Os Sertões entre a civilização e a barbárie

A dimensão de uma suposta sociologia euclidiana para a formação do pensamento social brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29373/sas.v12i00.16894

Palavras-chave:

Euclides da cunha, Literatura, Sociologia brasileira, Pensamento social

Resumo

Este artigo contextualiza a importância de “Os Sertões” de Euclides da Cunha, na Guerra de Canudos e no desenvolvimento da Sociologia Brasileira, destacando sua transcendência além de uma mera narrativa histórica ao explorar a intersecção entre ciência e arte, marcando a literatura brasileira. O objetivo principal é analisar como uma suposta perspectiva sociológica euclidiana influenciou o pensamento social brasileiro, especialmente através da antinomia entre os “civilizados” e os “bárbaros”. O referencial teórico incorpora as ideias de Euclides da Cunha, teorias sociológicas da época e conceitos da literatura comparada, enquanto a metodologia envolve análise crítica da obra e contextualização histórica e social da Guerra de Canudos. Os resultados destacam a contribuição significativa de Euclides da Cunha para a Sociologia Brasileira, introduzindo conceitos e abordagens únicas, e as discussões enfatizam sua relevância na compreensão das dinâmicas sociais e culturais do Brasil no século XIX. Este estudo contribui para a área ao ressaltar a importância do pensamento sociológico euclidiano na construção do pensamento social brasileiro e na compreensão das relações entre cultura e sociedade no contexto da Guerra de Canudos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Ferreira Defina, Universidade Estadual Paulista

Graduando em Ciências Sociais.  

Referências

BARROS, N. C. C. Especiação na antropogeografia de Frederico Ratzel. Revista de Geografia, Recife, v. 24, n. 1, 2007. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/ageteo/article/view/1375. Acesso em: 25 jan. 2023.

BUCKLE, H. T. History of Civilization in England. London: J.W. Parker and Son, 1857. v. I.

CÂNDIDO, A. A sociologia no Brasil. Tempo Social, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 271- 301, 2006. DOI: 10.1590/S0103-20702006000100015. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ts/article/view/12503. Acesso em: 25 jan. 2023.

CÂNDIDO, A. Euclides da Cunha sociólogo. Remate de Males, Campinas, SP, 2012. DOI: 10.20396/remate.v0i0.8635985. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8635985. Acesso em: 21 maio. 2022.

CUNHA, E. Os Sertões. São Paulo: Três, 1984.

DIAS, L. C. S. O (des)tecer de enredos: uma leitura d’Os Sertões, de Euclides da Cunha. 2003. 134 f. Dissertação (Mestrado em Literatura e Diversidade Cultural) — Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2003.

FERNANDES, F. A herança intelectual da Sociologia. In: FORACCHI, M. M.; MARTINS, J. S. (org.). Sociologia e Sociedade: leituras de introdução à Sociologia. 1. ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora, 1977.

FORACCHI, M. M.; MARTINS, J. S. Sociologia e Sociedade: leituras de introdução à Sociologia. 1. ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora, 1977.

GUMPLOWICZ, L. La lucha de razas. Madrid: La España Moderna, 1940.

RAMOS, G. Introdução crítica à sociologia brasileira. ED. UFRJ, 1995.

Publicado

17/10/2023

Como Citar

DEFINA, G. F. Os Sertões entre a civilização e a barbárie: A dimensão de uma suposta sociologia euclidiana para a formação do pensamento social brasileiro. Revista Sem Aspas , Araraquara, v. 12, n. 00, p. e023007, 2023. DOI: 10.29373/sas.v12i00.16894. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/16894. Acesso em: 20 maio. 2024.