Os gêneros orais no ensino de língua estrangeira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v8i00.15448

Palavras-chave:

Ensino de Língua Inglesa, Gêneros orais, Storytelling, Ensino Fundamental anos finais

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir o trabalho com o gênero oral no ensino de Língua Estrangeira (LE), em comparação com o ensino de Língua Materna (LM), através da leitura e revisão dos Parâmetros Curriculares Nacionais (1998a) e artigos relacionados (BOTLER; SUASSUNA, 2015; ALVEZ, S.d.). Essa proposição foi feita em razão da explícita defasagem do ensino de língua inglesa dentro das escolas regulares, em especial, pelo fato da ausência de atividades focadas na compreensão oral e exercício da língua falada. Em decorrência desses fatores, juntamente com a discussão teórica, realizamos uma proposta de planejamento de aula tendo como base o gênero storytelling, compreendendo as vantagens da abordagem de histórias orais dentro da educação de idioma estrangeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana da Silva Santos, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR – Brasil

Doutoranda em Letras.

Naudir Ney Carvalho da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Corumbá – MS – Brasil

Graduação em Letras – Habilitação Português e Inglês.

Regina Baruki-Fonseca, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Corumbá - MS - Brasil

Professora Associada do Curso de Licenciatura em Letras – Habilitação Português e Inglês. Doutorado em Educação (UFMS).

Referências

ALVES, E. F. Oralidade e Ensino de Língua Estrangeira. In: CAIVA, L.; FREITAS, M.; ALVES, E. F. (org.). Formação inicial de professores: Habilidades linguísticas - comunicativas e inglês como língua franca. Maringá, PR: Eduem, 2015.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal Mikhail Bakhtin. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC; SEB, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/abril-2018-pdf/85121-bncc-ensino-medio/file. Acesso em: 10 abr. 2021.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília, DF: MEC, SEB, DICEI, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file. Acesso em: 12 jan. 2021.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Língua estrangeira. Brasília, DF: MEC/ SEF, 1998a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pcn_estrangeira.pdf. Acesso em: 7 ago. 2020.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Língua portuguesa. Brasília, DF: MEC/ SEF, 1998b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/portugues.pdf. Acesso em: 12 fev. 2021.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 12 fev. 2021

HARMER, J. The practice of English Language Teaching. New York: Longman, 2001.

KLEIMAN, A. B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A. B. (org.). Os significados do letramento. Campinas: Mercado das Letras, 1995.

LEFFA, V. J. O ensino de línguas estrangeiras no contexto nacional. Contexturas, APLIESP, n. 4, p. 13-24, 1999. Disponível em: https://www.leffa.pro.br/textos/trabalhos/oensle.pdf. Acesso em: 10 jun. 2021.

Publicado

30/03/2022

Como Citar

SANTOS, M. da S.; CARVALHO DA SILVA, N. N. .; BARUKI-FONSECA, R. Os gêneros orais no ensino de língua estrangeira. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 8, n. 00, p. e022047, 2022. DOI: 10.29051/el.v8i00.15448. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/15448. Acesso em: 4 out. 2022.