINI, O. L. O “referencial teórico" de Bourdieu e as condições para a sua aprendizagem e utilização. Revista Veritas, v. 41, n. 162, p. 207-220, 1996.

ENGELMANN, F. Globalização e poder de estado: circulação internacional de elites e hierarquias do campo jurídico brasileiro. Dados, v. 55, n. 2, 2012.

GRILL, I. A “herança trabalhista” no Rio Grande do Sul: parentesco, carisma e partidos. Sociedade e Cultura, v. 7, n. 2, 2004.

GRÜN, R. A evolução da governança corporativa no Brasil: inovações financeiras, convergência das elites e estabilização do sistema. In: JARDIM, M. A. C. (org.). A natureza social das finanças: Fundos de pensão, sindicalistas e recomposição das elites. Bauru, SP: Edusc, 2011b. p. 161-198.

GRÜN, R. A produção de uma empresa moderna: Os bancários e a automação. 1985. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1985.

GRÜN, R. A revolução dos gerentes brasileiros. 1990. 324 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1990. Disponível em: https://hdl.handle.net/20.500.12733/1575091. Acesso em 10 jul. 2022.

GRÜN, R. Convergência das elites e inovações financeiras: a governança corporativa no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais (Impresso), São Paulo, v. 20, p. 67-90, 2005.

GRÜN, R. As disputas e convergências das elites brasileiras diante da crise financeira de 2009: conseqüências empíricas e analíticas. Revista Pós Ciências Sociais, v. 15, p. 97-114, 2011a.

GRÜN, R. Os escândalos políticos no Brasil recente: dinâmicas culturais e sociais e efeitos na reprodução e recomposição das elites contemporâneas. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPOCS, 35., Caxambu, 2011. Anais [...]. Caxambu, MG, 2011b.

GRYNSZPAN, M. Ciência política e trajetórias sociais: uma sociologia histórica da teoria das elites. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 1999.

JARDIM, M. A. C. Entre a solidariedade e o risco: Sindicatos e fundos de pensão em tempos de governo Lula. 2007. 423 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2007.

KEINERT, F. C. Instituições e novas linhas de força: a produção da sociologia no Brasil nas décadas de 1970 e 1980. 2007. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

LEITE, E. S. Reconversão de habitus: O advento do ideário de investimento no Brasil. 2011. Tese. (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2011.

MARTINS, T. J. Desejo, necessidade e realidade: Os marcadores culturais e econômicos e suas implicações ocupacionais para o grupo profissional de engenheiros de produção no Brasil. 2015. Tese (Ciência Política) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2015.

MELO, H. F. O Dominium Universitário: Grupos dirigentes e a sociogênese do espaço acadêmico-científico no Maranhão (1918-1970). 2021. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2021.

MICELI, S. Intelectuais e classe dirigente no Brasil (1920-45). São Paulo; Rio de Janeiro: Difel, 1979.

MICELI, S. A Elite Eclesiástica Brasileira. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1988.

MICELI, S. Imagens negociadas: Retratos da elite brasileira (1920-40). São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

MOURA, P. J. C. Entre a ousadia e o dever de casa: A política fiscal no Governo Dilma Rousseff: Atores, discursos e instituições. 2022. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2022.

MUNIZ JÚNIOR, J. S. Girafas e bonsais: Editores 'independentes' na Argentina e no Brasil (1991-2015). 2016. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

NAHOUM, A. V. A sociologia econômica no Brasil: balanço de um campo jovem. In: MICELI, S.; MARTINS, C. B. (org.). Sociologia Brasileira Hoje. São Paulo: Ateliê Editorial, 2017. p. 15-87.

NASCIMENTO, M. L. Primeira Geração Romântica versus Escola do Recife: Trajetórias de intelectuais da Corte e dos intelectuais periféricos da Escola do Recife. 2010. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

OLIVEIRA, A. L. Erudição e cultura popular na atividade intelectual de Luís da Câmara Cascudo. 2012. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

OLIVEIRA, W. J. F.; PETRARCA, F. R. Inovações Temáticas, “Guinadas” Teóricas e Tradição Intelectual no Brasil. Revista Brasileira de Sociologia, v. 6, n. 14, set./dez. 2018.

PEDROSO NETO, A. J. A privatização do setor elétrico paulista: Suicídio de um grupo. 2005. 386 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2005.

PEDROSO NETO, A. J. Afrânio Raul Garcia Jr.: Bionotas. Porto Alegre: SBS, 2021 [Online]. Disponível em: https://www.sbsociologia.com.br/project/afranio-raul-garcia-jr/. Acesso em: 10 jul. 2022.

PORCIONATO, G. L. O escândalo Lava Jato e a elite da construção civil no Brasil: Dos rituais de depreciação à reelaboração da face. 2021. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2021.

QUEMIN, A.; SIMIONI, A. P. C. A contribuição de Pierre Bourdieu para a sociologia da arte (França e Brasil). Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, v. 1, p. 1-27, 2019.

REIS, E. T.; GRILL, I. G. Estudos de elites políticas e as bases das multinotabilidades no Brasil. Tempo Social, v. 29, n. 3, p. 137-159, 2017.

ROCHA, M. E. M. Bourdieu à Brasileira. 1. ed. Rio de Janeiro: Confraria do vento, 2022. v. 300, p. 393.

ROCHA, M. E. M.; PETERS, G. Facetas de um Bourdieu tupiniquim: momentos de sua recepção no Brasil. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, v. 91, p. 1-30, 2020.

RODRIGUES, L. S.; ROCHA, M. E. da M. Entrevista com Sergio Miceli. Estudos De Sociologia, v. 24, n. 47, 2020.

ROLIM, I. C. P. Primeiras imagens: Pierre Verger entre burgueses e infrequentáveis. 2009. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

ROSA, T. A Elite do Rock: Poder simbólico e distinção no mainstream do rock brasileiro dos anos 1980. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2016.

ROSATTI, C. G. Casas burguesas e arquitetos modernos: Condições sociais de produção da arquitetura paulista. 2016. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

SAINT-MARTIN, M. Rumo a uma abordagem dinâmica para reconversões. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 27, n. 00, e022009, 2022. DOI: https://doi.org/10.52780/res.v27i00.16763.

SANCHEZ, J. P. A. As Elites Organizacionais e o Discurso da Flexibilidade: Uma Análise sob a Perspectiva das Relações de Poder. 2015. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2015.

SANTANA, G. Riso, lágrima, ironia e tratados: Pedro Almodóvar - genialidade e paradoxo em construção permanente. 2007. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SANTOS, J. W. A. Trabalho religioso, campo religioso e relações de poder nas Assembleias de Deus no Brasil. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2019.

SARTORE, M. S. Convergência de Elites: A sustentabilidade no mercado financeiro. 2010. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2010.

SEIDL, E. A elite eclesiástica no Rio Grande do Sul. 2003. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

SILVA, M. R. Banco Central e os sentidos sociais da ação em política monetária: As justificações morais dos usos sociais do dinheiro. 2017. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2017.

SILVA, M. T. Mário de Andrade epicêntrico: Estudo sobre a sociabilidade do Grupo dos Cinco paulista (1920-1930). 2018. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

SIMIONI, A. P. C. Profissão artista: Pintoras e escultoras brasileiras entre 1884 e 1922. 2004. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

TARGA, L. G. Os diplomatas brasileiros sob a perspectiva relacional: O campo dos diplomatas e o campo político. 2017. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2017.

VIANA, K. D. R. As crenças transmitidas por escolas de negócios: Um olhar sobre a FGV-EAESP e a Chicago Booth School of Business. 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2016.

VIEIRA, A. M. Opiniões à venda: Oposições políticas e divisão do trabalho intelectual na mídia. 2021. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2021.

WACQUANT, L. Poder simbólico e fabricação de grupos: como Bourdieu reformula a questão das classes. In: Bourdieu e a Questão das Classes, Novos estudos. CEBRAP, v. 96, jul. 2013.

Publicado

26/12/2022

Como Citar

PORCIONATO, G. L.; MOURA, P. J. de C.; VIEIRA, M. T. A contribuição de Pierre Bourdieu para os estudos de elites no Brasil. Revista Sem Aspas , [S. l.], v. 11, n. esp.1, p. e022021, 2022. DOI: 10.29373/sas.v11iesp.1.17082. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17082. Acesso em: 6 fev. 2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)