Trabalho análogo à escravidão

A importância da atuação do psicólogo na saúde mental do trabalhador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v19i00.17871

Palavras-chave:

Trabalho análogo ao de escravo, Saúde mental, Olhar humanizado

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar criticamente e refletir sobre como a falta de um olhar e ações mais humanizadas para o trabalhador podem contribuir para causar graves consequências danosas à saúde mental. Apesar de termos abolido o sistema escravocrata, ainda vislumbramos reflexos daquele passado sombrio, marcados por condições degradantes, pela crueldade e total afronta e violação dos direitos humanos dos indivíduos. A presente pesquisa tem como objetivo realizar uma investigação-pesquisa através de uma revisão bibliográfica descritiva e qualitativa para fins de reflexão e crítica sobre a trajetória histórica do trabalho escravo, além de explorar o contexto da saúde mental do trabalhador até o presente momento. Como resultados, apontar a grande quantidade de trabalhadores que, ao longo da história, foram submetidos a situações de trabalho análoga à de escravo, com o objetivo de uma análise da saúde mental e da importância do psicólogo neste contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Feitosa, Faculdade de Ensino Superior e Formação Integral (FAEF), Garça – SP – Brasil

Graduada em Psicologia – Departamento de Psicologia – FAEF.

Maria Luiza Mariano, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP – Brasil

Doutoranda no Programa de Pós- Graduação em Educação Escolar.

Referências

ALBORNOZ, S. O que é trabalho. Brasiliense, 2017.

AUDI, P. Trabalho escravo contemporâneo: O desafio de superar a negação. São Paulo: LTr, 2006. 287p.

BARROSO, M. R. C.; PESSANHA, E. G. F. O trabalho análogo ao escravo: conceitos e ações institucionais. Revista Pós Ciências Sociais, v. 15, n. 29, p. 233–252, 2018. DOI: 10.18764/2236-9473.v14n27p233-252. Disponível em: http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpcsoc/article/view/8517. Acesso em: 2 ago. 2022.

BASTOS, A.; YAMAMOTO, O. H.; RODRIGUES, A. C. A. Compromisso Social e Ético: desafios para atuação em Psicologia Organizacional e do Trabalho. In: Trabalho e as Organizações. 2013. p. 26-51. Disponível em: https://portalidea.com.br/cursos/introduo--psicologia-organizacional-apostila02.pdf. Acesso em: 2 ago. 2022.

BONIN, J.; PANATTA, D. J.; ABELO, Q. C. O Controle sobre o corpo segundo vigiar e punir e Microfísica do Poder, Michel Foucault. Ponto de Vista Jurídico, v. 5, n. 1, p. 62-76, 2016. DOI: 10.33362/juridico. v5i1.941. Disponível em: https://periodicos.uniarp.edu.br/index.php/juridico/article/view/941. Acesso em: 2 ago. 2022.

BRASIL. Trabalho, Indústria e Comércio. Decreto-Lei n. 5.452, de 1 de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Rio de Janeiro: Presidente da República, 1943. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm. Acesso em: 2 ago. 2022.

BRASIL. Constituição (1967). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Assembleia Nacional Constituinte, 1967.

BRASIL. Constituição (1967). Emenda Constitucional n.1, de 24 de janeiro de 1969. Edita o novo texto da Constituição Federal de 24 de janeiro de 1967. Brasília, DF: Junta Governativa Provisória de 1969, 1969.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Previdência. Resgatados 26 trabalhadores de condição análoga à de escravo no Maranhão. Brasília, DF: MTP, 2022a. Disponível em: https://www.gov.br/trabalho-e-previdencia/pt-br/noticias-e-conteudo/trabalho/2022/julho/resgatados-26-trabalhadores-de-condicao-analoga-a-de-escravo-no-maranhao. Acesso em: 2 ago. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Síndrome de Burnout. Brasília, DF: MS, 2022b. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/s/sindrome-de-burnout. Acesso em: 08 dez. 2022.

CAMINO, C. Direito individual do trabalho. 4. ed. Porto Alegre: Síntese, 2004.

CARLOTTO. M.; CÂMARA, S. G. Análise da Produção Científica sobre a Síndrome de Burnout no Brasil. Ulbra, Canoas, v. 39, n. 2, p. 152-158, 2008. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/1461. Acesso em: 2 ago. 2022.

CEZAR, F. G. O processo de elaboração da CLT: Histórico da Consolidação das Leis Trabalhistas Brasileiras em 1943. Revista Processus de Estudo de Gestão, jurídicos e financeiros, ano 3, n. 7, p. 13-20, 2008.

DEJOURS, C. A Loucura do Trabalho. Estudo da Psicopatologia do Trabalho. São Paulo: Oboré Editorial Ltda,1987.

DELGADO, M. G. Curso de direito do trabalho. 18. ed. São Paulo: Ltr, 2019.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir. Lisboa, Portugal: Ediçoes 70, 2013. E-book.

LAURELL, A. C.; NORIEGA, M. Processo de Produção e Saúde: Trabalho e Desgaste Operário. São Paulo: Hucitec, 1989. 333 p.

LAVOR-FILHO. T. et al. Evidências Teórico-Práticas na Prevenção e Promoção em Saúde Mental do Trabalhador. Revista Brás Med. Trab., v. 19, n. 4, p. 491-502, 2021. DOI: 10.47626/1679-4435-2021-746. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/rbmt.org.br/pdf/v19n4a12.pdf. Acesso em: 2 ago. 2022.

LEÃO, L. H.; GOMEZ, C. M. A questão da saúde mental na vigilância em saúde do trabalhador. Ciência e Saúde Coletiva, 19, n. 12, p. 4649-4658, 2014. DOI: 10.1590/1413-812320141912.12732014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/HxJzw7HphskR9bydNHxRYSb/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 08 jul. 2022.

MARTINS, S. P. Direito do trabalho. 29. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

MARX, K. O capital. Crítica da economia política. Livro 1. São Paulo: Nova Cultural, 1996 t. 2.

MARX, K. Manuscritos econômico- filosóficos. Boitempo Editorial, 2015.

MASLACH, C.; LEITER, M. P. The truth about burnout: How organization cause, personal stress and what to do about it. San Francisco: Jossey-Bass. 1997.

MASLACH, C.; SCHAUFELI, W. B.; LEITER, M. P. Job burnout. Annual Review Psychology, v. 52, p. 397-422, 2001.

MELLO. S. Trabalho Escravo no Brasil: A nova face de um antigo dilema. Brasília, 2005.

MENDES, A. (org.). Psicodinâmica do trabalho: Teoria, método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

MÉSZÁROS, I. A teoria da Alienação em Marx. São Paulo: Boitempo Editorial, 2017.

NASCIMENTO, A. M. Curso de direito do trabalho: história e teoria geral do direito do trabalho: Relações individuais e coletivas do trabalho. 22. ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

PRADO, C. E. P. Estresse Ocupacional: Causas e Consequências. Revista Brasileira Medicina do Trabalho, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 285-289, 2016. DOI: 10.5327/Z1679-443520163515. Disponível em: https://portalidea.com.br/cursos/gesto-do-stress-apostila03.pdf. Acesso em: 10 dez. 2022.

SANTOS, J. A. Trabalho e Sofrimento Psíquico na Marinha Marcante: Um Estudo sobre a Tribulação Embarcada. 1999. 115 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 1999.

SUZUKI, N. O Papel da Educação no Combate ao Trabalho Escravo no Brasil: O Caso do Programa Escravo, Nem Pensar! Da ONG Repórter Brasil. Escravo nem pensar, Programa Educacional da Repórter Brasil, 2016. Disponível em: https://escravonempensar.org.br/biblioteca/o-papel-da-educacao-no-combate-ao-trabalho-escravo-o-caso-do-programa-escravo-nem-pensar-da-ong-reporter-brasil/. Acesso em: 10 dez. 2022.

TAMANINI, M. Saúde-doença na interação entre gênero e trabalho: Um estudo das representações das empregadas domésticas.1997. 168 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1997.

VILLELA, F. G. Manual de direito do trabalho: teoria e questões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

ZANATTA, A.; LUCCA, S. R. Prevalência da Síndrome de Burnout em profissionais da Saúde de um Hospital oncohematológico infantil. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 49, n. 2, p. 253-260, 2015. DOI: 10.1590/S0080-623420150000200010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reeusp/a/cvKzVj4FTrSbBqfv9WYDc7h/abstract/?lang=pt. Acesso em: 2 ago. 2022.

Publicado

23/03/2023

Como Citar

FEITOSA, R.; MARIANO, M. L. Trabalho análogo à escravidão: A importância da atuação do psicólogo na saúde mental do trabalhador. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 19, n. 00, p. e023004, 2023. DOI: 10.26673/tes.v19i00.17871. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/17871. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Área da Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)