Meio social e estresse infantil

Um estudo à luz da Teoria Histórico-Cultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v18i00.16640

Palavras-chave:

Estresse, Estresse infantil, Sofrimento psíquico, Teoria Histórico-Cultural

Resumo

O contexto de vida da sociedade pós-moderna, que negligencia o descanso e o tempo em razão da busca excessiva por resultados, tem desencadeado o estresse em grande parte da população, inclusive em crianças que lidam, cada vez mais cedo, com adversidades provenientes do convívio familiar e coletivo do qual fazem parte. Destarte, o presente artigo, de caráter bibliográfico, objetiva identificar os fatores sociais que consubstanciam o estresse e o sofrimento psíquico infantil, utilizando os fundamentos da Teoria Histórico-Cultural para embasar a discussão. Concluiu-se que o meio social, com o seu modo de organização, é um fator preponderante para o desencadeamento do estresse infantil, de modo a prejudicar, demasiadamente, a qualidade de vida dos infantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emanoela Thereza Marques de Mendonça Glatz, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR – Brasil

Mestranda em Educação.

Solange Franci Raimundo Yaegashi, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR – Brasil

Docente do Departamento de Teoria e Prática da Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Mestrado Profissional em Educação Inclusiva. Doutorado em Educação (UNICAMP).

Heloisa Toshie Irie Saito, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá – PR – Brasil

Docente do Departamento de Teoria e Prática da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (USP).

Referências

ABRANCHES, C. D.; ASSIS, S. G. A. A (in)visibilidade da violência psicológica na infância e adolescência no contexto familiar. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 27, n. 5, p. 843-854, 2011. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/csp/v27n5/03.pdf. Acesso em: 11 mar. 2022.

BARLOW, D. H.; DURAND, V. M. Psicopatologia: Uma abordagem integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2015.

BOGOYAVLENSKY, D. N.; MENCHINSKAYA, N. A. Relação entre aprendizagem e desenvolvimento psicointelectual da criança em idade escolar. In: LEONTIEV, A. N. et al. Psicologia e pedagogia: Bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. Tradução: Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2005.

CAVALCANTI, A. L. S. R. et al. Treino de controle do stress de Lipp: Uma revisão integrativa de literatura. Boletim Academia Paulista de Psicologia, São Paulo, v. 41, n. 100, p. 37-47, jan./jun. 2021. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-711X2021000100005. Acesso em: 20 mar. 2022.

CID, M. F. B. et al. Saúde mental infantil e contexto escolar: As percepções dos educadores. Pro-Posições, Campinas, v. 30, p. 1-24, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pp/a/x46ycvnxT3msphKhJm4WyjF/abstract/?lang=pt. Acesso em: 08 jan. 2022.

COPLAN, J. D. et al. Cerebrospinal Fluid Concentrations of Somatostatin and Biogenic Amines in Grown Primates Reared by Mothers Exposed to Manipulated Foraging Conditions. Archives of General Psychiatry, v. 55, n. 5, p. 473-477, 1998. Disponível em: https://jamanetwork.com/journals/jamapsychiatry/article-abstract/203844. Acesso em: 13 abr. 2022.

FACCI, M. G. D. A periodização do desenvolvimento psicológico individual na perspectiva de Leontiev, Elkonin e Vigostski. Cadernos Cedes, Campinas, v. 24, n. 62, p. 64-81, abr. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/3Nc5fBqVp6SXzD396YVbMgQ/abstract/?lang=pt. Acesso em: 09 mar. 2022.

GILLESPIE, C. F.; NEMEROFF, C. B. Corticotropin-Releasing Factor and the Psychobiology of Early-Life Stress. Current Directions in Psychological Science, v. 16, n. 2, p. 85-89, 2007. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1111/j.1467-8721.2007.00481.x. Acesso em: 24 abr. 2022.

GLATZ, E. T. M. M. et al. Ensino Remoto Emergencial e a saúde mental de pós-graduandos: O sofrimento psíquico discente em tempos de pandemia. REVASF, Petrolina, v. 12, n. 28, p. 1-26, 2022. Disponível em: https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/1873. Acesso em: 13 fev. 2022.

GOMIDE, P. I. C. et al. Correlação entre práticas educativas, depressão, estresse e habilidades sociais. Psico-USF, Itatiba, v. 10, n. 2, p. 169-178, dez. 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pusf/a/RHJgN4cSPcZxknfr9Tq4FPD/abstract/?lang=pt. Acesso em: 08 mar. 2022.

LIPP, M. E. N. Crianças estressadas. São Paulo: Papirus, 2004.

LIPP, M. E. N. Stress em crianças e adolescentes. São Paulo: Papirus, 2020.

PACÍFICO, M.; FACCHIN, M. M. P.; CORRÊA SANTOS, F. F. F. Crianças também se estressam? A influência do estresse no desenvolvimento infantil. Temas em Educ. e Saúde, Araraquara, v. 13, n. 1, p. 107-123, jan./jun. 2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/10218. Acesso em: 27 abr. 2022.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2017.

SOUZA, M. B. C.; SILVA, H. P. A.; GALVÃO-COELHO, N. L. Resposta ao estresse: I. Homeostase e teoria da alostase. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 20, n. 1, p. 2-11, jan./mar. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/epsic/a/wLn5RGy9pVXSZKryWSPHXTF/abstract/?lang=pt. Acesso em: 09 mar. 2022.

SZYMANSKI, H. A relação família/escola: Desafios e perspectivas. Brasília, DF: Liber Livros, 2010.

VYGOTSKY, L. S. Sete aulas de L. S. Vygotsky sobre os fundamentos da pedologia. Rio de Janeiro: E-Papers, 2018.

VYGOTSKYI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2016.

Publicado

30/11/2022

Como Citar

GLATZ, E. T. M. . de M.; YAEGASHI, S. F. R.; SAITO, H. T. I. Meio social e estresse infantil: Um estudo à luz da Teoria Histórico-Cultural. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 18, n. 00, p. e022012, 2022. DOI: 10.26673/tes.v18i00.16640. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/16640. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação