Interfaces entre a formação de professores e o bem/mal-estar na docência na educação básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v17i00.15196

Palavras-chave:

Formação de professores, Bem e mal-estar docente, Necessidades psicológicas básicas, Educação básica

Resumo

O artigo enfatiza a relação da formação de professores com a questão do bem e mal-estar docente na Educação Básica e objetiva compreender quais são os impactos da docência na saúde dos profissionais da educação, especialmente no que tange à possibilidade de satisfação das necessidades psicológicas básicas dos indivíduos (autonomia, competência e pertencimento). A abordagem teórica e metodológica utilizada na elaboração do artigo contempla pesquisa bibliográfica, com viés qualitativo. A análise desses referenciais permite constatar que a formação de professores pode contribuir de modo decisivo para a realização profissional, engendrando a necessária competência, comprometimento e equilíbrio entre vida pessoal e a atividade laboral, fatores imprescindíveis para o bem-estar dos professores. Por meio dessa abordagem, espera-se salientar a relevância da qualificação permanente dos processos formativos e de políticas públicas que assegurem condições dignas de vida e de exercício da docência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosa Carine Menezes de Mattos, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus Frederico Westphalen, Frederico Westphalen – RS

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação. Escola de Educação Básica (URI), Campus São Luiz Gonzaga – RS – Brasil. Professora titular e Coordenadora Pedagógica.

Jordana Wruck Timm, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), Campus de Frederico Westphalen, Frederico Westphalen – RS

Bolsista de Pesquisa (PNPD/CAPES) e professora Colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

DAVOGLIO, T. R.; TIMM, J. W.; SANTOS, B. S.; CONZATTI, F. B. K. Necessidades psicológicas básicas: definições operacionais na docência universitária. ETD: Educação Temática Digital, v. 19, p. 510-531, 2017.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. The “What” and “Why” of goal pursuits: human needs and the self-determination of behavior. Psychological Inquiry, 2000, v. 11, n. 04, p. 227– 268. Disponível em: http://goo.gl/cvu9Ek. Acesso em: 04 abr. 2016.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. Self-determination theory: a macrotheory of human motivation, development, and health. Canadian Psychology, v. 49, n. 03, p. 182–185. ago. 2008.

DWORAK, A. P.; CAMARGO, B. C. Mal-Estar Docente: Um Olhar dos Professores. In: Anais... EDUCERE, 2017, p. 6913-6924.

ESTEVE, J. M. Mudanças sociais e função docente. In: António Nóvoa (Org.). Profissão professor. 2 ed., p. 93-124, Coleção Ciências da Educação. Porto, Portugal: Porto Editora, 1999.

FOSSATI, P.; GUTHS, H.; SARMENTO, D. F. Perspectivas para o Bem-estar na docência: trajetória de vida e produção de sentido. Revista Mal-estar e Subjetividade, Fortaleza - Vol. XII - Nº 1-2 - p. 271 - 298 - mar/jun 2013.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

NÓVOA, A. Diz-me como Ensinas, Dir-te-ei Quem és e Vice-Versa. In: FAZENDA, I. (org.). A pesquisa em educação e as transformações do conhecimento. Campinas (SP): Papirus, 1995.

NÓVOA, A. Devolver a formação de professores aos professores. Cadernos de Pesquisa em Educação - PPGE/UFES, Vitória, ES. a. 9, v. 18, n. 35, p. 11-22, jan./jun. 2012.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Constituição da Organização Mundial da Saúde. Documentos básicos, suplemento da 45ª edição, outubro de 2006. Disponível em espanhol em: https://www.who.int/governance/eb/who_constitution_sp.pdf. Acesso em: 16 jul. 2020.

PIMENTA, S. G. Professor Reflexivo: construindo uma crítica. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (orgs.). Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito – 3 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Overview of self-determination theory: an organismic dialectical perspective. In: DECI, Edward L.; RYAN, Richard. M. (Eds.). Handbook of self- determination research. Rochester, NY: University of Rochester Press. p. 03–33. 2002. Disponível em: http://goo.gl/7OgP4A. Acesso em: 04 abr. 2016.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Tradução de Francisco Pereira. Petrópolis: Vozes, 2002.

Publicado

28/06/2021

Como Citar

MATTOS, R. C. M. de; TIMM, J. W. Interfaces entre a formação de professores e o bem/mal-estar na docência na educação básica. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 17, n. 00, p. e021014, 2021. DOI: 10.26673/tes.v17i00.15196. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/15196. Acesso em: 30 nov. 2021.