O problema fundamental da política

Olhares antropológicos e o senso político

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29373/sas.v11iesp.1.17047

Palavras-chave:

Prática, Senso político, Pierre Bourdieu, Antropologia política, Sociologia política

Resumo

Esse artigo tem por objetivo apresentar caminhos teóricos que possibilitem analisar a prática política enquanto uma agência. Nesse sentido apresenta, uma discussão teórica que aproxima alguns momentos em que os estudos antropológicos se dedicaram a questões próprias ao universo político e as reflexões sobre as práticas políticas e seus modos de produção presentes na obra de Pierre Bourdieu. Desta aproximação, resultam os seguintes entendimentos: i) os modos de produção das práticas políticas permitem entender a existência de uma lógica própria a um possível campo político com regras e pensamentos definidos e legitimamente reconhecidos; ii) os modos de produção das práticas políticas revelam a existência de outras lógicas, outras regras e outros modos de pensar sobre a política e seu funcionamento que não são reconhecidos e, por isso, não são legitimados socialmente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Aparecido dos Santos, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo – SP – Brasil

Faculdade de Educação. TRAMAS - Laboratório de pesquisa em educação, transmissão intergeracional, trabalho e política - USP.

Renata Medeiros Paoliello , Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara – SP – Brasil

Professora do Departamento de Ciências Sociais.

Referências

ARRUTI, J. M.; MONTERO, P.; POMPA, C. Para uma antropologia do político. In: LAVELLE, A. G. (Org). O horizonte da política: Questões emergentes e agendas de pesquisa. São Paulo: Ed. Unesp / Cebrap, 2012.

BOURDIEU, P. A Distinção: Crítica social do julgamento. Porto Alegre: Editora Zouk, 2007a.

BOURDIEU, P. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (org.). Escritos de Educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2007b.

BOURDIEU, P. A economia das trocas linguísticas. In: ORTIZ, R. Bourdieu sociologia. (org.). São Paulo: Ática, 1983a.

BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Editora Marco Zero Limitada, 1983b.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BOURDIEU, P. O senso prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

BOURDIEU, P. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Campinas, SP: Papirus, 2011a.

BOURDIEU, P. O campo político. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 5, p. 193-216, jan./jul. 2011b.

KUSCHNIR, K. Antropologia e política. Dossiê: métodos e explicações da política. Rev. Brasileira Ciências Sociais, v. 22, n. 64. p. 163-167, 2007a.

KUSCHNIR, K. Antropologia da política: Uma perspectiva brasileira. Centre for Brazilian Studies, University of Oxford, Working Paper, 2007b. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

LEACH, E. Sistemas Políticos da Alta Birmânia. São Paulo: EDUSP. 1995.

PALMEIRA, M.; BARREIRA, C. (org.). Política no Brasil: Visões de Antropólogos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2006.

PEIRANO, M. G. S. Antropologia política, ciência política e antropologia da política. In: SÉRIE ANTROPOLOGIA 231: Três ensaios breves. Brasília, 1997. p. 15-26.

WACQUANT, L. Esclarecer o habitus. Educação & Linguagem, São Bernardo do Campo, ano 10, n. 16, p. 63-71, jul./dez. 2007. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/article/view/126/136. Acesso em: 04 ago. 2020.

WACQUANT, L. Habitus. In: CATANI, A. M. et al. (org.). Vocabulário Bourdieu. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

Publicado

26/12/2022

Como Citar

SANTOS, A. A. dos; PAOLIELLO , R. M. O problema fundamental da política: Olhares antropológicos e o senso político. Revista Sem Aspas , [S. l.], v. 11, n. esp.1, p. e022016, 2022. DOI: 10.29373/sas.v11iesp.1.17047. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/semaspas/article/view/17047. Acesso em: 6 fev. 2023.