A fisicalidade como possível chave para compreender a natureza humana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7iEsp1.14885

Palavras-chave:

Natureza, Fisicalidade, Corpo, Homem, Esporte, Doping, Entretenimento, Fato social

Resumo

não nega a presença do substrato de sua origem, manifestações, especificidade e dinâmica real no espaço e no tempo. No processo de análise, encontramos muitos argumentos que confirmam esse fato, bem como um número razoável de contra-argumentos. Neste artigo, a priori, partimos da validade da existência do termo "natureza humana", reconhecendo sua ambiguidade. Claro, nossa fisicalidade declarada como um aspecto da natureza humana não esgota a ideia de sua natureza. A divisão nominal em alma, espírito, etc. nos dá algumas ferramentas metodológicas. Não mais do que isso. A fisicalidade, por sua vez, requer problematização. "Fisicalidade" é uma categoria que denota o que um determinado corpo humano naturalmente se torna no decorrer de suas modificações sociais, portanto, essa categoria certamente não pode ser considerada fora da conjunção com outra categoria muito importante - "espiritualidade". Esses conceitos, assim como os fenômenos que denotam, estão inter-relacionados (MORGAN, 2006). Em nossa revisão, existem três maneiras principais de interpretar "Fisicalidade". Em primeiro lugar, é a única factualidade que inicialmente reivindica o status ontológico. Em segundo lugar, é parte de um todo harmonioso que inclui todas as coisas incorpóreas. Gostaria de me concentrar no terceiro aspecto, que inclui pelo menos três princípios. Em terceiro lugar, a fisicalidade muda seu "destino" aparentemente simples de maneira dramática, tornando-se um problema como forma da existência humana. Isso pode ser interpretado "como um ato criativo de superação de si mesmo". Somente essa superação do eu presente que se pressupõe uma confiança em sua relevância e realidade. Este evento ontologicamente condicionado é sempre baseado em si mesmo. Nesse sentido, o corpo como fenômeno criativo “nunca aparece por si só”. Mas é justamente a superação que é a característica constitutiva da existência humana. O homem é maior do que ele mesmo. Podemos dizer que o problema é um modo de ser humano. O problema na forma mais primitiva pode ser expresso como "Eu já quero, mas ainda não posso"”. De onde vem o desejo se o objeto de desejo (a situação desejada) ainda não está disponível? Como pode você quer algo que ainda não existe e nunca existiu? O próprio homem está alguns passos à frente (BUBLIK, 2006). A racionalidade humana se baseia não só na refletividade, mas também na capacidade de uma pessoa operar com ideias que não tem visibilidade objetiva (por exemplo, a categoria última do ser). Assim, o homem prova sua metafisicalidade: "a metafísica do homem expressa não só a presença da dimensão sobrenatural no homem, mas também sua capacidade de determinar a si mesmo, de ser sua própria criação". Os principais métodos usados para escrever o artigo são: a unidade histórica e lógica, o método de reflexão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zulfiya Z. Ibragimova, Kazan Federal University (KPFU), Kazan

Associate Professor of the Department of General philosophy of the Institute of social and philosophical Sciences and Mass Communications.

Referências

BOURDIEU, P. Kak mozhno byt' sportivnym bolel'shhikom? [How can I be a sports fan?]. Logos, n. 6, p. 99-113, 2009. Available: http://ecsocman.hse.ru/text/30790017.html. Access: 25 fev. 2020.

BUBLIK, P. I. Chelovekorazmernost' kak posil'nost' social'nogo opyta. [Human dimension as the power of social experience.] 2006. Available: http://netgorod.narod.ru/articls/Bublic_4elovekorazmernost.htm. Access: 25 fev. 2020.

ELIAS, N. The genesis of sport as a sociological problem. The sociology of sport: A selection of readings, p. 88-115, 1971.

GRIFFITH, J. Thinking descartes in conjunction, with merleau-ponty: the humanbody, the future, and historicity (original title: thinking descartes in conjunction, with merleau-ponty: the human body, the future, and historicity). Filozofia, v. 74, n. 2, p. 111-125, 2019. Available: http://www.klemens.sav.sk/fiusav/filozofia/?q=en/filozofia.2019.74.2.3. Access: 25 fev. 2020.

HUIZINGA, Y. V Teni zavtrashnego dnja. [In the shadow of tomorrow]. Available: http://booksonline.com.ua/review.php?book=157235. Access: 25 fev. 2020.

MAMARDASHVILI SENOKOSOV, M.Y. Strela poznanija. Nabrosok estestvennoistoricheskoj gnoseologii [The arrow of knowledge. Sketch of the natural history of epistemology] 2018. Available: https://books.google.ru. Access: 25 fev. 2020.

MAMARDASHVILI, M. K. Kartezianskie razmyshlenija [Cartesian reflections]. 2002.

MIHINA, F. Human nature: one of anthropological insolubilia? Filozofia, n. 4, p. 318-333, 2019.

MORGAN, W. Filosofija sporta Istoricheskij i konceptual'nyj obzor i ocenka ee budushhego. [Phylosophy of sports. Historical and conceptual review and assessment of its future] Moscow: Logos 3, 2006.

Philosophical readings. Saint Petersburg: Azbuka-klastika. 2002. 832 p. [Electronic resource]. Available: http://yanko.lib.ru/books/philosoph/mm=phil_readings=ann.html#_Toc84078707. Access: 25 fev. 2020.

SAYKINA, G. K. The metaphysics of man as an area of “purified” humanity. Asian Social Science, v. 10, n. 21, p. 122-127, 2014. Available: http: // www. scopus.com/inward/record. url?eid=2-s2. 0-84908318595&partnerID=40&md5=538859c16d469506f1de3c8a82bdc0e3. Access: 25 fev. 2020.

SOKOLOV, B.G. «Dumaj!»: telo ["Think!": body] (2001) Series " Symposium”, Russian mass culture of the end of the XX century. Saint Petersburg: Saint Petersburg Philosophical Society, 2011. 156 p. Available: http://anthropology.ru/ru/text/sokolov-bg/dumay-telo. Access: 25 fev. 2020.2011.

ZARKA,Y.CH. Does the Concept of Human Nature Still Make Sense?(Original title: Má ešte pojem ľudská prirodzenosť zmysel?)Filozofia, 2018, v. 73, n. 10, p. 777-789, 2018. Available: http://www.klemens.sav.sk/fiusav/filozofia/?q=en/ma-este-pojem-ludska-prirodzenost-zmysel. Access: 25 fev. 2020.

ZINCHENKO, V. P.; PODOROGA, V. Psihologija na kacheljah mezhdu dushoj i telom. Fenomenologija telesnosti [Psychology on a swing between the soul and the body". "Phenomenology of corporeality]. About the human soul and flesh: from speeches at the scientific and practical conference in Moscow state University "Interdisciplinary problems of psychology of corporeality, 2004. [Electronic resource]. Available: https://cyberleninka.ru/article/n/o-chelovecheskoy-dushe-i-ploti-iz-vystupleniy-na-nauchno-prakticheskoy-konferentsii-v-mosgu-mezhdistsiplinarnye-problemy-psihologii. Access: 25 fev. 2020.

Publicado

28/02/2021

Como Citar

IBRAGIMOVA, Z. Z. A fisicalidade como possível chave para compreender a natureza humana. Revista EntreLínguas, Araraquara, v. 7, n. Esp1, p. 162–172, 2021. DOI: 10.29051/el.v7iEsp1.14885. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14885. Acesso em: 12 abr. 2021.