Atuação do pedagogo e as questões de gênero e identidade na educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v15i1.12771

Palavras-chave:

Pedagogo, Genero, Identidade, Educação infantil.

Resumo

As principais reflexões apresentadas no artigo dizem respeito às questões gênero e identidade na educação infantil na perspectiva educação escolar e a experiência do profissional pedagogo na forma como é produzida a sua subjetividade. Nesse sentido, o desenvolvimento dos papéis de gênero e a construção da identidade são socialmente elaborados e aprendidos desde o nascimento, com base em relações sociais e culturais que se estabelecem a partir dos primeiros meses de vida, mas é no princípio da educação que a criança começa a perceber a diferença entre o feminino e o masculino. Em consequência, o artigo prioriza diversas questões temáticas, processo, portanto, plural, polêmico e complexo, no qual práticas educacionais e pedagógicas cotidianas incitam questões e problemas teóricos, ao mesmo tempo, que novas teorias e movimentos sociais provocam ou transformam essas práticas pedagógicas. O artigo traz um estudo dessa temática e é constituído a partir de diferentes posições disciplinares, teóricas e alguns conceitos da questão de gênero e identidade. É importante enfatizar que a compreensão desses conceitos possibilita identificar os valores atribuídos a homens e mulheres bem como as regras de comportamentos decorrentes desses valores. Com isso, fica evidente: a influência desses valores e regras no funcionamento das instituições sociais, como a escola; a influência de uma possibilidade que permita pensar nas diferenças sem transformá-las em desigualdades, ou seja, sem que as diferenças sejam pontos de partida para discriminação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Aparecida de Souza Monteiro, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), Araraquara – SP.

Doutoranda em Educação Escolar. Mestra em Processos de Ensino, Aprendizagem e Inovação.

Paulo Rennes Marçal Ribeiro, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Araraquara - SP.

Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Sexual, e no PPG Educação Escolar.

Referências

BAZÍLIO, Luiz Cavalieri; KRAMER, Sonia. Infância, educação e direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2003.

BRASIL. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CASTRO, Gilda. Professor submisso, aluno-cliente. Reflexões sobre a docência no Brasil. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

CERISARA, Ana Beatriz. Professoras de educação infantil: entre o feminino e o profissional. São Paulo: Cortez, 2002.

CRAIDY, Carmen Maria. (org.) O educador de todos os dias: convivendo com crianças de 0 a 6 anos. Porto Alegre: Mediação, 1998.

FELIPE, Jane. Aspectos gerais do desenvolvimento infantil. In: CRAIDY, Carmem Maria (org.) O educador de todos os dias: convivendo com crianças de 0 a 6 anos. Porto Alegre: Mediação, 1998

FRANCHI, Eglê Pontes (org). A causa dos professores. Campinas: Papirus, 1995.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d' água, 2009.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade Vol.1: a vontade de saber. Tradução de Guilhon de Albuquerque e Maria Thereza da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro,RJ: Graal, 2010.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso, aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. São Paulo: Edições Loyola, 2016.

KRAMER, Sônia. Formação de profissionais de educação infantil: questões e tensões. In: MACHADO, Maria Lucia de A.(org.). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

MAIA, Christiane Martinatti; SCHEIBEL, Maria Fani. Didática. Curitiba: IESDE Brasil, 2010.

MARCELO, Carlos. A identidade docente: constantes e desafios. Disponível em: http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br/artigo/exibir/1/3/8 - acesso em 08/06/2011 - 20:25hs.

MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. (org.) Construção da identidade docente: relatos de educadores de educação infantil. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 129, p.x547-571,xset./dez.x2006..Disponívelxem: http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n129/a

pdf. Acesso em 24/03/2011.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Encontros e encantamentos na educação infantil: Partilhando experiências de estágios. Campinas: Papirus, 4.ed. 2000.

OSTETTO, Luciana Esmeralda (org.). Educação infantil: saberes e fazeres da formação de professores. Campinas: Papirus, 4.ed. 2008.

QUADROS, Marivete Bassetto de. Monografias, dissertações & cia: caminhos metodológicos e normativos. 2.ed. ver. Curitiba: Tecnodata Educacional, 2009.

QUADROS, Marivete Bassetto de. Projeto de pesquisa: texto em re-construção. UENP – Centro de Ciências Humanas e da Educação – Pedagogia. Jacarezinho, 2010. [mimeo].

SEFFNER, Fernando. Cruzamento entre gênero e sexualidade na ótica da construção da(s) identidade(s) e da(s) diferença(s). In: SOARES, Guiomar Freitas; SILVA, Meri Rosane Santos da.

VASCONCELOS, Geni Amélia Nader (org). Como me fiz professora. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

ZAGURY, Tânia. O professor refém: para os pais e professores entenderem por que fracassa a educação no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 2006.

Downloads

Publicado

23/07/2019

Como Citar

MONTEIRO, S. A. de S.; RIBEIRO, P. R. M. Atuação do pedagogo e as questões de gênero e identidade na educação infantil. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 15, n. 1, p. 93–112, 2019. DOI: 10.26673/tes.v15i1.12771. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/12771. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação