Contribuições da terapia comunitária integrativa em ações da política nacional de assistência social

Doralice Oliveira Gomes

Resumo


A Política Nacional de Assistência Social (PNAS) brasileira, em 2004, propõe que a assistência seja implantada enquanto uma política social de proteção que considere a dimensão dos riscos e vulnerabilidades presentes na vida das pessoas, assim como os recursos e potencialidades que possuem para lidar com os desafios do existir. O presente artigo objetiva discorrer sobre as contribuições da Terapia Comunitária Integrativa (TCI) para a execução do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), desenvolvido nos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS). Para isto, utilizou como referência as rodas de TCI realizadas no CREAS de Samambaia-DF, no período entre 2014/2015, totalizando 18 encontros. Esse estudo de orientação qualitativa foi realizado por meio do registro das rodas e da catalogação dos temas e estratégias de superação apresentados pela comunidade. Os resultados alcançados mostram que as rodas contribuíram com os objetivos do PAEFI, tais como: o convívio comunitário, a criação de rede de apoio e o fortalecimento de vínculos familiares num contexto de acolhimento e não julgamento.


Palavras-chave


Assistência social; Terapia comunitária integrativa; Proteção e atendimento especializado a famílias e indivíduos;

Texto completo:

PDF




Temas em Educ. e Saúde, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN 2526-3471, ISSN 1517-7947

Prefixo DOI: 10.26673/rtes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.