O ensino-aprendizagem de PLAc para adolescentes haitianos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7iesp.6.15439

Palavras-chave:

Ensino-aprendizagem de PLAc, Imigrante haitiano, Adolescente, Acolhimento

Resumo

Este estudo de caso qualitativo tem como foco o processo ensino-aprendizagem de português na perspectiva de língua de acolhimento (PLAc). O suporte teórico inclui estudos sobre o fluxo migratório, especialmente para o Brasil, e sobre o ensino de português como parte da acolhida humanitária. O contexto é uma turma de PLAc, cujas aulas ocorreram em 2018 e 2019. Os participantes são 3 adolescentes, imigrantes haitianos, e a professora deles. Os dados foram gerados a partir de plano de aula, material didático, exercício escrito, questionário e o diário reflexivo da professora. Os resultados mostram que as aulas de PLAc contribuíram para o aprimoramento da compreensão e produção escrita e que a aprendizagem se estrutura na relação afetiva entre os alunos e a professora. Para a professora, a experiência com a docência em contexto de PLAc ampliou-lhe os horizontes para um processo ensino-aprendizagem que acolhe e promove a integração do imigrante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danaine Gricélias de Morais, Instituto Federal de Goiás (IFG), Goiânia – GO – Brasil

Licenciada em Letras: Língua Portuguesa.

Suelene Vaz da Silva, Instituto Federal de Goiás (IFG), Goiânia – GO – Brasil

Professora EBTT. Departamento de Áreas Acadêmicas I.

Referências

ACNUR. Relatório global do ACNUR revela deslocamento forçado de 1% da humanidade. 2020a. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/2020/06/18/relatorio-global-do-acnur-revela-deslocamento-forcado-de-1-da-humanidade/. Acesso em: 13 fev. 2021.

ACNUR. Refugiados. 2020b. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/quem-ajudamos/refugiados/. Acesso em: 13 fev. 2021.

ANDRÉ, M. E. D. A. Estudo de caso: seu potencial na educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 49, p. 51-14, 1984.

BRASIL. Lei n. 13.445, de 24 de maio de 2017. Institui a Lei de Migração. Brasília, 25 maio. 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13445.htm. Acesso em: 15 maio 2019.

BRASIL. Lei n. 6.815, de 19 de agosto de 1980. Define a situação jurídica do estrangeiro no Brasil, cria o Conselho Nacional de Imigração. Brasília, DF, 21 ago. 1980. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6815.htm. Acesso em: 15 maio 2019.

COSTA, E. J; SILVA, F. C. Legislação migratória e português como língua de acolhimento: reflexões sobre políticas linguísticas e lingua(gem). Revista de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Linguística e Literatura, ano 14, n. 23, p. 598-612, 2018. ISSN 1807-5193. Disponível em: http://minasfazciencia.com.br/wp-content/uploads/2019/02/artigoLetraMagna.pdf. Acesso em: 10 fev. 2021.

FERNANDES, D.; FARIA, A. V. de. O visto humanitário como resposta ao pedido de refúgio dos haitianos. Revista Brasileira de Estudos de População, Belo Horizonte, v. 34, n. 1, p. 145-161, jan./abr. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbepop/v34n1/0102-3098-rbepop-34-01-00145.pdf. Acesso em: 13 fev. 2021.

GROSSO, M. J. Língua de acolhimento, língua de integração. Horizontes de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 9, n. 2, p. 61-77, 2010. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/horizontesla/article/view/886/771. Acesso em: 01 jan. 2021.

ILLES, P.; SOUSA, R. Todos somos migrantes: análise crítica da atual política migratória brasileira. Frente Brasil Popular - CDHIC, 2012. Disponível em: http://cdhic.cut.org.br/imprimir/news/7e1df0f7e671fb26ee2fc55793b714b0/. Acesso em: 16 fev. 2021.

MILESI, R.; MARINUCCI, R. Apontamentos sobre Migrações e Refúgio no Contexto Internacional e Nacional. In: JUBILUT, L. L.; GODOY, G. G. (org.). Refúgio no Brasil: Comentários à Lei 9.474/97. São Paulo: Quartier Latin/ACNUR, 2017. p. 27-40. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/wpcontent/uploads/2018/02/Ref%C3%BAgio-no-Brasil-Coment%C3%A1rios-%C3%A0-lei-9.474-97-2017.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

ONU. Assembleia Geral das Nações Unidas. Convenção relativa ao Estatuto dos Refugiados. 1951. Disponível em: http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Refugiados-Asilos-Nacionalidades-e-Ap%C3%A1tridas/convencao-de-genebra-relativa-ao-estatuto-dos-refugiados.html. Acesso em: 05 dez. 2020.

ONU. Assembleia Geral das Nações Unidas. Convenção relativa ao Estatuto dos Refugiados. 1967. Disponível em: https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/BDL/Convencao_relativa_ao_Estatuto_dos_Refugiados.pdf. Acesso em: 05 dez. 2020.

SALADINI, A. P. S. Trabalho e imigração: os direitos sociais do trabalhador imigrante sob a perspectiva dos direitos fundamentais. 2011. 285 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Jurídica) – Centro de Ciências Sociais Aplicadas do Campus de Jacarezinho da Universidade Estadual do Norte do Paraná, Jacarezinho, 2018. Disponível em: https://uenp.edu.br/pos-direito-teses-dissertacoes-defendidas/direito-dissertacoes/1964-ana-paula-sefrin-saladini/file. Acesso em: 18 jan. 2021.

SÃO BERNARDO, M. A. Português como língua de acolhimento: um estudo com imigrantes e pessoas em situação de refúgio no Brasil. 2016. 206 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8126?show=full. Acesso em: 27 maio 2019.

SOUSA, R. Imigração haitiana no Brasil. Mundo Educação, p. 1-5, 2019. Disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/imigracao-haitiana-no-brasil.htm. Acesso em: 13 maio. 2019.

WERMUTH, M. Â. D. As políticas migratórias brasileiras do século XIX ao século XXI: uma leitura biopolítica do movimento pendular entre democracia e autoritarismo. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p. 2330-2358, 2020. DOI: 10.1590/2179-8966/2020/45137| ISSN: 2179-8966

Publicado

28/12/2021

Como Citar

MORAIS, D. G. de; SILVA, S. V. da. O ensino-aprendizagem de PLAc para adolescentes haitianos. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 7, n. esp.6, p. e021148, 2021. DOI: 10.29051/el.v7iesp.6.15439. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/15439. Acesso em: 20 maio. 2022.