Atividade fisica adaptada para a pessoa com deficiência: o crossfit adaptado para um grupo com cadeirantes e amputado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v15i1.12700

Palavras-chave:

Atividade física, Deficiência física, Amputação, Promoção da saúde, Crossift Adaptado.

Resumo

De forma geral, a prática de atividade física traz inúmeros benefícios para a saúde. Para pessoas com deficiência, os benefícios são ainda maiores tendo em vista a necessidade de cada pessoa. Força, agilidade, equilíbrio, coordenação motora são alguns deles, além de aspectos psicológicos e sociais, como a melhora na autoestima, motivação, confiança, promoção da saúde e socialização. Cada vez mais, o esporte adaptado tem sido aceito e ampliado graças aos bons resultados alcançados e, nesse contexto, algumas modalidades representam boas opções para as pessoas com deficiência. Objetivando conhecer mais sobre a atividade e seus benefícios enquanto atividade física, constatou-se que o CrossFit Adaptado tem proporcionado experiências em vários aspectos, conforme as relatadas neste texto, por meio de entrevistas com um grupo praticante. Espera-se que essa modalidade consiga visibilidade e que novas unidades (da modalidade) sejam criadas pelo país a fim de estender a experiência para outras pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Da Silva Pinheiro Wellichan, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Marília – SP.

Doutoranda em Educação. Bibliotecária e Pedagoga, Especialista em Educação Infantil, Especial e Transtornos Globais do Desenvolvimento. Mestra em Ciência da Informação. Membro do Grupo de Pesquisa Deficiências Físicas e Sensoriais – DeFSen.

Marcella Garcia Ferreira dos Santos, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Botucatu – SP.

Fisioterapeuta, Aprimoramento em Fisioterapia Geral (UNESP/Botucatu, SP). Analista Técnica Especializada – Fisioterapeuta no INSS/Bauru, SP.

Referências

ADAMS, R. C., et al. Jogos, esportes e exercícios para o deficiente físico. São Paulo: Manole, 1985.

ALENCAR, B. Paraolimpíada: o Brasil no pódio. Rio de Janeiro [s.n.], 1997.

ARAÚJO, P. F. de. Desporto adaptado no Brasil: origem, institucionalização e atualidade. 1997. 140f. Tese (Doutorado em Educação Física). Universidade Estadual de Campinas, SP. 1997.

BARBOZA, L. P.; DUTRA, F. B. S. O resgate da autoestima de pessoas com deficiência através da prática do Rugby em cadeira de rodas. In: DUTRA, F. B. S.; SANTOS, C. R. V.; DI BLASI, F. Aspectos da deficiência: educação, esporte e qualidade de vida. Curitiba: Appris, p. 157-168, 2017.

BRAZUNA, M. R.; MAUERBERG-DE CASTRO, E. A trajetória do atleta portador de deficiência física no esporte adaptado de rendimento. Uma revisão de literatura. Motriz, v. 7, n. 2, p. 115-123, jul./dez. 2001.

ESCARTÍ, A.; CERVELLÓ, E. La motivación en el deporte. En: ISABEL, 1994.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.

LIANZA S. Medicina de Reabilitação. 3 ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2001.

MARTINS, D. L.; RABELO, R. J. Influência da atividade física adaptada na qualidade da vida de deficientes físicos. MOVIMENTUM - Revista Digital de Educação Física, Ipatinga: Unileste-MG, v. 3, n. 2, ago/dez. 2008.

MARTINS, J. A.; BARSAGLINI, R. A. Aspectos da identidade na experiência da deficiência física: um olhar socioantropológico. Interface – Comunicação, Saúde e Educação, v. 15, n. 36, p.109-122, 2011.

MATSUMURA, A. D.; RESENDE, J. M.; CHAMLIAN, T. R. Avaliação pré e pós protética da circumetria dos cotos de amputados transtibiais. Acta Fisiátrica, v. 20, n. 4, dez. 2013.

MELO, A. C. R.; LOPEZ, R. F. A. O esporte adaptado. Revista Digital, Buenos Aires, v. 8, n. 51, ago. 2002.

NOCE, F.; SIMIM, A. M.; MELLO, M. T. A percepção de qualidade de vida de pessoas portadoras de deficiência física pode ser influenciada pela prática de atividade física? Rev. Bras. Med. Esporte, v. 15, n. 3, maio/jun., 2009.

OLIVEIRA, A. R. P.; GONÇALVES, A. G.; SEABRA JUNIOR, M. O. Badminton e esporte adaptado para pessoas com deficiência: revisão sistemática da literatura. Revista da Sobama, Marília, v. 18, n. 1, p. 93-108, jan./Jun., 2017.

PADRÃO, E. C. T. A qualidade de vida dos atletas de bocha paraolímpica de um centro de reabilitação da cidade do Rio de Janeiro. In: DUTRA, F. B.S.; SANTOS, C. R.V.; DI BLASI, F. Aspectos da deficiência: educação, esporte e qualidade de vida. Curitiba: Appris, p. 143-154, 2017.

PEDRINELLI, V. J. Educação física adaptada: conceituação e terminologia. In: PEDRINELLI, V. J. Educação física e desporto para pessoas portadoras de deficiência. Brasília: MEC/Sedes, p. 7-10, 1994.

RODRIGUES, D. N.; MUSSI, R. F. F.; ALMEIDA, C. B. Atividade física na promoção da saúde de amputados. EFDeportes.com, Buenos Aires, v. 19, n. 191, abr. 2014.

RUFINI, L. H.; TEIXEIRA-ARROYO, C. Atividade física para pessoas com deficiência motora em uma cidade do norte paulista. Revista Educação Física UNIFAFIBE, v. 2, n. 2, p. 99-111, dez., 2013.

SAMULSKI, D. Psicologia do esporte. São Paulo: Manole Ltda, 2002.

SILVA, T. F.; HENRIQUE, A. R. P.; ROCHA, V. L. Acessibilidade: edificações, mobiliários e espaços para uma real inclusão escolar. Rio de Janeiro: Wak, 2015.

VARELA, A. Desporto para as pessoas com deficiência. Revista Educação Especial e Reabilitação, Lisboa, v. 1, n. 5/6, jun., 1989.

WELLICHAN, D. S. P.; SANTOS, M. G. F. Qualidade de vida e deficiência: o CrossFit Adaptado como experiência. 22 f., 2019. [no prelo]

WHEELER, G. D. et al. Personal investmentin disability sport careers: An international study. Adapted Physical Activity Quarterly, v. 16, n. 3, p.219-37, 1999.

Downloads

Publicado

15/07/2019

Como Citar

WELLICHAN, D. D. S. P.; SANTOS, M. G. F. dos. Atividade fisica adaptada para a pessoa com deficiência: o crossfit adaptado para um grupo com cadeirantes e amputado. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 15, n. 1, p. 146–158, 2019. DOI: 10.26673/tes.v15i1.12700. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/12700. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Relatos de Experiência