Combater o estigma associado ao sofrimento psíquico: um relato de experiência da educação profissional em saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v16i1.13281

Palavras-chave:

Estigma social, Transtornos mentais, Educação, Educação em enfermagem

Resumo

As atitudes estigmatizantes, associadas aos indivíduos em sofrimento psíquico, presentes em estudantes e trabalhadores da área da saúde são reproduzidos no cuidado com a saúde, produzindo adversidades, além daquelas já geradas pelo próprio sofrimento psíquico. Uma forma de combater esse problema social é o investimento da educação profissional em um ensino antiestigmatizante. O objetivo deste artigo é apresentar um relato de experiência de uma intervenção na disciplina de saúde mental, do curso técnico em enfermagem, constituída pelo planejamento e implementação de uma prática de ensino, voltada para o enfrentamento do estigma. Esta prática mostrou redução do estigma entre alunos técnicos de enfermagem e a mesma esteve relacionada a uma organização da disciplina, com a inclusão de estratégias educacionais que defendam o modelo de atenção psicossocial e que promovam o contato dos estudantes com casos de indivíduos em sofrimento psíquico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcela Santos Ferreira, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET), Nova Iguaçu – RJ

Mestre em Educação Profissional em Saúde FIOCRUZ/RJ; Docente Coordenadoria de Enfermagem do  CEFET/RJ; Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal Fluminense/RJ.

Referências

AHMEDANI, B. K. Mental health stigma: society, individuals, and the profession. J Soc Work Values Ethics, Washington, DC, v. 2, n. 8, p. 1-16, 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3248273/. Acesso em: 05 nov. 2016.

ARBOLEDA-FLÓREZ, J.; STUART, H. From sin to science: fighting the stigmatization of mental illnesses. Revue Canadienne de Psychiatrie, Canadá, v. 57, n. 8, p. 457-463, 2012. Disponível em: http://connection.ebscohost.com /c/articles/78854969/from-sin-science-fighting-stigmatization-mental-illnesses. Acesso em: 09 ago. 2016.

BEZERRA JUNIOR, B. Desafios da reforma psiquiátrica no Brasil. Physis: Rev. Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 2, n. 17, p. 243-250, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S0103-73312007000200002. Acesso em: 05 nov. 2016.

CAVAZZA, N. Psicologia das atitudes e das opiniões. São Paulo: Loyola, 2005.

CORRIGAN, P.W et al. Three strategies for changing attributions about severe mental illness. Schizophrenia Bulletin, [S.I.], v. 27, n. 2, p. 187-195, 2001.

FOSTER, K.; USHER, K.; BAKER, J. A.; GADAI, S.; ALI, S. Mental health attitudes toward mental illness in Fiji. Australian Journal of Advanced Nursing, South Melbourne, v. 25, n. 3, p. 72-9, 2010.

GIL, I. M. A.; SANTOS, J. C. P.; LOUREIRO, L. J. Estigma em estudantes de enfermagem: antes e depois do contato com pessoas com transtornos mentais. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 1-7, 12 jul. 2016.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Trad. Mathias Lambert. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1988.

HICKLING, F.W.; ROBERTSON-HICKLING, H.; PAISLEY, V. Desinstitucionalization and attitudes toward mental illness in Jamaica: a qualitative study. Revista Panamericana de Salud Pública, Washington DC, v. 29, n. 3, p. 169-176, mar. 2011.

LÓPEZ, M. et al. La lucha contra el estigma y la discriminación en salud mental: Una estrategia compleja basada en la información disponible. Revista de La Asociación Española de Neuropsiquiatría, Madrid, v. 28, n. 1, p. 43-83, 2008.

LUIS, M. A. V. Os rumos do cuidado em saúde mental. In: SOARES, M. H.; BUENO, S. M. V. (Org.). Saúde mental: novas perspectivas. São Paulo: Yendis, p. 55-68, 2011.

NORDT, C.; ROSSLER, W.; LAUBER, C. Attitudes of mental health professionals toward people with schizophrenia and major depression. Schizophrenia Bulletin, [Sl.], v. 32, n. 4, p. 709-714, 2006.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Relatório mundial da saúde mental: nova concepção, nova esperança. Genebra: WHO, 2001. Disponível em: http://www.who.int/whr/. Acesso em: 05 nov. 2016.

ROMANO, A.M.M. Evolução das atitudes de alunos de enfermagem frente aos transtornos mentais, opção de escolha da profissão e preferência por áreas específicas de atuação. 2016. 104 f. Tese (Doutorado) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP, Ribeirão Preto, 2016.

Publicado

19/06/2020

Como Citar

FERREIRA, M. S. Combater o estigma associado ao sofrimento psíquico: um relato de experiência da educação profissional em saúde. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 16, n. 1, p. 187–200, 2020. DOI: 10.26673/tes.v16i1.13281. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/13281. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

Relatos de Experiência