Construções coletivas na formação médica sobre planejamento em saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v16i2.13823

Palavras-chave:

Educação superior, Educação médica, Planejamento em saúde, Sistema único de saúde

Resumo

Objetivou-se relatar uma experiência de formação médica sobre planejamento em saúde em uma instituição pública estadual de ensino superior. A disciplina foi ofertada no 4º semestre do Curso de Medicina para 36 estudantes. Houve combinação do ensino tradicional a partir da exposição dialogada com as metodologias ativas de aprendizagem, além de visita técnica a instâncias de planejamento e atividade prática em serviços de saúde. O Google Classroom foi utilizado para comunicação, envio de materiais, postagem de atividades e feedback. As atividades desenvolvidas estimularam a colaboração e o papel ativo na aprendizagem, além de promoverem uma aproximação do contexto vivenciado pelos gestores no âmbito do Sistema Único de Saúde. Enfatizou-se o planejamento estratégico situacional e na importância da prática dialógica na proposição de ações. Esta experiência forneceu subsídios para abordagem do planejamento em saúde na formação médica, oferecendo bases para aplicação do planejamento como ferramenta de gestão.

Biografia do Autor

Ivana Cristina Vieira de Lima Maia, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza – CE

Docente do Curso de Medicina. Doutorado em Enfermagem (UFC).

Maria das Graças Barbosa Peixoto, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza – CE

Docente do Curso de Medicina.

Laura Pinho Schwermann, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza – CE

Discente no Curso de Medicina.

Diego Lopez da Silva, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza – CE

Discente no Curso de Medicina.

Davi Cesar Gama Maia, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza – CE

Discente no Curso de Medicina.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Planejamento em saúde e práticas locais. Rio de Janeiro, 2004. Unidade de aprendizagem 3: módulo 6.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política de formação e desenvolvimento para o SUS: caminhos para a educação permanente em saúde. Brasília, DF, 2003.

BRASIL. Resolução CNE/CES n. 4, de 7 de novembro de 2001. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina. 2001. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil: Seção 1, Brasília, DF: Poder Executivo, p. 38, 9 nov. 2001.

BRASIL. Resolução n. 3, de 20 de junho de 2014. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil: Seção 1, Brasília, DF: Poder Executivo, p. 8-11, 23 jun. 2014.

CAVALCANTE, T. M. et al. Uma experiência de integração ensino, serviço e comunidade de alunos do curso de graduação em medicina na atenção básica no município de Maceió. Revista Ciência Plural, v. 3, n. 3, p. 69-80, 2017.

CUSTÓDIO, J. B. et al. Desafios associados à formação do médico em saúde coletiva no curso de medicina de uma universidade pública do Ceará. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 43, n. 2, p. 114-121, 2019.

FENILI, R.; CORREA, C. E. G.; BARBOSA, L. Planejamento estratégico em saúde: ferramenta de gestão para o complexo de regulação em saúde. Revista Eletrônica Gestão e Saúde, v. 8, n. 1, p. 18-36, 2017. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5821299. Acesso em: 22 jun. 2020.

FUNGHETTO, S. S. et al. Perfil profissional tendo o SUS como base das diretrizes curriculares da área da saúde no processo avaliativo. Saúde em Redes, v. 1, n. 3, p. 103-120, 2015.

GIL, C. R. R.; LUIZ, I. C.; GIL, M. C. R. Gestão pública em saúde: a importância do planejamento na gestão do SUS. São Luís: EDUFMA, 2016. Unidade 3.

GOMES, R. M.; BRITO, E.; VARELA, A. Intervenção na formação no ensino superior: a aprendizagem baseada em problemas (PBL). Interacções, v. 12, n. 42, p. 44-57, 2016.

JUNGES, J. R.; BARBIANI, R.; ZOBOLI, E. L. C. P. Planejamento estratégico como exigência ética para a equipe e a gestão local da atenção básica em saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 19, n. 53, p. 265-274, 2015.

LACERDA, J. T. et al. Planejamento em saúde. 2. ed. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2013. Gestão de assistência farmacêutica: eixo 2: serviços farmacêuticos: módulo transversal. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/3498. Acesso em: 17 jun. 2020.

MARTINS, A. C.; FALBO NETO, G.; SILVA, F. A. M. Características do tutor efetivo em ABP: uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 42, n. 1, p. 105-114, 2018.

SANTOS JUNIOR, C. J. et al. Educação médica e formação na perspectiva ampliada e multidimensional: considerações acerca de uma experiência de ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 43, n. 1, p. 72-79, 2019.

SILVA, A. L. F. et al. Saúde e educação pelo trabalho: reflexões acerca do PET-Saúde como proposta de formação para o Sistema Único de Saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 19, n. 1, p. 975-984, 2015.

SILVA, R. E. B. G.; RAMALHO, A. P. Q.; SOUZA, C. C. O. Oficinas de planejamento em saúde na disciplina de saúde coletiva: relato de experiência. Revista de Graduação USP, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 87-91, 2018.

UZÊDA, A. A. et al. Diagnóstico e prevenção da dengue em uma área de cobertura da estratégia saúde da família. Revista de Saúde Coletiva da UEFS, Santana, v. 7, n. 2, p. 21-34, 2017.

Downloads

Publicado

27/08/2020

Como Citar

Maia, I. C. V. de L., Peixoto, M. das G. B., Schwermann, L. P., da Silva, D. L. ., & Maia, D. C. G. (2020). Construções coletivas na formação médica sobre planejamento em saúde. Temas Em Educação E Saúde, 16(2), 720–734. https://doi.org/10.26673/tes.v16i2.13823

Edição

Seção

Relatos de Experiência