Discussões entrelaçadas: a sexualidade e a (des)construção de identidade e expressão de gênero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v15i2.13048

Palavras-chave:

Gênero, Mídia, Sexualidade, Saúde, Sociedade.

Resumo

De cunho teórico-crítico, este trabalho busca discutir a construção dos papeis de gênero na sociedade a partir da inter/transdisciplinaridade entre o conteúdo veiculado pelo filme “Eu não sou um homem fácil” de Eleonore Pourriat e os pressupostos sociológicos dos estudos de Pierre Bourdieu evidenciados no livro “A Dominação Masculina”. A tessitura do texto volta-se a uma apresentação ao leitor sobre conceitos de “sexo”, “sexualidade” e “identidade/expressão de gênero”. As discussões conduzem para análises que revelam que há mecanismos de reprodução social que pouco são percebidas pelos dominados, inclusive pela mídia, ao se observar que as descrições das sinopses dos filmes revelam indícios de manutenção da dominação masculina. Por fim, ressalta-se que as narrativas fílmicas se mostram de grande valia ao interligarem campos do saber humano e permitirem discussões inter/transdisciplinares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lais Oliva Donida, UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em Fonoadiologia, mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina. Participa do Grupo de Estudos em Linguagem, Cognição e Educação (GELCE/UFSC). É integrante do Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada (NELA/UFSC).

Sandra Pottmeier, UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina

é graduada em Letras (Língua Portuguesa/Língua Inglesa e Respectivas Literaturas) pela Universidade Regional de Blumenau (2002). Especialista em Metodologia do Ensino de Língua Inglesa pela Universidade Internacional de Curitiba (2006); Gestão Escolar pela Universidade Castelo Branco (2007); Mídias em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande (2009); Educação a Distância: Gestão e Tutoria pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (2013); Educação, Pobreza e Desigualdade Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2016); Metodologia de Ensino de Língua Portuguesa e Literatura pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (2017); Linguagens e Educação a Distância pela Universidade Federal de Santa Catarina (2019). Mestre em Educação pela Universidade Regional de Blumenau (2010). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina. Participa do Grupo de Estudos em Linguagem, Cognição e Educação (GELCE/UFSC). É integrante do Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada (NELA/UFSC). Docente concursada na SED/SC, lotada na Escola de Educação Básica Padre José Maurício, município de Blumenau/SC. Atua na área da Educação, com ênfase em Linguística Aplicada nos seguintes temas: leitura, letramentos, formação de professores, educação básica, educação superior, tecnologias.

 

Referências

BALLA, C. de B. Mídia e Educação: Representações culturais de professoras e professores da educação básica. Orientadora: Denise Rosana da Silva Moraes. 2016. 117 f. Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar Mestrado e Doutorado em Sociedade, Cultura e Fronteiras, Universidade do Oeste do Paraná, Foz do Iguaçu, 2016. Disponível em: http://tede.unioeste.br/bitstream/tede/2940/5/Cristiane_Balla_2016.pdf. Acesso em: 15 out. 2019.

BOURDIEU, P. Sociologia. ORTIZ, R.; FERNANDES, F. (org.). São Paulo: Ática, 1994.

BOURDIEU, P. A dominação masculina: A condição feminina e a violência simbólica. Editora: BestBolso, 2017.

COSTA, M. V.; SILVEIRA, R. H.; SOMMER, L. H. S. Estudos culturais, educação e pedagogia. Revista Brasileira de Educação, p. 36-61, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n23/n23a03. Acesso em: 15 out. 2019.

FILMOW. Eu não sou um homem fácil. Disponível em: https://filmow.com/eu-nao-sou-um-homem-facil-t244267. Acesso em: 18 jun. 2018.

LOURO, G. L. A construção social das diferenças. In: LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 6. ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, p. 57-87, 1997. Disponível em: https://bibliotecaonlinedahisfj.files.wordpress.com/2015/03/genero-sexualidade-e-educacao-guacira-lopes-louro.pdf. Acesso em: 06 out. 2019.

MELO, S. M. M. de (Org), et. al. Educação e sexualidade. Caderno pedagógico. 2. ed. rev. Florianópolis: UDESC/CEAD/UAB, 2011. Disponível em: https://www.udesc.br/arquivos/cead/documentos/Caderno_Pedag_gico_Educa__o_e_Sexualidade___CEAD_UDESC_15508548474075_1217.pdf. Acesso em: 13 de out. 2019.

MOTTA, J. I. J. Sexualidades e políticas públicas: uma abordagem queer para tempos de crise democrática. Saúde-debate, Rio de Janeiro, v. 40, n. spe, p. 73-86, dec. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042016000500073&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 03 set. 2019.

NETFLIX. Eu não sou um homem fácil. 2018. Disponível em: https://www.netflix.com/br/title/80175421. Acesso em: 18 jun. 2018.

OLIVEIRA, M. L. C. de O.; OLIVEIRA, S. R. N.; IGUMA, L. T. O processo de viver nos filmes: velhice, sexualidade e memória em Copacabana. Texto Contexto Enferm, Florianópolis; v. 16, n. 1, p. 157-62, jan./mar., 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v16n1/a20v16n1.pdf. Acesso em: 15 out. 2019.

POURRIAR, É. (Direção). Je ne suis pas um homme facile. França: Netflix, 2018. 98min.

TILIO, R. de. Teorias de gênero: principais contribuições teóricas oferecidas pelas perspectivas contemporâneas. GÊNERO, Niterói, Rio de Janeiro, v.14, n.2, p.125-148, 2014. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revistagenero/article/view/31193. Acesso em: 07 out. 2019.

UNESCO. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 2009. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/DUDH.pdf. Acesso em: 15 out. 2019.

WAS. WORLD ASSOCIATION FOR SEXUAL HEALTH. Declaração dos Direitos Sexuais. 2014. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/dedi/declaracao_direitos_sexuais.pdf. Acesso em: 06 out. 2019.

Publicado

30/07/2019

Como Citar

DONIDA, L. O.; POTTMEIER, S. Discussões entrelaçadas: a sexualidade e a (des)construção de identidade e expressão de gênero. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 15, n. 2, p. 204–216, 2019. DOI: 10.26673/tes.v15i2.13048. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/13048. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação