O ensino de português como língua não-materna: uma experiência de ensino-aprendizagem e acolhimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7iesp.6.15434

Palavras-chave:

Português Língua Não-Materna, Acolhimento, Relato de experiência

Resumo

O presente artigo tem como objetivo relatar uma experiência de ensino de Português como Língua Adicional (PLA) para o acolhimento de uma família de líbios e de argelinos que, atualmente, vive na cidade de Marília, no interior do estado de São Paulo. O processo descrito vem sendo desenvolvido como parte de uma pesquisa de iniciação científica, com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), de um estudante do curso de licenciatura em Letras de uma universidade pública situada no interior do estado de São Paulo. O aporte teórico fundamenta-se em uma abordagem intercultural para o ensino de línguas. As considerações finais apontam para a necessidade de se compartilhar essas experiências para o fortalecimento da área do Português como Língua Não-Materna (PLNM).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karin Adriane Henschel Pobbe Ramos, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Assis – SP – Brasil

Docente do Departamento de Estudos Linguísticos, Literários e da Educação.

Eric Santos do Nascimento, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Assis – SP – Brasil

Discente do curso de Letras.

Referências

ANUNCIAÇÃO, R. F. M. A língua que acolhe pode silenciar? Reflexões sobre o conceito de “português como língua de acolhimento”. Revista X, Curitiba, PR. v. 13, n. 1, p. 35-56, 2018.

GROSSO, M. J.; TAVARES, A.; TAVARES, M. O português para falantes de outras línguas: o utilizador independente no país de acolhimento. 1. ed. Lisboa: Agência Nacional para a Qualificação, I.P., 2009.

GROSSO, M. J. Língua de acolhimento, língua de integração. Horizontes de Linguística Aplicada, v. 9, n. 2, p. 61-77, 2010.

KRAMSCH, C. The symbolic dimensions of the intercultural. Language and Teaching, v. 44, n. 3, p. 354-367, 2011.

LEFFA, V. J. Língua estrangeira: ensino e aprendizagem. Pelotas: EDUCAT, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Trabalhando com a educação de jovens e adultos: avaliação e planejamento. Brasil, DF: MEC, 2006. Disponível em: https://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja_caderno4.pdf. Acesso em: 28 ago. 2021.

MENDES, E. O português como língua de mediação cultural: por uma formação intercultural de professores e alunos de PLE. In: MENDES, E. (org.) Diálogos interculturais: ensino e formação em português língua estrangeira. Campinas, SP: Pontes, 2011.

MIGRATION PORTAL DATA. Total number of international migrants at mid-year 2020. Disponível em: https://www.migrationdataportal.org/international-data?i=stock_abs_&t=2020. Acesso em: 28 ago. 2021.

SCHLATTER, M.; GARCEZ, P. Referenciais curriculares para o ensino de língua espanhola e língua inglesa. Porto Alegre: Secretaria de Educação do Estado, 2009. p. 127-172.

Publicado

28/12/2021

Como Citar

RAMOS, K. A. H. P.; NASCIMENTO, E. S. do. O ensino de português como língua não-materna: uma experiência de ensino-aprendizagem e acolhimento. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 7, n. esp.6, p. e021146, 2021. DOI: 10.29051/el.v7iesp.6.15434. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/15434. Acesso em: 20 maio. 2022.