A dermatoglifia na educação física escolar e sua relação com o esporte e a saúde: um estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v14i2.11812

Palavras-chave:

Dermatoglifia, Educação física escolar, Esporte, Saúde.

Resumo

Este artigo objetiva descrever a prevalência das cristas dermopapilares de uma turma de 9º ano no que se refere ao estudo da dermatoglifia, relacionando-a com a saúde e o esporte nas aulas de Educação Física escolar. A dermatoglifia é um instrumento de avaliação física e que pode ser uma proposta de aplicação no ambiente educativo. A pesquisa foi feita em uma escola pública no município de Coronel Sapucaia – Mato Grosso do Sul no ano de 2017. Foram coletadas impressões digitais de 31estudantes, sendo 10 do sexo masculino e 21 do sexo feminino, utilizando rolo de entintamento, plaquetas, tinta para coleta de impressões digitais e folha sulfite A4. Os resultados apontaram a prevalência de presilha em ambos os sexos, portanto, os sujeitos possuem velocidade e explosão, podendo praticar o atletismo, por exemplo. É possível observar as impressões digitais dos dedos das mãos e correlacionar com potencialidades para as capacidades biofísicas, como força, velocidade, coordenação motora e resistência e aliar genótipo e fenótipo amplia as possibilidades de encaminhamento no que tange a orientação de talentos, planejamento do treinamento desportivo, preparação física e prescrição de exercícios na promoção de saúde e afins. Logo, conclui-se que o profissional de Educação Física escolar tem um papel fundamental no desenvolvimento biomotor dos estudantes, contribuindo para o aprimoramento de suas valências físicas e promoção da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Moreira de Sousa, Docente do Curso de Educação Física, das Faculdades Magsul, Ponta Porã - MS - Brasil. Professora da Educação Básica da Rede Estadual de Ensino.

Mestre em Educação. Docente do Curso de Educação Física, das Faculdades Magsul, Ponta Porã - MS - Brasil. Professora da Educação Básica da Rede Estadual de Ensino.

Deyvid Tenner de Souza Rizzo, Professor Adjunto do Curso de Educação Física no Centro de Ciências Humanas, Naturais, Saúde Tecnologia/CCHNST da Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro.

Doutor em Ciências do Desporto. Professor Adjunto do Curso de Educação Física no Centro de Ciências Humanas, Naturais, Saúde Tecnologia/CCHNST da Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro.

Vanilda Espindola da Silva, Curso de Educação Física, Faculdades Magsul.

Graduada em Educação Física, pelas Faculdades Magsul, Ponta Porã - MS - Brasil.

Referências

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: temas transversais. Brasília: SEB/MEC: 1997.

DANTAS, P. M. S.; ALONSO, L.; FERNANDES FILHO, J. Futsal e dermatoglifia. In: DANTAS, E. H. M.; FERNANDES FILHO, J. Atividade física em ciências da saúde. Rio de Janeiro: Shape, 2005. p. 82 - 108.

FERNANDES FILHO, J. A prática da avaliação física. Shape. Rio de Janeiro, 2003.

FERNANDES FILHO, J.; FERNANDES, P. R. Estudo comparativo da dermatoglifia, somatotipia e do consumo máximo de oxigênio dos atletas da seleção brasileira de futebol de campo, portadores de paralisia cerebral e de atletas profissionais de futebol de campo, não portadores de paralisia cerebral. Fitness & Performance, v. 3, n. 3, p. 158, maio/jun., 2004. Disponível em: http://fpjournal.org.br/painel/arquivos/1453-5_Futebol_Rev3_2004_Portugues.pdf. Acesso em: 14 set. 2017.

FERNANDES FILHO, J.; DANTAS, P. M. S.; FERNANDES, P. R. Genética e treinamento esportivo: o uso prático da dermatoglifia. Atlas do Esporte no Brasil. Rio de Janeiro: CONFEF, 2006, p. 137. Disponível em: http://cev.org.br/arquivo/biblioteca/4013578.pdf. Acesso em: 17 set. 2017.

GIRALDI, S. Revisão histórica dos dermatóglifos e estudo comparativo entre o método tradicional de impressão palmar com tinta e método de escaneamento digital em um grupo de escolares de Curitiba, Paraná. Tese de Pós-Graduação Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2011. Disponível em: http://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/29324. Acesso em: 15 out. 2017.

NASCIMENTO, J. C. Identificação dos perfis dermatoglíficos, somatotípicos e motores em atletas de futsal com idade de 13 a 15 anos do sexo masculino da Universidade de Rio Verde- Goiás. Universidade de Brasília. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde. Brasília- DF, 2010.

RIZZI, A. E. K.; MARCELINO, P. C. Algumas premissas sobre os estudos em dermatoglifia no esporte e nas áreas da saúde. Revista Digital, Buenos Aires, ano 18, n. 184, set. 2013. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd184/dermatoglifia-no-esporte-e-saude.htm. Acesso em: 20 set. 2017.

ROLIM FILHO, N. G.; FERNANDES FILHO, J. Identificação do perfil dermatoglífico e somatotípico de pentatletas modernos brasileiros de alto rendimento. Revista de Educação Física, Rio de Janeiro, v. 16, n. 139, 2007. Disponível em: http://177.38.96.106/index.php/revista/article/view/503 20. Acesso em: 20 set. 2017.

SOUZA, W. C. et al. A importância da dermatoglifia na detecção de talentos no esporte: estudo de revisão. Revista Saúde e Meio Ambiente, Revista Interdisciplinar, v. 3, n. 1, p. 31-43, jan./jun. 2014. Disponível em: http://www.periodicos.unc.br/index.php/sma/article/view/532/427. Acesso em: 18 out. 2017.

Downloads

Publicado

30/11/2018

Como Citar

MOREIRA DE SOUSA, A. P.; DE SOUZA RIZZO, D. T.; DA SILVA, V. E. A dermatoglifia na educação física escolar e sua relação com o esporte e a saúde: um estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 14, n. 2, p. 229–241, 2018. DOI: 10.26673/tes.v14i2.11812. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/11812. Acesso em: 20 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação