Percepções de professores em formação inicial sobre identidade, etnicidade e gênero nas aulas de língua inglesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v9i00.17451

Palavras-chave:

Identidade, Etnicidade, Gênero, Ensino de línguas estrangeiras

Resumo

As salas de aula de línguas estrangeiras podem se tornar um terreno fértil para explorar questões de identidade, etnicidade e gênero e promover uma formação que impulsiona a justiça social. De natureza qualitativa, esta investigação apresenta as bases teóricas para o estudo destas temáticas, exemplifica ações pedagógicas nas quais estas questões são exploradas no contexto escolar e analisa as percepções de futuros professores de Língua Inglesa da Universidade Estadual de Londrina (via análise de conteúdo) atrelando-as à Base Nacional Comum Curricular e às Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica. Os dados foram selecionados a partir da participação em fórum de discussão realizado após participação em um webinar. Os resultados apontam que os futuros professores têm interesse em compreender as relações de poder que afetam suas práticas docentes e agir de forma a superar o racismo e o sexismo na sociedade através da educação escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samantha Gonçalves Mancini Ramos, Universidade Estadual de Londrina

Doutora e mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina. Professora adjunta do departamento de Letras Estrangeiras Modernas.

Fernanda Machado Brener, Universidade Estadual de Londrina

Doutora em Letras pela Universidade Estadual de Maringá e mestre em Letras pela Universidade Estadual de Londrina. Professora adjunta do departamento de Letras Estrangeiras Modernas.

Jéssica Marroni Fortuna, Universidade Estadual Paulista

Mestre em Estudos Literários pela UNESP IBILCE, com pesquisa na área de Literatura de Língua Inglesa e Estudos Culturais.

Nicolas de Oliveira Santos, Universidade Estadual de Santa Cruz

Mestrando no Programa de pós-graduação em Letras - UESC/BA.

Referências

BELL, L. A. et al. Knowing ourselves as instructors. In: ADAMS, M., BELL, L. A., GRIFFIN, P (org.). Teaching for diversity and social justice. New York: Routledge, 1997.

BELL, L. A. Theoretical foundations for social justice education. In: ADAMS, M.; BELL, L. A.; GRIFFIN, P. (ed.). Teaching for diversity and social justice. 2. ed. Nova York: Taylor and Francis, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2018.

BRASIL. Resolução CNE/CP 2, de 20 de dezembro de 2019. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 46-49, 20 dez. 2019.

FANON, F. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EdUFBA, 2008.

FERREIRA, A. J.; CAMARGO, M. O racismo cordial no livro didático de língua inglesa aprovado pelo PNLD. Revista da ABPN, v. 6, n. 12, 2013. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/263713948_Racismo_Cordial_No_Livro_De_Lingua_Inglesa_Aprovado_Pelo_PNLD_Cordial_Racism_in_English_as_a_foreign_Language_Textbook_Approved_By_The_PNLD. Acesso em: 27 mar. 2023.

FERREIRA, A. J. Letramento racial crítico através de narrativas autobiográficas: com atividades reflexivas. 1. ed. Ponta Grossa, PR: Estúdio Texto, 2015. v. 1.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 11. ed. Editora Paz e Terra. Rio de Janeiro, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra. 2005.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KUBOTA, R.; LIN, A. Race and TESOL: introduction to concepts and theories. TESOL Quarterly, n. 40, v. 3, p. 471–493, 2006. Disponível em https://www.jstor.org/stable/40264540. Acesso em: 27 mar. 2023.

LEFFA, V. J. Aspectos políticos da formação do professor de línguas estrangeiras. In: LEFFA, V. J. (org.). O professor de língua estrangeira: construindo a profissão. Pelotas, RS, v. 1, p. 333-355. 2001. Disponível em: http://www.leffa.pro.br/textos/trabalhos/formacao.pdf. Acesso em: 27 mar. 2023.

MARCONI, M.; LAKATOS, E. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MELO, G. O lugar da raça na sala de aula de Inglês. Revista da ABPN, v. 7, n. 17, jul./out. 2015, p. 65-81. Disponível em https://www.academia.edu/17576222/O_LUGAR_DA_RA%C3%87A_NA_SALA_DE_AULA_DE_INGL%C3%8AS. Acesso em: 27 mar. 2023.

MOITA LOPES, L. P. Identidades Fragmentadas: a construção discursiva de raça, gênero e sexualidade em sala de aula. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2002.

NASCIMENTO, G. Ethnicity and race in English language activities at a university in Bahia. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 49, n. 173, p. 208-224, jul./set. 2019a. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/336628685_ETHNICITY_AND_RACE_IN_ENGLISH_LANGUAGE_ACTIVITIES_AT_A_UNIVERSITY_IN_BAHIA. Acesso em: 27 mar. 2023.

NASCIMENTO, G. Racismo linguístico: os subterrâneos da linguagem e do racismo. Letramento, Belo Horizonte, 2019b.

NASCIMENTO, G. O negro-tema na linguística: rumo a uma descolonização do racialismo e do culturalismo racialista nos estudos da linguagem. Polifonia, Cuiabá, v. 27, n. 46, p. 01-235, abr./jun. 2020. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/9560. Acesso em: 27 mar. 2023.

NASCIMENTO, G. Entre o lócus de enunciação e o lugar de fala: marcar o não-marcado e trazer o corpo de volta na linguagem. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 60, p. 58-68, 2021. Disponível em https://www.scielo.br/j/tla/a/r7rQrXcSvgQFTx3WNft4Rff/. Acesso em: 27 mar. 2023.

PENNYCOOK, A.; MAKONI, S. Disinventing multilingualims: from monological multilingualism to multilanguage francas. The Routledge Handbook of Multilingualism, 2012.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, v. 20, n. 2, 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721. Acesso em: 27 mar. 2023.

TEIXEIRA, C. S.; RIBEIRO, M. D. A. Ensino de língua estrangeira: concepções de língua, cultura e identidade no contexto ensino/aprendizagem. Linha D’Água, v. 25, n. 1, p. 183-201, 2012. DOI: 10.11606/issn.2236-4242.v25i1p183-201. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/37372. Acesso em: 27 mar. 2023.

VOLOSÍNOV, V. N. Marxism and the philosophy of language. New York: Seminar, 1973.

Publicado

14/11/2023

Como Citar

RAMOS, S. G. M.; BRENER, F. M.; FORTUNA, J. M.; SANTOS, N. de O. Percepções de professores em formação inicial sobre identidade, etnicidade e gênero nas aulas de língua inglesa. Revista EntreLinguas, Araraquara, v. 9, n. 00, p. e023014, 2023. DOI: 10.29051/el.v9i00.17451. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/17451. Acesso em: 20 jun. 2024.