A ausência do diálogo no processo de formação profissional em saúde no ensino remoto: impactos na aprendizagem e na saúde mental de acadêmicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v16i2.14403

Palavras-chave:

Formação profissional, Ensino remoto, Diálogo, Aprendizagem, Saúde mental

Resumo

Neste texto o objetivo é o de analisar as significações que alunos vêm produzindo sobre o processo de formação profissional em saúde no ensino remoto. Com o intuito de alcançar o objetivo proposto, nos apropriamos dos pressupostos teóricos e metodológicos da Pedagogia Freireana especialmente dos pressupostos da categoria diálogo. A questão que orientou esta pesquisa foi: Nos discursos dos alunos e professores dos cursos de graduação da área da saúde de uma universidade pública do Piauí, quais as suas possíveis significações (sentidos e significados) produzidas sobre o processo de formação profissional no ensino remoto? Participaram do estudo 10 (dez) acadêmicos, sendo 5 (cinco) do curso de licenciatura em Educação Física e 05 do curso de bacharelado em Psicologia. Especificamente sobre a produção dos dados, se empregou a entrevista semiestruturada que foi realizada no período de 5 a 7 de outubro de 2020. Os resultados da pesquisa evidenciam que o ensino centrado no docente, ancorado na dinâmica da escuta, na impossibilidade de dizer a palavra, de interação e troca de experiências dificulta o processo de produção de conhecimentos. Além disso, os sentidos produzidos a partir dos discursos dos acadêmicos investigados evidenciam que a ausência do diálogo, além de impossibilitar o pronunciamento do mundo através da palavra, institui a cultura do fingir ensinar e do fingir aprender. Para eles, essa situação provoca dor e sofrimento, por se sentirem culpados com relação ao processo de ensino. O que por sua vez, acaba impactando na saúde mental. Consideramos que os sentidos produzidos pelos alunos, dos cursos de Educação Física e Psicologia ao processo de formação profissional em saúde no ensino remoto, os levaram à tomada de consciência quanto ausência do diálogo que dificulta a aprendizagem e impacta na saúde mental.

Biografia do Autor

Mesaque Silva Correia, Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina – PI

Professor no Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino (DMTE). Doutorado em Educação Física (USJT).

Neuton Alves Araújo, Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina – PI

Professor Adjunto no Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino. Doutorado em Educação (USP).

Bruna Gabriela Marques, Universidade São Judas Tadeu (USJT), São Paulo – SP

Professora nos Cursos de Graduação e de Mestrado em Educação Física. Doutorado em Educação Física (USJT).

Referências

AGUIAR, W. M. J. (Org.). Sentidos e significados do professor na perspectiva sócio histórica: relatos de pesquisa. São Paulo: Casa do Pedagogo, 2006.

BARBOSA BAPTISTA, A.; VIEIRA FERNANDES, L. Covid-19, análise das estratégias de prevenção, cuidados e complicações sintomáticas. Desafios. Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins, Tocantins, v. 7, n. esp. 3, p. 38-47, 22 abr. 2020.

CORREIA, M. S.; MIRANDA, M. L. J.; VELERADI, M. A prática da educação física para idosos ancorada na pedagogia freireana: reflexões sobre uma experiência dialógica problematizadora. Movimento, Porto Alegre, v. 17, n. 4, p. 281-297, out./dez. 2011.

FERREIRA, M. J; IRIGOYEN, M, S; CONSOLIM-COLOMBO, F; SARAIVA, J. F. K; DE ANGELIS, K. Physically active lifestyle as an approach to confronting Covid-19. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 114, n. 4, p. 601-622, 9 abr. 2020.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade: e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação. Uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1971.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 4. ed. Trad. Rosiska Darcy de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um encontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREITAS, A. R. R; NAPIMOGA, M; DONALISIO, M. R. Análise da gravidade da pandemia de Covid-19. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 29, n. 2, 6 abr. 2020.

GASKINS, S.; MILLER, P. J; CORSARO, W. A. Theoretical and methodological perspectives. New directions for child development, San Francisco, v. 58, n. 3, 1992.

LEONTIEV, A. Actividade, consciência, personalidade. Playa, Ciudad de La Habana: Editorial Pueblo y Educación, 1983.

PITANGA, F. J. G; BECK, C. C; PITANGA, C. P. S. Physical inactivity, obesity and COVID-19: perspectives among multiple pandemics. Bras Ativ Fís Saúde, Florianópolis, v. 25, p. 1-4, 2020.

SILVA, M. R. Bolsonaro e a Covid-19: e daí? “o Brazil tá matando o Brasil”, “do Brasil, SOS ao Brasil”, “chora a nossa pátria, mãe gentil...”. Motrivivência, Florianópolis, v. 32, n. 62, p. 1-19, jun. 2020.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

WERNECK, H. Se você fingir que ensina, ei finjo que aprendo. Petrópolis. Rio de Janeiro: Vozes, 1992.

Downloads

Publicado

27/08/2020

Como Citar

Correia, M. S., Araújo, N. A., & Marques, B. G. (2020). A ausência do diálogo no processo de formação profissional em saúde no ensino remoto: impactos na aprendizagem e na saúde mental de acadêmicos. Temas Em Educação E Saúde, 16(2), 648–663. https://doi.org/10.26673/tes.v16i2.14403