Interações da linguagem e da matemática

Cesaro – como somatória para certas séries divergentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v9i00.17895

Palavras-chave:

Linguagem, Matemática, Polinômios eulerianos, Relação de recorrência, Cesaro – como soma

Resumo

A matemática tem sua linguagem especial, incluindo gramática e símbolos compartilhados por matemáticos universalmente, independentemente de sua língua materna. Como a matemática é a mesma em todo o mundo, ela pode servir como uma linguagem global. A ideia de atribuir certos valores finitos específicos a determinadas séries divergentes é chamada de Soma de Cesaro. Este artigo tenta analisar a interação entre matemática e linguagem, considerando Cesaro – como soma para certas séries divergentes. Para atingir esse objetivo, polinômios eulerianos são utilizados. Além disso, um novo método de determinação de valores de soma de Cesaro integrando funções geradoras particulares é definido sobre os intervalos fechados e limitados para uma série de potência infinita geral cujos coeficientes são milésimas potências de números naturais. As respostas obtidas fornecem novos insights sobre a compreensão do processo de soma de Cesaro e oferecem uma grande generalização e também revelam a misteriosa interação da matemática e da linguagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ramaswamy Sivaraman, Dwaraka Doss Goverdhan Doss Vaishnav College, Chennai – India

Associate Professor, Department of Mathematics.

Referências

BLUMS, A. et al. Building links between early socioeconomic status, cognitive ability, and math and science achievement. Journal of Cognition and Development, v. 18, n. 1, p. 16-40, 2017.

GENLOTT, A. A.; GRÖNLUND, Å. Closing the gaps–Improving literacy and mathematics by ict-enhanced collaboration. Computers & Education, n. 99, p. 68-80, 2016.

HOFMANN, R.; MERCER, N. Teacher interventions in small group work in secondary mathematics and science lessons. Language and education, v. 30, n. 5, p. 400-416, 2016.

LEHRL, S. et al. Long-term and domain-specific relations between the early years home learning environment and students’ academic outcomes in secondary school. School Effectiveness and School Improvement, v. 31, n. 1, p. 102-124, 2020.

LEYVA, D. et al. Teacher–child interactions in Chile and their associations with prekindergarten outcomes. Child development, v. 86, n. 3, p. 781-799, 2015.

MARTIN, D. P.; RIMM-KAUFMAN, S. E. Do student self-efficacy and teacher-student interaction quality contribute to emotional and social engagement in fifth grade math?. Journal of school psychology, v. 53, n. 5, p. 359-373, 2015.

PENG, P. et al. Examining the mutual relations between language and mathematics: A meta-analysis. Psychological Bulletin, v. 146, n. 7, p. 595, 2020.

PURPURA, D. J.; REID, E. E. Mathematics and language: Individual and group differences in mathematical language skills in young children. Early Childhood Research Quarterly, v. 36, p. 259-268, 2016.

REDISH, E. F.; KUO, E. Language of physics, language of math: Disciplinary culture and dynamic epistemology. Science & Education, v. 24, n. 5, p. 561-590, 2015.

RIMM-KAUFMAN, S. E. et al. To what extent do teacher–student interaction quality and student gender contribute to fifth graders’ engagement in mathematics learning?. Journal of Educational Psychology, v. 107, n. 1, p. 170, 2015.

ULATOWSKI, F. et al. Recognizing the limited applicability of Job plots in studying host–guest interactions in supramolecular chemistry. The Journal of organic chemistry, v. 81, n. 5, p. 1746-1756, 2016.

Publicado

22/03/2023

Como Citar

SIVARAMAN, R. Interações da linguagem e da matemática: Cesaro – como somatória para certas séries divergentes. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 9, n. 00, p. e023007, 2023. DOI: 10.29051/el.v9i00.17895. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/17895. Acesso em: 19 abr. 2024.