Políticas linguísticas e ensino de línguas minoritárias e majoritárias no brasil: o caso do pomerano e do inglês como línguas estrangeiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v5i1.12790

Palavras-chave:

Políticas linguísticas, Ensino de línguas majoritárias e minoritárias no Brasil, Pomerano, Inglês.

Resumo

O estudo reflete sobre políticas linguísticas e o ensino de línguas majoritárias e minoritárias no Brasil. Para tanto, o estudo investiga as crenças de duas professoras de língua estrangeira que trabalham em escolas públicas de uma comunidade Pomerana do Estado do Espírito Santo. As línguas escolhidas para análise foram o inglês, como língua internacional e majoritária, e o pomerano como língua minoritária e de imigração. Após a revisão das políticas linguísticas para o ensino de línguas estrangeiras no Brasil, o estudo oferece uma análise de crenças de professores de línguas estrangeiras coletadas por meio de questionários realizados com duas professoras, uma de inglês e outra de pomerano, em uma comunidade de imigrantes pomeranos no ES. Os resultados da análise dos questionários sugerem que ambas as professoras acreditam que o tempo em que seus alunos são expostos ao aprendizado dessas línguas não seja suficiente para que todas as habilidades linguísticas sejam devidamente desenvolvidas e que os materiais didáticos e os currículos escolares deveriam ser revistos. Por outro lado, a professora de pomerano acredita que o ensino do pomerano é capaz de melhorar a autoestima de seus alunos em relação à sensação de pertencimento ao seu contexto histórico, em sua comunidade local e familiar. No caso da professora de inglês, esta acredita que seus alunos ainda não percebem a importância do inglês para suas vidas acadêmicas e profissionais. O estudo conclui que é necessário revisar políticas linguísticas para garantir o ensino de línguas minoritárias e majoritárias, estimulando o multilinguismo no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Melina Pinheiro, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) – Vitória – ES

Mestre em Educação.

Kyria Rebeca Finardi, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) – Vitória – ES

Departamento de Línguas, Cultura e Educação.

Maria Carolina Porcino, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) – Vitória – ES

Mestre em Estudos Linguísticos.

Referências

ALTENHOFEN, Cléo V. Bases para uma política linguística das línguas minoritárias no Brasil. In: NICOLAIDES, Christine; SILVA, Kleber; TÍLIO, Rogério; ROCHA, Cláudia (Orgs.) Política e Políticas Linguísticas. Campinas: Pontes Editores, p. 93-116, 2013.

BARCELOS, Ana Maria Ferreira. Crenças sobre aprendizagem de línguas, linguística aplicada e ensino de línguas. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 7, n. 1, p. 123-156, 2004.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.

DAY, Kelly. O Ensino de Língua Estrangeira no Brasil: Entre a Escolha Obrigatória e a Obrigatoriedade Voluntária. Revista Escrita Rua Marquês de São Vicente, n. 15, 2012.

FERRAZ, Aderlande Pereira. O Panorama Linguístico Brasileiro: a coexistência de línguas minoritárias com o Português. Filol. lingüíst. port., n. 9, p. 43-73, 2007.

FINARDI, Kyria Rebeca. The Slaughter of Kachru’s Five Sacred Cows in Brazil: Affordances of the Use of English as an International Language. Studies in English Language Teaching, v. 2, p. 401-411, 2014.

FINARDI, Kyria Rebeca. Language Policies and Internationalisation in Brazil: The Role(s) of English as an Additional Language. In: Lydia Sciriha. (Org.). International Perspectives on Bilingualism. 1ed.Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars Publishing, v. 1, p. 79-90, 2016.

FINARDI, Kyria Rebeca. What Brazil can learn from Multilingual Switzerland and its use of English as a Multilingua Franca. Acta Scientiarum (UEM), v. 39, p. 219-228, 2017.

FINARDI, Kyria Rebeca; FRANCA, C. O Inglês na Internacionalização da Produção Científica Brasileira: evidências da subárea de linguagem e linguística. Intersecções (Jundiaí), v. 19, p. 234-250, 2016.

FINARDI, Kyria Rebeca; ORTIZ, R. A. Globalization, Internationalization and Education: What is the Connection?. IJAEDU- International E-Journal of Advances in Education, v. 1, p. 18-25, 2015.

FINARDI, Kyria Rebeca; PORCINO, Maria Carolina. O Papel do Inglês na Formação e na Internacionalização da Educação no Brasil. Revista Horizontes de Linguistica Aplicada, v. 14, p. 109-134, 2015.

FINARDI, Kyria Rebeca; PREBIANCA, Gicele; MOMM, Christiane Fabíola. Tecnologia na Educação: o caso da Internet e do Inglês como Linguagens de Inclusão. Revista Cadernos do IL, vol. 46. p. 193-208, 2013.

FINARDI, Kyria Rebeca; TYLER, Jhamille. The Role of English and Technology in the Internationalization of Education: Insights from the Analysis of MOOCs. In: 7th International Conference on Education and New Learning Technologies, 2015, Barcelona. Edulearn15 Proceedings. Barcelona: IATED, 2015. v. 1. p. 11-18.

GIMENEZ, Telma. A Ausência de Políticas Para o Ensino de Língua Inglesa nos Anos Iniciais de Escolarização no Brasil. In: NICOLAIDES, Christine; SILVA, Kleber.; TÍLIO, Rogério; ROCHA, Cláudia (Orgs.) Política e Políticas Linguísticas. Campinas: Pontes Editores, 2013.

KUSTER, Síntia. Cultura e Língua Pomeranas: um estudo de caso em uma escola do ensino fundamental no município de Santa Maria de Jetibá – Espírito Santo – Brasil. 2015.

MARTINY, Franciele Maria; BORSTEL, Clarisse Nadir Von. As Políticas Linguísticas de Línguas de Imigrantes. Anais do X Encontro do CELSUL – Círculo de Estudos Linguísticos do Sul UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná Cascavel-PR | 24 a 26 de outubro de 2012.

MORELLO, Rosângela. A Cooficialização da Língua Pomerana no Espírito Santo e no Rio Grande do Sul. Livro Leis e Línguas no Brasil: o processo de cooficialização e suas potencialidades. cap.4. p. 43-52. IPOL. 2013.

MORELLO, Rosângela. O Brasil se mostra multilíngue: vários municípios cooficializam suas línguas. Livro Leis e Línguas no Brasil: o processo de cooficialização e suas potencialidades. cap.6. p. 69-78. IPOL. 2013.

MUNICÍPIO DE PANCAS. Lei n.º 987/2007, de 27/07/2007. Dispõe sobre a Cooficialização da Língua Pomerana no município de Pancas [ES] e a inclusão da disciplina de Estudo da Língua no Currículo Escolar, nas Escolas da Rede Municipal de Ensino localizadas nas regiões em que predominam a população descendente no Município. Disponível em: http://www.ipol.org.br/imprimir.php?cod=524. Acesso em 8 de maio 2016.

NEVES, Bruna Clemêncio. O Brasil é um país bilíngue: a cooficialização da LIBRAS. In: Livro, Leis e Línguas no Brasil: o processo de cooficialização e suas potencialidades. cap.9. p. 103-118. IPOL. 2013.

OLIVEIRA, Gilvan Müller de. A cooficialização de línguas em nível municipal no Brasil: direitos linguísticos, inclusão e cidadania. In: Livro, Leis e Línguas no Brasil: o processo de cooficialização e suas potencialidades. cap.2. p. 23-30. IPOL. 2013.

OLIVEIRA, Gilvan Müller de. Políticas Linguísticas: uma entrevista com Gilvan Müller de Oliveira. ReVEL, v. 14, n. 26, p. 382-399, 2016.

PERUZZO, Sabrina P. Crenças Sobre o Ensino de Inglês e Pomerano como Línguas Estrangeiras no Município de Santa Maria de Jetibá – ES. 2014.

PINHEIRO, Livia Melina; FINARDI, Kyria. Políticas Públicas de Internacionalização e o Papel do Inglês: evidências dos programas CsF e IsF. In: II Conel, 2014, Vitória. Anais do II Conel. Vitória: PPGEL, v. 1. p. 76-78, 2014.

PINHEIRO, Livia Melina; FINARDI, Kyria. O papel do inglês nas políticas linguísticas e de internacionalização. In: III Congresso Nacional de Estudos Linguísticos, 2016, Vitoria. Anais III Conel. Vitoria: PPGEL, 2016. v. 1. p. 819-831.

PREBIANCA, Gicele; CARDOSO, Gisele; FINARDI, Kyria. Hibridizando a Educação e o Ensino de Inglês: questões de inclusão e qualidade. Revista do GEL, v. 11, p. 47-70, 2014.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Política linguística: do que é que se trata, afinal? In: NICOLAIDES, Christine; SILVA, Kleber Aparecido; TÍLIO, Rogério; ROCHA, Claudia Hilsdorf (Orgs.) Política e Políticas Linguísticas. Campinas: Pontes Editores, 2013.

SEIFFERT, Ana Paula. Línguas brasileiras de imigração faladas em São Bento do Sul (SC) estratégias para revitalização e manutenção das línguas na localidade. UFSC. 2009.

TRESSMANN, Ismael. Bilinguismo no Brasil: O caso da Comunidade Pomerana de Laranja da Terra - ES. Associação de Estudos da Linguagem do Rio de Janeiro (ASSEL-Rio). Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 1998.

TRESSMANN, Ismael. A Co-oficialização da Língua Pomerana. 2009. In: FARESE: Disponível em: http://www.farese.edu.br/pages/artigos/pdf/ismael/A%20co-oficializa%C3%A7%C3%A3o%20da%20L%20Pomer.pdf. Acesso em 04 de abril. 2016.

Downloads

Publicado

30/04/2019

Como Citar

PINHEIRO, L. M.; FINARDI, K. R.; PORCINO, M. C. Políticas linguísticas e ensino de línguas minoritárias e majoritárias no brasil: o caso do pomerano e do inglês como línguas estrangeiras. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 5, n. 1, p. 121–141, 2019. DOI: 10.29051/el.v5i1.12790. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/12790. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático / Thematic dossier