O ensino de língua portuguesa para estrangeiros: implicações da pluralidade de conceitos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7iesp.6.15423

Palavras-chave:

Português Língua Estrangeira. Ensino. Pluralidade de conceitos.

Resumo

O artigo apresenta os resultados preliminares do pós-doutoramento na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Discute as terminologias utilizadas pelas universidades para denominar a disciplina Português Língua Estrangeira - PLE. Como sabemos, essa disciplina pode ser designada de língua adicional, língua de herança, língua de acolhimento, entre outras. Nesse particular, a investigação busca entender se há razões para a existência de tantas denominações. Nesse sentido, faz-se necessário pesquisar se as nomenclaturas têm abordagens e/ou metodologias diferentes, com vistas a entender a opção por adotá-las. Para tanto, aplicamos um questionário, por meio do Google Forms, a professores que trabalham com o PLE em diversas instituições universitárias, para conhecermos suas percepções sobre a temática. Os resultados demonstram que, na prática, a maioria dos docentes não fazem diferença entre Português Língua Materna - PLM e PLE quanto às abordagens de ensino, bem como desconhecem particularidades das várias concepções existentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Genival Bezerrra Ferreira, Universidad de Santiago de Chile, (USACH), Santiago – Chile

Professor Associado no Departamento de Linguística e Literatura.

Referências

ALTENHOFEN, C. V. O conceito de língua materna e suas implicações para o bilinguismo (em alemão e português). Martius-Staden-Jahrbuch, São Paulo, n. 49, p. 141-161, 2002.

ANDRADE-STANZANI, L. Identidade profissional e formação de professores de português como língua adicional na Colômbia. Íkala, Revista de Lenguaje y Cultura. Medellín, v. 26, n. 2, p. 303-316, maio/ago. 2021.

BALTAZAR, A. M. F. As perguntas em português língua não materna: aprendizagem e ensino. Revista Versalete, Curitiba, SP. v. 7, n. 13, jul./dez. 2019.

BARBOSA, J. B.; FREIRE, D. J. A diversidade linguística no ensino de português como língua adicional e língua estrangeira. Estudos Linguísticos, v. 49, n. 2, p. 651-673, 2020.

BARBOSA, L. M. A. Culturas e imaginários. deslocamentos, interações e superposições. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DA REDE PICNAB, 2., 2016, Brasília. Anais [...]. Brasília, 26 abr. 2016. Disponível em https://www.facebook.com/neppeunb/videos/vb.147509432101038/ 519628491555795 / ?type = 2&theater. Acesso em: 22 out. 2020.

BARZOTTO, V. H. Modalizações em torno da prática e cristalização da imagem do professor de Língua Portuguesa. In: SOUSA, PAULINO, A. (org.); BARZOTTO, V. H. (org.); SARNPAIO, M. L. P. (org.) Formação de professor de língua portuguesa: quando a linguagem e o ensino se encontram. São Paulo: Paulistana, 2010.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica e Conselho Nacional de Educação. Base nacional comum curricular. Brasília: CNE, 2017.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Comunicação e Cultura. Proposta curricular para o ensino de português como língua de herança. Brasília: FUNAG, 2020.

CARREIRA, M. H. A. Modalização axiológica e configurações linguísticas e textuais: o ponto de vista da proxémica verbal. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIN, 2009, João Pessoa. Anais [...] João Pessoa, 2009.

DELL’ISOLA, R. L. P. “Perspectivas teóricas subjacentes às noções de gêneros: textuais ou discursivos?” In: DELL’ISOLA, R. L. P. (org.).Gêneros textuais: o que há por trás do espelho?. Belo Horizonte, MG: FALE/UFMG, 2012. p. 8-19. Disponível em: https://oportuguesdobrasil.files.wordpress.com/2015/02/generos-textuais-o-que-ha-por-tras-do-espelho.pdf. Acesso em: 16 ago. 2021.

FERREIRA. J. G. B. Mapeamento do ensino do português na educação superior no Mercosul. Da Investigação às Práticas, v. 11, n. 1, p. 150 - 170, 2021.

FILHO, J. C. P. A. O Ensino de português como língua não materna: concepções e contextos de ensino. São Paulo: Museu da Língua Portuguesa, 2017. Disponível em: www.estacaodaluz.org.br. Acesso em: 28 out. 2020.

FLORES, C. Português língua não materna: discutindo conceitos de uma perspetiva linguística. Lisboa: Lidel, 2013. p. 35-46

LEMKE, C. K. Políticas linguísticas: um estudo sobre o ensino de língua espanhola em um contexto multilíngue no Paraná – Brasil. São Paulo: USP, 2010.

LOBO, M. L. S. O ensino de português pra fins específicos no programa mais médicos para o Brasil. 2017. (Tese de Doutorado em Letras) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

MAIA, F. P. S. Atitudes linguísticas em foco: Reflexões em torno das línguas na UNILA. In: MAIA, F. P. S.; MENDES, R. M. G. (org.). Ensino e aprendizagem de línguas adicionais em foco. New Jersey: Boavista Press, 2019.

MAIA, F. P. S.; OLIVEIRA, S. B. Escrita acadêmica em aulas de português como língua adicional na graduação na perspectiva dos multiletramentos. In: OSÓRIO, P.; GONÇALVES, L. (org.). O Ensino do Português como língua não materna: metodologias, estratégias e abordagens de sucesso. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2019. v. 2.

MAIA, M. A. G. S. A cultura de aprender português como segunda língua de alunos hispanofalantes do ensino fundamental II em contexto militar de ensino. 2014. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

MENEZES, L. J. Português como língua estrangeira e segunda língua em Moçambique. PERcursos Linguísticos, v. 4, n. 8, p. 111-129, 2014.

OLIVEIRA, M. Ensino de Português como língua de acolhimento no interior do Rio Grande do Norte: Projeto SOS Português & Aldeias Infantis. Interfaces-Revista de Extensão da UFMG, v. 7, n. 1, 2019.

PINTO, N. C. O. O ensino de PLE no Brasil: história, formação e conceitos. São Paulo: Universidade São Judas Tadeu, 2014.

REIS, L. M. Através do espelho: o portal do professor de português língua estrangeira/língua não materna (PPPLE) sob uma ótica pluricêntrica e intercultural. Salvador: UFBA, 2014.

SANTOS, E. B. Português língua de acolhimento: interação e inserção social de imigrantes por meio do WhatsApp. 2018. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

SILVA, A. O. A formação do professor de português como língua estrangeira: uma proposta. Revista Philologus, Rio de Janeiro, v. 24, n. 72, set./dez. 2018.

SOUSA, M. A.; LACERDA, N. A.; SILVA, M. T. M. O ensino-aprendizagem de português para fins específicos em cursos de graduação da UFPI. Teresina: UFPI, 2014.

Publicado

28/12/2021

Como Citar

FERREIRA, J. G. B. O ensino de língua portuguesa para estrangeiros: implicações da pluralidade de conceitos. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 7, n. esp.6, p. e021143, 2021. DOI: 10.29051/el.v7iesp.6.15423. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/15423. Acesso em: 20 maio. 2022.