A criança interior e o casamento: reflexões a partir do curso Cuidando do Cuidador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v16iesp.1.14304

Palavras-chave:

Criança interior, Relacionamento conjugal, Autoconhecimento.

Resumo

O objetivo desse estudo de caso, foi compreender o efeito da descoberta da criança interior no relacionamento conjugal dos participantes do Curso: TRA: Capacitação em Técnicas de Resgate da Autoestima - Cuidando do Cuidador. Trata-se de um estudo de caso de um casal avaliado por meio de entrevista, realizada após a vivência do resgate da criança interior no início do curso, gravações das partilhas das vivências e o registro de observações no caderno de notas da pesquisadora. Para analisar as opiniões coletadas, utilizou-se como metodologia a análise do discurso. Os resultados apontaram, uma maior consciência da interferência da criança interior no relacionamento conjugal e a necessidade de estar mais atento diante de suas manifestações para evitar futuros conflitos. Portanto, o curso Cuidando do Cuidador ofereceu um espaço de aprendizagem do acolhimento da criança interior e de autocuidado, bem como uma forma de aprender a cuidar do outro.

Biografia do Autor

Maria da Graça Pedrazzi Martini, Secretaria Municipal de Educação, Londrina – PR

Psicopedagoga Aposentada. Doutorado em Terapia Familiar e Casal (CAIFCOM). Diretora e formadora do Movimento Terapêutico: Espaço de Desenvolvimento Humano Graça Martini – Polo Formador em TCI.

Referências

ACKERMAN, N.W. Diagnóstico e tratamento das relações familiares. Porto alegre: Artes Médicas, 1986.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BENEDITO, V. D. Y. Amor conjugal e terapia de casal: uma abordagem arquetípica. São Paulo: Summus, 1996.

BOWEN M. De la familia al individuo: la diferenciación del si mismo en el sistema familiar. Barcelona: Paidós, 1978.

BOZZA, M. G. C. Argila: espelho da Auto expressão: um método para manifestação do inconsciente. 2. Ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. do autor, 2015.

BRAZ, M. P. et al. Relações Conjugais e Parentais: Uma Comparação entre Famílias de Classes Sociais Baixa e Média. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 18, n. 2, p. 151-161, 2005.

CARTER, B.; MCGOLDRICK, M. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para a terapia familiar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

CARVALHO L. A. P. P. O Jogo de Areia em terapia conjugal: uma proposta de intervenção. Universidade Presbiteriana Mackenzie. Faculdade de Psicologia. Monografia apresentada ao Programa de Iniciação Científica - Trabalho de Graduação Interdisciplinar da Faculdade de Psicologia; como parte dos requisitos para a obtenção do título de Psicólogo. São Paulo, 1999.

CASARJIAN, R. O livro do perdão: o caminho para o coração tranquilo. 6. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

DINIZ-NETO, O. Conjugalidade: proposta de um modelo construcionista social de terapia de casal. 2005. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005. (não publicada)

GROISMAN, M. O Código Da família: mandamentos que devem reger as relações familiares. Rio de Janeiro: Núcleo pesquisas, 2011.

GROISMAN, M. A arte de perdoar: terapia sistêmica breve no casamento e na infidelidade. Rio de Janeiro: Núcleo Pesquisas, 2013.

HILLMAN, J. Abandoning the Child. Eranos-Jahrbuch, v. 40, p. 357-407, 1971.

JUNG, C. G. A psicologia do arquétipo da criança. In: Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Obras Completas. vol. IX/1. 6. ed. Petrópolis: Vozes, p. 151-180, 2008.

JUNG, C. G. Símbolos da transformação. In: Obras Completas. vol. V. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

MARTINI, M. G.P. Quando o passado ainda dói-criança interior um caminho pra superar traumas e conflitos. Rio Grande do Sul: Ed. CAIFCOM, 2019.

MONTEIRO, A. M. Avanços no estudo da conjugalidade: os casais de dupla carreira. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 21, n. 3, p. 10-19, set. 2001. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932001000300003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 07 ago. 2020.

NORGREN, M. B. P. et al. Satisfação conjugal em casamentos de longa duração: uma construção possível. Estudos de Psicologia, v. 9, n. 3, p. 575-584, 2004.

ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. São Paulo: Cortez, 1988.

ROCHA-COUTINHO, M. L. A análise do discurso em psicologia: algumas questões, problemas e limites. In: SOUZA, L. de; FREITAS, M. F. Q. de; RODRIGUES, M. M. P. (Orgs.), Psicologia: reflexões (im)pertinentes. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998. p. 319-348.

Publicado

21/10/2020