As tecnologias da informação e comunicação no estágio supervisionado de língua inglesa: uma reflexão na formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v5i2.12980

Palavras-chave:

TICs, Estágio supervisionado, Língua inglesa.

Resumo

Este artigo traz resultados de uma investigação a respeito da inserção de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) no ensino e aprendizagem de Língua Inglesa para alunos do Ensino Fundamental, durante as aulas de Estágio Supervisionado ministradas por professores em formação regularmente matriculados no 3º ano do Curso de Letras, habilitação em Língua Inglesa, de uma Instituição de Ensino Superior. Foi possível evidenciar que a maioria dos alunos considera importante o uso das TICs na ação pedagógica. No entanto, as ferramentas utilizadas ainda são muito convencionais e o potencial das atividades tecnológicas pouco explorado. Tal constatação evidencia as dicotomias entre o mundo analógico e digital que concorrem no contexto escolar contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosalina Dantas da Silva, Universidade Federal da Grande Dourados – (UFGD)

Mestre em Letras (2015) pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), área de concentração em Linguística e Transculturalidade, e servidora técnico-administrativa na mesma instituição, ocupante do cargo de Revisora de Textos, lotada na Editora da UFGD. Possui licenciatura em Letras, habilitação em Inglês, pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (2007) e especialização em Letras, área de concentração: Estudos Linguísticos, pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (2009).

Rafael Francisco Neves de Souza, Universidade Federal da Grande Dourados – (UFGD)

Mestre em Letras, Professor Contratado do Magistério Superior – Departamento de Letras e Inglês e suas respectivas literaturas.

Kellcia Rezende Souza, Universidade Federal da Grande Dourados – (UFGD)

Doutora em Educação. Professora da Faculdade de Educação da UFGD

Referências

BARBOSA, Ana Amáilia Tavares Bastos. O ensino de artes e de inglês: uma experiência interdisciplinar/ Ana Amália Tavares Bastos Barbosa. - São Paulo: Cortes, 2007.

BOHN, Hilário I. Ensino e aprendizagem de línguas: os atores da sala de aula e a necessidade de rupturas. In.: MOITA LOPES, L.P (Org.). Linguística Aplicada e a Modernidade Recente: Festschriff para Antonieta Celani. São Paulo: Parábola Editorial, 2013.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2000.

MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Da aplicação de linguística à linguística aplicada indisciplinar. In: PEREIRA, R. C.; ROCA, P. (Orgs.). Linguística aplicada: um caminho com diferentes acessos. São Paulo: Contexto, 2009.

IFA, Sérgio. A formação pré-serviço de professores de Língua Inglesa em uma sociedade em processo de digitalização. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2006.

MORAES, Márcia. Didática II. Rio de Janeiro: CCAA Editora, 2007.

NEGRÃO, Esmeralda; SCHER, Ana; VIOTTI, Evai. A competência linguística. In: FIORIN, J.L. et al. (Orgs.). Introdução à Linguística II: princípios da análise. 3 ed. São Paulo: Contexto, 2002. p. 95-119.

PIMENTA, Selma Garrido. Estágio: diferentes concepções. In: PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. José Cerchi Fusari (rev. téc.) – São Paulo: Cortez, 2004.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

Publicado

01/10/2019

Como Citar

SILVA, R. D. da; SOUZA, R. F. N. de; SOUZA, K. R. As tecnologias da informação e comunicação no estágio supervisionado de língua inglesa: uma reflexão na formação de professores. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 5, n. 2, p. 418–429, 2019. DOI: 10.29051/el.v5i2.12980. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/12980. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos