Estratégias de leitura no ensino de língua inglesa: uma comparação entre o livro didático e a base nacional comum curricular (BNCC)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7i00.14218

Palavras-chave:

Ensino de Língua Inglesa, Leitura, Livro didático, BNCC

Resumo

O tema deste artigo são as atividades de leitura no ensino de língua inglesa. O objetivo é verificar as propostas de leitura da seção “Reading” no do livro didático “Beyond Words” do 6º ano do Ensino Fundamental II. O objetivo específico é analisar as prescrições para o eixo leitura na Base Nacional Comum Curricular do 6º ano e verificar as atividades de compreensão leitora do livro didático. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa documental, de cunho qualitativo e interpretativo. Teoricamente, este artigo se baseia na concepção sociocognitiva de leitura e nos estudos de leitura em língua inglesa Além de tomar como parâmetro algumas prescrições da BNCC (BRASIL, 2018). Os resultados sinalizam que as estratégias de leitura propostas neste documento são muito reduzidas em relação ao livro didático analisado. Conclui-se que o livro didático analisado está atualizado com relação à BNCC e incorpora muitos pressupostos teóricos de estudos linguísticos contemporâneos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Ferreira dos Santos, Secretaria Municipal de Educação (SME), Taubaté – SP

Professora Estatutária de Língua Inglesa. Mestrado em Linguística Aplicada (UNITAU).

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Introdução e tradução do russo Paulo Bezerra; Prefácio à edição francesa Tzvetan Todorov. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, DF: MEC; SEB, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 30 abr. 2019.

DONNINI, L.; PLATERO, L.; WEIGEL, A. Ensino de língua inglesa. Coleção Ideias em Ação. São Paulo, SP: Cengage Learning, 2013.

KLEIMAN, A. Abordagens da leitura. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 7, n. 14, p. 13-22, 2004. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12538. Acesso em 15 set. 2019.

KOCH, I. G. V. A construção dos sentidos no discurso: uma abordagem sociocognitiva. Investigações, Recife, v. 18, n. 2, p. 9-38, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/INV/article/view/1478. Acesso em: 10 dez. 2020.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gênero e compreensão. São Paulo, SP: Parábola, 2008. p. 237-241.

SANTORUM, K.; SCHERER, L. C. O papel do ensino de estratégias para o desenvolvimento da leitura em segunda língua (L2). ReVEL, v. 6, n. 11, agosto de 2008. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/artigos/revel_11_o_papel_do_ensino_de_estrategias.pdf. Acesso em: 10 set. 2019.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1996.

TOMITCH, L. M. B. Aquisição de leitura em língua inglesa. In: LIMA, D. C. (Org.). Ensino e aprendizagem de língua inglesa: conversas com especialistas. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. p. 191-201.

Publicado

01/06/2021

Como Citar

SANTOS, J. F. dos. Estratégias de leitura no ensino de língua inglesa: uma comparação entre o livro didático e a base nacional comum curricular (BNCC). Revista EntreLínguas, Araraquara, v. 7, n. 00, p. e021004, 2021. DOI: 10.29051/el.v7i00.14218. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14218. Acesso em: 21 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos