Interculturalidade e variações linguisticas do espanhol em uma escola da fronteira Brasil/Venezuela

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/rel.v4.n1.2018.11175

Palavras-chave:

Interculturalidade, Variação linguística, Espanhol, Fronteira.

Resumo

Esta pesquisa foi realizada nas salas dos últimos anos do ensino médio na Escola Estadual Cícero Viera Neto, localizada no município de Pacaraima-Roraima-Brasil, com a finalidade de pesquisar como são abordadas a interculturalidade assim como as variações linguísticas da língua espanhola nessa instituição. Analisamos os problemas que levam a não trabalhar as diversidades linguísticas e culturais que caracterizam o espanhol. A base metodológica que nos deu suporte à pesquisa foi a abordagem qualitativa e o estudo de campo. Como resultados evidenciamos que as atividades interculturais acontecem pouco na escola, apesar de ser um ambiente rico em diversidade. A variação linguística que é trabalhada nas aulas de espanhol é a peninsular, sem preocupação com a realidade linguística dos alunos e da região de fronteira.

Biografia do Autor

Gênesis Carolina Matos Aquino, Universidade Estadual de Roraima

Licenciada em letras espanhol pela UERR, cursando especialização em Ennsino de Línguas pela UERR. Professora de espanhol e português na Escola Indigena da Comunidade São Miguel da Cachoeira.

Cora Elena Gonzalo Zambrano, Universidade Estadual de Roraima

Professora da Universidade Estadual de Roraima desde 2009. Especialista em metodologia do ensino de língua espanhola. Mestre em letras com pesquisas na área de bilinguismo e escolarização em contexto bilíngue de minorias.

Referências

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.

FLEURI, R. M. Desafios à educação intercultural no Brasil. Revista PerCursos, n. 1, p. 109-128, 2001.

FLEURI, R. M. (Org). Educação Intercultural: mediações necessárias. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

HARO, H.; VELEZ, C. La interculturalidad en la reforma curricular: de la protesta a la propuesta. Memorias de los talleres de antropología aplicada. Quito, Universidad Politécnica Salesiana, 1997.

MORENO F. F. El modelo de la lengua y la variación lingüísti¬ca. In: LOBATO, J. Sánchez.; GARGALLO, I. Santos. (dir.). Vademécum para la forma¬ción de profesores. Enseñar español como segunda lengua (L2)/lengua extran¬jera (LE), Madrid: SGEL, 2004.

MORENO F. F. Las variedades de la lengua Española y su enseñanza. In Manuales de formación de profesores de Español 2/L. Editora. Arco/Libros, pg. 9- 164. Madrid, 2010.

PARAQUETT, M. Multiculturalismo, interculturalismo e ensino/aprendizagem de espanhol para brasileiros. In: BARROS, C.; COSTA, E. G. M. (Org) Espanhol: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010. p. 137-155.

SOUZA, M. I. P. de.; FLEURI, R. M. Entre límites e limiares de culturas: educação na perspectiva intercultural. In: FLEURI, R. M. (org.). Educação intercultural: mediações necessárias. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 53-84.

SPEISER, Sabine. El para qué la interculturalidad en la educación. In: MOYA, Ruth. (Sinopsis) La Interculturalidad y la Educación: Diálogo para la Democracia en América Latina. 1. ed. Quito/Ecuador. ed. Ruht Moya, 1999.

WALSH C. Qué es la interculturalidad y cuál es su significado e importancia en el proceso educativo? En: La Interculturalidad en la educación. Lima, Ministerio de Educación, Dirección Nacional de Educación Bilingüe Intercultural, 2005. p. 4-7.

Publicado

17/01/2018

Edição

Seção

Artigos