Abordagem da saúde da população negra nos cursos da área de saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v15i1.12525

Palavras-chave:

Políticas públicas de saúde, Saúde das minorias étnicas, Educação em saúde.

Resumo

O estudo da Saúde da População Negra é importante para identificar e solucionar as questões que afetam a saúde dessa população, dentre estas, o racismo. A Saúde da População Negra não é uma área de conhecimento priorizada nos cursos da área da Saúde, apesar de essencial para a formação dos profissionais de saúde e para a própria população negra. Essas insuficiências podem indicar o não reconhecimento das necessidades desta população impactando nos índices da desigualdade. Esse estudo tem como objetivo apurar, nos cursos de Saúde da Universidade Federal de Uberlândia, a existência de conteúdo sobre Saúde da População Negra, tais como disciplinas, ementas e planos de ensino. Como resultados obtivemos poucos achados de abordagem da Saúde da População Negra. Contudo, apresentamos potencialidades de onde esse importante tema pode ser abordado nas disciplinas dos cursos da área de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Lino Silvério, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia – MG.

Fisioterapeuta formada pela Universidade Federal de Uberlândia.

Nicole Geovana Dias, Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia – MG.

Docente no Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70 Ltda, 1977.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n.º 10.639/2003. Brasília, DF, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Saúde Brasil: uma análise da situação de saúde no Brasil. Brasília, DF, 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. – 3. ed. – Brasília, DF, 2010.

BRASIL. Racismo como determinante Social da Saúde. Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – Seppir/PR. Brasília, DF, 2011. Disponível em: http://www.seppir.gov.br/central-de-conteudos/publicacoes/pub-acoes-afirmativas/racismo-como-determinante-social-de-saude-1. Acesso em: 21 maio 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: uma política para o SUS / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. – 2. ed. – Brasília, DF: Editora do Ministério da Saúde, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Campanha de Implementação da Política Nacional da Saúde Integral da População Negra: uma política do SUS. Brasília, DF, 2014. Disponível em: http://u.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/1104-sgep-raiz/pop-negra. Acesso em: 21 maio 2018.

DIAS, J.; GIOVANETTI, M. R.; SANTOS, N.J.S. (Org.). Perguntar não ofende: Qual é a sua cor/raça/etnia? Responder ajuda a prevenir. São Paulo, 105 p., 2009.

FARIA, M.A.; SILVA, A.J. A educação das relações étnico-raciais na formação em gestão de serviços de saúde. Revista Brasileira de Ensino Superior, 34-40, jan./mar. 2016.

GODOY, E.A. A ausências das questões raciais na formação inicial de professores e a Lei 10.639/03. Rev. educ. PUC-Camp. Campinas, 22(1):77-92, jan./abr., 2017

GOMES, N. L. (Org.). Um olhar além das fronteiras: educação e relações raciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 111-130.

KERNER, I. Tudo é interseccional? Sobre a relação entre racismo e sexismo. Novos estudos, CEBRAP, São Paulo, n. 93, p. 45-58, julho 2012.

MATOS, C. C.; TOURINHO, F. S. Saúde da População Negra: percepção de residentes e preceptores de Saúde da Família e Medicina de Família e Comunidade. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc13(40)1712.

MIELO, M. Educação permanente na academia como estratégia de formação docente: perspectivas de docentes e preceptores. 2016. Tese (Doutorado em Enfermagem Fundamental) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017. DOI:10.11606/T.22.2017.tde-18072017-084819. Acesso em: 2019-03-18.

MINAYO, M.C.S. O Desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 10. ed. São Paulo: HUCITEC, 2007. 406 p.

MONTEIRO, R. B. Educação permanente em saúde e as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das relações étnico-raciais e para ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 25, n. 3, p.524-534, 2016.

PAZ, C. E., et al. Plantas medicinais no candomblé como elemento de resistência cultural e cuidado a saúde. Revista Cubana de Plantas medicinales, Cuba, v. 20, n.1. 2015.

PINTO, M. C. C.; FERREIRA, R. F. Relações Raciais No Brasil E A Construção Da Identidade Da Pessoa Negra. Pesquisas e Praticas Psicossocias, São João Del-Rei, jul./dez., 2014.

SILVA, M.; PEREIRA, M.M. Percurso da lei 10639/03 e o ensino de história e cultura africana no Brasil: antecedentes, desdobramentos e caminhos. Em Tempo de Histórias, Brasília, n. 22, p.125-135, jun. 2013.

TAQUETTE, S. R.; MEIRELLES, Z. V. Discriminação racial e vulnerabilidades às DST/Aids: um estudo com adolescentes negras. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, n. 23, p. 129-142, 2013.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da Violência 2016: homicídios por arma de fogo. Rio de Janeiro, FLACSO, 2016.

WERNECK, J. Racismo institucional e saúde da população negra. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 25, n. 3, p.535-549, 2016.

YOSHIOKA, A.P.; CLARET, E. F. O negro no mundo do trabalho: descontentamentos e lutas. Revistas Sem Aspas, São Paulo, v.3, n.1/2, jan./dez.2014.

Downloads

Publicado

08/07/2019

Como Citar

LINO SILVÉRIO, A. C.; DIAS, N. G. Abordagem da saúde da população negra nos cursos da área de saúde. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 15, n. 1, p. 24–37, 2019. DOI: 10.26673/tes.v15i1.12525. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/12525. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação