A representação da imagem da mulher nas personagens infantis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v15i1.12770

Palavras-chave:

Sociedade e mídia, Personagens infantis, Representação feminina.

Resumo

Esta pesquisa apresenta um estudo sobre a percepção das crianças sobre algumas personagens infantis, por influência do que é divulgado na mídia, no tocante às princesas e aos elementos abordados nas produções, tanto cinematográficas quanto televisivas e até em outras meios digitais ou até físicos. Na investigação de campo foram levantados dados com as turmas de segundo e quinto ano do Ensino Fundamental de um colégio particular, situado nas dependências de uma Faculdade privada em Resende, Rio de Janeiro. Tomando por base os elementos pesquisados, foi evidenciada a importância que estes contos possuem, visto à diferença de visões, conforme a idade dos participantes, em que os mais experientes têm uma visão diferente quanto às heroínas dos contos infantis, em contraposição aos mais novos. Também emergiu da pesquisa a questão da atualização dos profissionais da educação, uma vez a sociedade está sempre em mudança e se faz necessário a construção de outras competências docentes para lidar com o novo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosa Maria Maia Gouvêa Esteves, Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), Resende – RJ.

Professora e Orientadora no Curso de Pedagogia AEDB. Doutora e Mestre em Educação.

Amanda Ribeiro Duarte, Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), Resende – RJ.

Pedagoga e professora no Colégio de Aplicação da AEDB.

Referências

ARIÉS, P. História social da criança e da família. 2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1973.

BRANCA de neve. Produção de Walt Disney. Estados Unidos: Disney, 1937. 1 rolo de filme.

CINDERELA. Produção de Marc Davis. Estados Unidos: Disney, 1950. 1 rolo de filme.

CHOMBART DE LAUWE, M. J. Liens entre les représentations véhiculées sur l’enfant et les représentations intériorisées par les enfants. Tradução: Moacir Palmeira. Paris: Delachaux & Niestlé, 1986.

DE MAUSE, L. História da Infância. Madri, Alianza Universid: 1991.

FROZEN. Produção de Peter Del Vecho. Estados Unidos: Disney, 2013. 1 dvd.

HOMEM aranha. Produção de Laura Ziskin. Estados Unidos: Sony, 2012. 1 dvd.

JODELET, D. O movimento de retorno ao sujeito e a abordagem das representações sociais. Sociedade e Estado, Brasília, v. 24, n. 3, p. 679-712, set./dez. 2009.

LA TAILLE, Y. A publicidade dirigida ao público infantil: considerações psicológicas. In: Contribuição da psicologia para o fim da publicidade dirigida à criança. Conselho Federal de Psicologia: Brasília, DF, 2008.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia científica. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LEVIN, E. A infância em cena: constituição do sujeito e desenvolvimento psicomotor. Petrópolis, Rio de janeiro: Vozes, 1997.

LINS. B. A.; MACHADO, B.F; ESCOURA. M. Diferentes, não desiguais: a questão de gênero na escola. São Paulo: Reviravolta, 2016.

MALÉVOLA. Produção de Joe Roth. Estados Unidos: Disney, 2017. 1 dvd.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MOANA. Produção de Walt Disney Studio. Estados Unidos: Disney, 2014. 1 dvd.

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: investigações em psicologia social. Editado em inglês por Gerard Duveen; traduzido do inglês por Pedrinho A. Guareschi. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

MULAN. Produção de Pam Coats. Estados Unidos: Disney, 1998. 1 VHS.

MULHER maravilha. Produção de Charles Roven. Estados Unidos, 2017. 1 dvd.

NEIL, G. Walt Disney: o triunfo da imaginação americana. Novo Século.

NARODOWSKI, M. Infância e poder: a confrontação da pedagogia moderna. Tese de doutorado em educação. Universidade Estadual de Campinas, 1993.

PIERRE-PUYSEGUR, M. A.; CORROYER, D. Les représentations du sistéme pénal chez les enfants de six à dix ans. Enfance, 40 (3), 1997.

RAPUNZEL. Produção de Roy Colin. Estados Unidos: Disney, 1962. 1 rolo de filme.

ROCHA, R. C. L. História da infância: reflexões acerca de algumas concepções correntes. Disponível em: https://pt.scribd.com/doc/28155072/HISTORIA-DA-INFANCIA-REFLEXOES-ACERCA-DE-ALGUMAS-CONCEPCOES-CORRENTES. Acesso em: 10 jan. 2019.

SAMPAIO, M. F. História do rádio e da televisão no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Achiamé, 1984.

SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

SHIMIZU, A. M. O potencial de influência da mídia na construção de representações de aspectos socio-morais. Disponível em: http://faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/wiHJlohM1xY2VHg_2013-4-30-11-48-31.pdf. Acesso em: 12 ago. 2018.

STRAUBHAAR, J.; LAROSE, R. Comunicação, mídia e tecnologia. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

TEIXEIRA, E. Contadores de histórias encantam gerações e incentivam a leitura. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2010/06/22/interna_diversao_arte,198791/contadores-de-historias-encantam-geracoes-e-incentivam-a-leitura.shtml. Acesso em: 06 jul. 2018.

VALENTE. Produção de Katherine Serafian. Estados Unidos: Disney, 2012. 1 dvd.

X-MEN. Produção de Lauren Shuler Donner. Estados Unidos: Century Fox, 1994. 1 hq.

CORREIO BRAZIELIENSE. Contadores de histórias encantam gerações e incentivam a leitura. Correio Brasiliense. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2010/06/22/interna_diversao_arte,198791/contadores-de-historias-encantam-geracoes-e-incentivam-a-leitura.shtml. Acesso em: 29 maio 2018.

PORTAL EDUCAÇÃO. Como a criança era vista e tratada desde a época medieval até o século XX. Portal Educação. Disponível em: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/como-a-crianca-era-vista-e-tratada-desde-a-epoca-medieva-ate-o-seculo-xx/26547. Acesso em: 29 maio 2018.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Downloads

Publicado

23/07/2019

Como Citar

ESTEVES, R. M. M. G.; DUARTE, A. R. A representação da imagem da mulher nas personagens infantis. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 15, n. 1, p. 46–71, 2019. DOI: 10.26673/tes.v15i1.12770. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/12770. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação