O uso das parlendas na terapia comunitária integrativa

Autores

  • Doralice Oliveira Gomes
  • Nair Meneses dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v12i2.10224

Palavras-chave:

Parlendas. Cultura popular. Terapia comunitária integrativa. Músicas infantis.

Resumo

O estudo objetivou refletir sobre o uso das parlendas na Terapia Comunitária Integrativa (TCI). As parlendas integram a cultura popular e são versinhos com rima fácil que tratam de temas infantis, envolvendo, muitas vezes, a associação entre o recitar e o expressar-se corporalmente. Trata-se de um estudo qualitativo, realizado por meio da revisão de literatura, e da descrição do uso de parlendas em dois grupos de Terapia Comunitária Integrativa no Distrito Federal, no período de 2015 a 2016. O estudo sinaliza que o uso das parlendas nas rodas de TCI evidenciou a importância da valorização da identidade cultural como estratégia terapêutica, contribuindo para o acolhimento dos participantes, entrosamento, fortalecimento de vínculos, diminuição da tensão, possibilidades de ressignificar os problemas e superar vivências de sofrimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARVATI, F. Z.; CURZIO, E. A. C. R. D. Jogos e brincadeiras na Terapia Comunitária. Instrumentos para manutenção do aquecimento do grupo. Relato de Experiência. In.: GRANDESSO, M.; RIVALTA, M. C. B. Terapia comunitária integrativa. Tecendo redes para a transformação social. Saúde, educação e políticas públicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

BARRETO, A. Terapia comunitária integrativa passo a passo. Fortaleza: Gráfica LCR, 2008.

BARRETO, A.; BOYER, J. P. O índio que vive em mim: o itinerário de um psiquiatra brasileiro. São Paulo: Editora Terceira Margem, 2003.

BRAGA, H.; FERNANDES, R. Cancioneiro folclórico infantil. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1970.

CAIFCOM. Programação do curso de pós-graduação lato sensu em terapia comunitária integrativa. Centro de atendimento, ensino e pesquisa do indivíduo família e comunidade. Porto Alegre, 2017. Disponível em: <http://www.caifcom.com.br/pos/index.php?pos=61>. Acesso em: 29 jan. 2016.

CANTIGAS POPULARES. Disponível em: <https://www.letras.mus.br/cantigas-populares>. Acesso em: 29 jan. 2017.

CAMAROTTI, H.; GOMES, D. O. Terapia Comunitária Integrativa: circularidade nas relações sociais. In: OSÓRIO, L. C.; VALLE, M. E. P. (Orgs.). Manual de terapia familiar. Porto Alegre: Artmed, 2009.

CARÍCIO, M. R. Terapia comunitária: um encontro que transforma o jeito de ver e conduzir a vida. 2010. 133p. Dissertação de Mestrado. Mestrado em Enfermagem. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, PB, 23 de fevereiro de 2010.

FIX, S. A. B.; LEITE, M. S. V.; GALVANI, C. Algumas reflexões sobre a inserção da música nos encontros de Terapia Comunitária no CEAF (Centro de Assistência à Família). In.: GRANDESSO, M.; RIVALTA, M. C. B. Terapia comunitária integrativa. Tecendo redes para a transformação social. Saúde, educação e políticas públicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

GOMES, D. O. A expansão da terapia comunitária integrativa no Brasil e sua inserção em ações de políticas públicas nacionais. 2013. 154p. Dissertação de Mestrado. Mestrado Acadêmico em Saúde da Família. Universidade Federal do Ceará. Sobral, CE, 23 de agosto de 2013.

MARCONI, M. A.; PRESOTTO, Z. M. N. Antropologia: uma introdução. São Paulo: Atlas, 2008.

MARTINS, M. C. M. et al. Brincadeiras Cantadas. In.: GRANDESSO, M.; RIVALTA, M. C. B. Terapia comunitária integrativa. Tecendo redes para a transformação social. Saúde, educação e políticas públicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

NATERA, G. Brincadeira e música: orientações necessárias. Revista núcleo pedagógico de educação e arte: arte no campo, Florianópolis, v. 9, p. 35-50, 2011.

NOVA, S. V. Introdução à sociologia. São Paulo: Atlas, 2011.

OLIVEIRA, P. S. Introdução à sociologia. São Paulo: Editora Ática, 2005.

OLIVEIRA, D. S. T.; FERREIRA FILHA, M. O. Contribuição dos recursos culturais para a Terapia Comunitária Integrativa na visão do terapeuta. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 32, n. 3, Porto Alegre, set. 2011.

SALVADOR, Prefeitura Municipal de. Adivinhas, charadas, parlendas, provérbios e trava–línguas. Educação infantil/ciclos de aprendizagem I e II / educação de jovens e adultos. Prefeitura Municipal de Salvador. Salvador: 2007.

SILVA, M. R. G. A metáfora na linguagem da terapia comunitária: estudo de caso com pais de alunos do 1º ciclo do Ensino Fundamental de uma Escola Municipal de Ipatinga - MG. 2010. 154p. Dissertação de Mestrado. Mestrado Acadêmico em Educação e Linguagem. Centro Universitário de Caratinga. Caratinga, MG, 10 de novembro de 2010.

SOARES, M. S.; SILVA, T. A. Literatura oral: as parlendas e o lúdico na escola. Revista de Letras, Artes e Comunicação. Blumenau, n. 1, v. 3, p. 31-43, jan/abr. 2009.

SOUZA, G. M. L.; SILVA, P. M. C.; AZEVEDO, E. B.; FERREIRA FILHA, M. O.; SILVA, V. C. L.; ESPINOLA, L. L. A contribuição da terapia comunitária no processo de saúde-doença. Cogitare Enfermagem, v. 16, n. 4, p. 682-688, 2011.

ZAGO, R. Entrevista sobre a importância da criança interior. Disponível em: <http://www.somostodosum.com.br/artigos/autoconhecimento/entrevista-sobre-a-importancia-da-crianca-interior-14854.html>. Acesso em: 29 jan. 2016.

Downloads

Publicado

01/12/2016

Como Citar

GOMES, D. O.; SANTOS, N. M. dos. O uso das parlendas na terapia comunitária integrativa. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 12, n. 2, p. 145–162, 2016. DOI: 10.26673/tes.v12i2.10224. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/10224. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação