Pernambuco falando para o mundo: a cultura pernambucana e a formação de terapeutas comunitários

Autores

  • Marluce Tavares de oliveira
  • Verônica Chaves Carrazzone
  • Maria Aurea Bittencourt Silva
  • Edna Maria Malheiros
  • Kátia Saraiva
  • Cleide Ferreira Neves

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v12i2.10231

Palavras-chave:

Saúde pública. Terapias complementares. Antropologia cultural. Folclore. Autoestima.

Resumo

O trabalho tem por objetivo explorar a história e utilização de elementos da cultura pernambucana na formação de terapeutas comunitários, conduzida pelo Polo Formador Espaço Família. A vertente utilizada, que parte da cultura como representação da relação das pessoas com sua história e tradições, tem se constituído como elemento de vinculação cultural, desde o uso peculiar da linguagem, cunhada Pernambuquês, à contribuição de músicas, danças e folguedos, com raízes pluriétnicas. Procede ainda ao relato histórico da implantação da TCI no Estado, passando pelo seu reconhecimento como prática integrativa complementar do SUS; há ênfase nas questões relacionadas com o uso do álcool e outras drogas, além dos diversos campos de utilização na assistência, no ensino e na pesquisa em saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRIL Coleções. Receitas das festas populares. São Paulo: Ed. Abril, 2009.

ALEPE - Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco. Todos os ritmos do toadas de Pernambuco. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2015.

BENJAMIM, R. Cultura pernambucana. João Pessoa: Editora Grafset, 2011.

BUENO, D. Cordel do pernambuquês, (s.n.t.).

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. CENSO 2010. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.gov.br> Acesso em: 18 mai. 2015.

CARRERO, R. Oficina de criação literária. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2015.

CIS – Centro Integrado de Saúde. Saúde holística e alternativa. Disponível em: <https://www.facebook.com/pages/CIS-Centro-Integrado-de-Sa%C3%BAde/473420549360187?fref=ts>. Acesso em: 24 maio 2015.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. O que foi o Movimento Manguebeat? Disponível em: <http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/diarinho/2014/02/21/interna_diarinho,490736/o-que-foi-o-movimento-manguebeat.shtml>. Acesso em: 26 mai. 2015.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Ariano Suassuna. Disponível em: <http://www.diariodepernambuco.com.br/especiais/viver/ariano-suassuna/#sthash.HW1yv3nu.dpuf>. Acesso em: 20 mai. 2015.

FERREIRA NETO, C. Indígenas e negros no Vale do Jaguaribe: entre o cativeiro e a liberdade. Disponível em: <http://www.apeoc.org.br/extra/artigos_cientificos/Indigenas_e_Negros_no_Vale_Jaguaribe.pdf>. Acesso em: 30 jan. 2017

FILHO, C. F (Org.). Espetáculos populares de Pernambuco. Recife: Bargaço, 1999.

GASPAR, L. Ciranda e Danças indígenas do Brasil. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: 21 mai. 2015.

GONZAGA, L. A feira de Caruaru. Disponível em: <http://letras.mus.br/luiz-gonzaga/204732>. Acesso em: 20 mai. 2015.

HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil- Coleção Documentos Brasileiros n. 1. 6ª. ed. Rio de Janeiro: Ed. José Olympio; 1971.

LENINE. Leão do Norte. Disponível em: <http://letras.mus.br/lenine/88967/>. Acesso em: 20 mai. 2015.

LIMA, C.; GUEDES, S. O reino mágico da xilo (gravura). Disponível em: <http://www.unicap.br/armorial/35anos/trabalhos/o-reino_xilogravura.pdf>. Acesso em: 20 mai. 2015.

MAIOR, M.S. A língua na boca do povo. Recife: FUNDAJ, Ed. Massangana, 1992.

MAXWELL, V. R. A. C. Introdução: Ariano Suassuna e o movimento armorial. Disponível em <http://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/9879/9879_2.PDF>. Acesso em: 20 abr. 2015.

MELLO, L. G. Antropologia cultural: iniciação, teoria e temas. 18ª ed. Petrópolis, Ed. Vozes, 2011.

PERNAMBUCO, Governo do Estado de. História de Pernambuco. Disponível em: <http://www.pe.gov.br>. Acesso em: 18 maio 2015.

PERNAMBUCO. Portal da Cultura de Pernambuco. Disponível em: <https://www.cultura.pe.gov.br/pagina/patrimonio-cultural/>. Acesso em: 05 abri. 2015.

PERNAMBUCO. SECTEC - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. Disponível em: <http://www.lai.pe.gov.br/web/sectec>. Acesso em: 05 abr. 2015.

PORTAL DA FAMÍLIA. Dinâmicas de grupo - 2. Disponível em: <http://www.portaldafamilia.org/sclazer/jogos/dinamicas-em-grupo-2.shtml>. Acesso em: 28 abr. 2015.

PROGRAMA QUE HISTÓRIA É ESSA. Maluguinho. Negro/Índio Guerreiro de Pernambuco. Postada em 26 de fevereiro de 2012. Disponível em: <http://programaquehistoriaeessa.com.br/?p=163>. Acesso em 30 jan. 2017.

SANTOS, A. P. Dança circular. Disponível em: <https://dancacircularufabc.wordpress.com/o-que-sao-dancas-circulares/>. Acesso em 09 maio 2015.

TILDES, F.; PINTO, J. B. A.; MENDES P. Dicionário pernambuquês. Disponível em: <http://www.aisa.com.br/diciope.html>. Acesso em: 18 maio 2015.

TRIBUNA DO NORTE. A história não contada dos índios e negros da terra. Postado em 25 de julho de 2011 - 10h11. Disponível em: <http://www.vermelho.org.br/noticia/159565-1>. Acesso em: 30 jan. 2017.

RECIFE. Porto das letras. Disponível em: <http://www.recife.pe.gov.br/portodasletras/paginas/php/linhadotempo_poesia.php>. Acesso em: 20 maio 2015.

VALENTE, V. Pastoril. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com_content&view=article&id=608:pastoril&catid=50:letra-p&Itemid=1>. Acesso em: 20 maio 2015

VICTOR, A.; MELLO, F. P.; FINIZOLA, J. Missa do vaqueiro: 40 anos. Recife, Publikimagem, 2012.

Downloads

Publicado

01/12/2016

Como Citar

OLIVEIRA, M. T. de; CARRAZZONE, V. C.; SILVA, M. A. B.; MALHEIROS, E. M.; SARAIVA, K.; NEVES, C. F. Pernambuco falando para o mundo: a cultura pernambucana e a formação de terapeutas comunitários. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 12, n. 2, p. 246–265, 2016. DOI: 10.26673/tes.v12i2.10231. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/10231. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação