Implementação das salas de recursos multifuncionais: tempos vividos e vivenciados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v16i2.13471

Palavras-chave:

Atendimento educacional especializado, Sala de recursos, Aprendizagens significativas

Resumo

Este relato de experiência fora escrito por profissionais atuantes no Atendimento Educacional Especializado, nos anos de 2014 a 2017, a fim de ilustrar aos leitores o processo de implementação da primeira sala de Recursos Multifuncionais, no município de Arraial das Flores, servindo de ilustrações para futuras instalações e implementações. A intenção desse relato é apresentar como foram as experiências vividas nas primeiras salas de Atendimento Educacional Especializado na cidade de Arraial das Flores, apresentando toda trajetória desde a organização do espaço – com os materiais disponibilizado pelo Governo Federal até o funcionamento da sala de AEE, discorrendo sobre as duas salas que possibilitaram meios e recursos, ao desenvolvimento da aprendizagem do estudante com deficiência. Para realização do relato de experiência fora feita uma revisão de bibliografia na área afim, contendo embasamento teórico, além das experiências vividas pelas profissionais atuantes no Atendimento Educacional Especializado no dado munícipio. Vale ressaltar que a implementação aconteceu de acordo com os preceitos legais, assegurando Atendimento Educacional Especializado a todas as crianças com deficiência, regularmente matriculados nas escolas municipais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Silveira, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos – SP

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Educação.

Adriana Maria Silva, Uniasselvi, Ribeirão Preto – SP

Graduanda no Curso de Libras

Ângela Marcia Morcelli, Instituto Municipal de Ensino Superior de Bebedouro Victório Cardassi (IMESB), Bebedouro – SP

Graduanda no Curso de Direito.

Referências

BRASIL. Documento orientador programa implantação de salas de recursos multifuncionais. Brasília, DF: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria de Políticas de Educação Especial, 2013.

BRASIL. Documento Orientador Programa Escola Acessível de 2013. Brasília, DF: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, 2013.

BRASIL. CNE. CEB. Resolução n. 4, de 2 de outubro de 2009. Que institui diretrizes operacionais para o atendimento educacional especializado na educação básica, modalidade educação especial. Brasília, DF: CNE; CEB, 2009.

DALHEM, L. El método Decroly aplicado a la escuela. Madrid: Cuidad Lineal,

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1987.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem na escola: reelaborando conceitos e recriando a prática. 2. ed. Salvador: Malabares, 2005.

MANTOAN, T. E. Todas as crianças são bem vindas à escola. Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino e Reabilitação de Pessoas com Deficiência - LEPED/ FE/ Unicamp. Disponível em: http://www.pro-inclusao.org.br/textos.html#topo. Acesso em: 12 nov. 2009.

MANTOAN, T. E. Integração X Inclusão: escola de qualidade para todos. Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino e Reabilitação de Pessoas com Deficiência - LEPED/ FE/ Unicamp. Disponível em: http://www.pro-inclusao.org.br/textos.html#topo. Acesso em: 12 nov. 2009.

PARANÁ (ESTADO). Glossário: termos importantes em educação especial. Curitiba: Departamento de Educação Especial e Inclusão Educacional, 2013.

SÃO PAULO (ESTADO). Método de centro de interesse: sugestões metodológicas para o ensino de deficientes mentais educáveis. São Paulo: Coordenadoria de estudos e normas pedagógicas, 1985.

SASSAKI, R. K. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. 3. ed. Rio de Janeiro: WVA,1999.

SILVEIRA, A. P.; PEREIRA, A. J. B. Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa: intenções nacionais ou internacionais? In: V CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO, 5., 2015, Bauru. Anais [...]. Bauru, SP: UNESP, 2015. Disponível em: http://www2.fc.unesp.br/cbe/files/anais_V_CBE.pdf Acesso em 09 de jun. 2019.

Publicado

27/08/2020

Como Citar

SILVEIRA, A. P.; SILVA, A. M.; MORCELLI, Ângela M. Implementação das salas de recursos multifuncionais: tempos vividos e vivenciados. Temas em Educação e Saúde (Themes in Education and Health), Araraquara, v. 16, n. 2, p. 705–719, 2020. DOI: 10.26673/tes.v16i2.13471. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/13471. Acesso em: 17 abr. 2021.

Edição

Seção

Relatos de Experiência