Data-driven learning, tradução e secretariado executivo: proposta de abordagem de auto-estudo para aprendizes de inglês

Aline Cantarotti

Resumo


O contexto de ensino de línguas estrangeiras para a graduação em Secretariado Executivo tem características específicas que diferem do ensino de línguas estrangeiras geral por ter fins específicos, uma vez que usam a língua para finalidade profissional, ou comunicação empresarial internacional. Considerando tal contexto, o objetivo de nosso estudo é apresentar uma proposta de ensino usando aprendizagem movida a dados, ou seja, DDL (Data-Driven Learning) em exercícios direcionados de compreensão de leitura e produção de tradução de textos disponibilizados a alunos do secretariado em uma abordagem de auto-estudo. Primeiramente, trabalharemos a compreensão leitora dos alunos com subsídios que possam ajudar na construção dessa habilidade. Em momento posterior e como continuidade da atividade de compreensão leitora, propomos, então, atividade de produção escrita e tradutória com encaminhamentos para o desenvolvimento autônomo por parte dos alunos, com o uso de dados que direcionem o aprendizado na língua estrangeira, ou seja, a aprendizagem movida a dados (DDL). Tal proposta complementa o ensino em sala de aula uma vez que na aprendizagem movida a dados o aluno atua como pesquisador da língua que buscará analisá-la com foco específico na sua estrutura e contexto. As atividades propostas também encaminham preparação para atividades profissionais de tradução, que serão requeridas de secretários executivos no exercício de sua profissão.


Palavras-chave


Ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras. Data-driven learning. Tradução. Secretariado executivo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBIR, Amparo Hurtado. La competencia traductora y su adquisición. Un modelo holístico y dinámico. Perspectives: Studies in Translatology, v. 7, n. 2, p. 177-188, 1999.

MALMKJÆR, Kirsten. Introduction: Translation and Language Teaching. In: MALMKJÆR, Kirsten (Ed.). Translation & language teaching: Language teaching & translation. Saint Jerome Publications, p. 1-11. 1998.

SARDINHA, Tony Beber. Como usar a Linguística de Corpus no Ensino de Língua Estrangeira–por uma Linguística de Corpus Educacional brasileira. In: TAGNIN, Stella; VIANA, Vander. Corpora no ensino de línguas estrangeiras. São Paulo: HUB Editorial, p. 293-348, 2010.

SARDINHA, Tony Berber. Liguística de corpus e linguística aplicada: o ensino de língua estrangeira. Linguística de corpus. São Paulo: Manole, 2004.

TRIBBLE, Christopher. Small corpora and teaching writing. In: GHADESSY, Mohsen; HENRY, Alex; ROSEBERRY, Robert L. (Ed.). Small corpus studies and ELT: theory and practice, John Benjamins, Amsterdam, p. 381-408, 2001.

McENERY, Tony; XIAO, Richard. What corpora can offer in language teaching and learning? Handbook of Research in Second Language Teaching and Learning. Hinkel, E. (ed.). London & New York: Routledge, 2010, V. 2, p. 364-380.




DOI: https://doi.org/10.29051/rel.v3.n2.2017.9316



Direitos autorais 2017 Revista EntreLínguas



Rev. EntreLínguas, Araraquara, SP, Brasil. e-ISSN: 2447-3529, ISSN: 2447-4045

DOI Prefix: 10.02951/rel

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.