A voz na qualidade de vida: percepção de educadores do ensino infantil

Autores

  • Maria Lúcia Suzigan Dragone Doutoranda em Educação Escolar. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras – Programa de Pós-graduação em Educação Escolar. Araraquara – SP – Brasil. 14800-901. UNIARA – Centro Universitário de Araraquara. Araraquara – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v5i0.9504

Palavras-chave:

Educadores, Voz, Qualidade de vida,

Resumo

A presença de fatores que interferem no bem-estar humano define a qualidade de vida das pessoas, a voz é um desses fatores. Este texto teve por objetivo comparar a qualidade vocal de educadores (ensino infantil público) com índices de qualidade de vida e voz. Participaram deste estudo 93 educadores, que permitiram que suas amostras vozes fossem gravadas em áudio para estabelecer a qualidade vocal segundo avaliação perceptivo auditiva utilizando escala GRBASI. Para que se observasse a relação entre voz e qualidade de vida os professores responderam um questionário padronizado para se obter índices de qualidade de vida associados à produção da voz. Foi possível constatar que a maioria dos educadores apresentou vozes alteradas com graus variando de discretos a severos e as relações realizadas mostraram que houve referência de interferência da voz na qualidade de vida em todos sujeitos com vozes alteradas. Assim, a voz parece ser um fator que compõe a qualidade de vida dos educadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

07/03/2017

Como Citar

DRAGONE, M. L. S. A voz na qualidade de vida: percepção de educadores do ensino infantil. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 5, 2017. DOI: 10.26673/tes.v5i0.9504. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/9504. Acesso em: 19 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos