COVID-19 e uso de plataformas digitais: reverberações da sala de aula do espaço físico para o virtual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7i00.15158

Palavras-chave:

Pandemia, Práticas discursivas, Dialogismo, Interação verbal

Resumo

Este trabalho busca analisar pronunciamentos enunciativos extraídos de questionários semiestruturados realizados por e-mail, em meio à pandemia do coronavírus, com 13 professores de língua inglesa da Rede Pública Municipal de Ensino de Blumenau, que trabalharam em modo remoto durante o ano letivo de 2020. Desse modo, busca-se mobilizar os conceitos bakhtinianos de dialogismo e de discurso no âmbito da análise efetuada. Para isso, percorrer-se-ão, teoricamente, contribuições pontuais dos estudos do Círculo de Bakhtin para os Estudos da Linguagem. Vale destacar que, na análise efetuada, focaremos na devolutiva dos docentes acerca da experiência de formação durante a licenciatura acerca do uso de tecnologias digitais no âmbito educacional. Conclui-se que os sujeitos discursivos são singulares, intercambiáveis e o enunciado concreto se articula a um ato responsável e responsivo, que reitera a inter-relação entre enunciados e o dialogismo das instâncias de interação verbal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caique Fernando da Silva Fistarol, Secretaria Municipal de Educação (SME), Blumenau – SC

Professor de Língua Inglesa na Rede Municipal de Ensino, Coordenador da Educação Bilíngue e de Língua Inglesa. Mestrado em Educação (FURB).

Éderson Luís Silveira, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis – SC

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística. Membro-Pesquisador do Grupo de Pesquisa Formação de Professores de Línguas e Literatura – FORPROLL/CNPq e do GESTAR/CNPq.

Adriana Fischer, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Professora Adjunta do Centro de Ciências da Educação, Artes e Letras (Departamento de Letras) e do Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado e Doutorado). Doutorado em Linguística (UFSC).

Referências

ARAUJO, I. A. A. Formação de professores e tecnologias da informação e da comunicação: Professor, você tem medo de quê? Vertentes, São João Del-Rei, n. 35, p. 1-15, out. 2010.

BARROS, D. L. P. Contribuições de Bakhtin às teorias do discurso. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: dialogismo e construção de sentido. 2. ed. Campinas: editora da Unicamp, 2005. p. 25-36.

BARTHOLO, T. L.; KOSLINSKI, M. C.; COSTA, M.; BARCELLOS, T. O que as crianças sabem ao ingressarem na pré-escola na cidade do Rio de Janeiro? Ensaio: aval. pol. púb. educ., Rio de Janeiro, v. 28, n. 107, p. 292-313, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-40362019002702071

CAMAS, N. P. V.; MANDAJI, M.; RIBEIRO, R. A.; MENGALLI, N. M. Professor e cultura digital: reflexão teórica acerca dos novos desafios na ação formadora para nosso século. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 21, p. 179-198, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v21i2.3834

COLEMAN, J. et al. Equality of educational opportunity. Washington: Government Printing Office, 1966.

FISTAROL, C. F. S.; FISCHER, A.; BAILER, C. Práticas de letramentos vernaculares em língua inglesa: a práxis na aprendizagem além do currículo formal da universidade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 4, p. 2358-2376, out./dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i4.12719

GARCIA, C. M. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 11-49, ago./dez. 2010.

GEE, J. P. Social linguistics and literacies: ideology in Discourses. 2. ed. London/ Philadelphia: The Farmer Press, 1996.

GOIS, A. Incertezas, possibilidades e o que haverá de solido na educação depois da pandemia. In: NEVES, J. R. C (Org.). O mundo pós-pandemia. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2020, p. 108-111.

HECKMAN, J. J. et al. The rate of return to the High Scope Perry Preschool Program. Journal of Public Economics, v. 94, n. 1-2, p. 114-128, fev. 2010.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/blumenau/panorama. Acesso em 20 mar. 2021.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28. jan./abr. 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003

LARROSA, J. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

LEA, M.; STREET, B. Student Writing in higher education: an academic literacies approach. Studies in Higher Education, London, v. 23, n. 2, p. 157-16, June 1998.

LIMA, A. C. S.; SANTOS, L. F. Dialogismo e produções responsivas ativas: analisando práticas discursivas em aulas de língua portuguesa. Letras & Letras, v. 29, n. 2, p. 1-11, 2013.

PAULA, L. de; SERNI, N. M. A vida na arte: a verbivocovisualidade do gênero filme musical. Raído, v. 11, n. 25, p. 178-201, jul. 2017.

PAULA, L. O enunciado verbivocovisual de animação – a valoração do “amor verdadeiro” Disney – uma análise de Frozen. In: FERNANDES JR., A.; STAFUZZA, G. B. (Org.). Discursividades Contemporâneas: política, corpo e diálogo. Campinas: Mercado de Letras, 2017. p. 287-314.

PAULA, L.; FIGUEIREDO, M. H.; PAULA, S. L. O Marxismo do/no Círculo. Slovo – o Círculo de Bakhtin no contexto dos estudos discursivos. Curitiba: Appris, 2011.

PAULA, L.; LUCIANO, J. A. R. Filosofia da linguagem bakhtiniana e sua tridimensionalidade verbivocovisual. Estudos Linguísticos, São Paulo v. 49, n. 2, p. 706-722, jun. 2020a.

PAULA, L.; LUCIANO, J. A. R. Filosofia da linguagem bakhtiniana: concepção verbivocovisual. Revista Diálogos (RevDia), v. 8, n. 3, p. 131-151, 2020b.

PNUD. Programa das Nação Unidas para o Desenvolvimento. Disponível em: https://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/. Acesso em: 27 mar. 2021.

RIBEIRO, V. M.; VÓVIO, C. L. Desigualdade escolar e vulnerabilidade social no território. Educar em Revista, Edição Especial, n. 2, p. 71-87, set. 2017.

SILVEIRA, É. L.; LOPES, L. R. Revisitando Bakhtin: notas sobre a lexicalidade entre palavras, (diálogo entre) discursos e a contribuição para os Estudos da Linguagem. In: SANTOS, E. S.; ALMEIDA, A. D.; NETO, N. A. S. Olhares sobre o léxico: perspectivas de estudo. Salvador: EDUNEB, 2018. p. 343-356.

SILVEIRA, É. L.; SANTANA, W. K. F. “Ele não” como ato de resistência: notas sobre Bakhtin, Foucault e a necessidade de dizer a verdade em atos responsáveis. In: FRANCELINO, P. F.; SANTANA, W. K. F. (Org.). Bakhtin e o Círculo em fronteiras do discurso. São Carlos: Pedro & João, 2019, v. 1, p. 87-116.

SINTEX. Sindicato das indústrias de fiação, tecelagem e do vestuário de Blumenau. Economia diversificada e inovação se destacam para geração de empregos em Blumenau. Sintex, Blumenau, 06 set. 2028. Disponível em: http://www.sintex.org.br/noticia/2018/09/06/economia-diversificada-e-inovacao-se-destacam-para-geracao-de-empregos-em-blumenau. Acesso em: 23 nov. 2020.

SÚNEGA, P. B. C.; GUIMARÃES, I. V. A docência e os desafios da cultura digital. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 25, n. 1, p. 178-197, jan./abr. 2017.

VOLÓCHINOV, V. (Círculo de Bakhtin). Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. Ensaio introdutório de Sheila Grillo. São Paulo: Editora 34, 2017.

Publicado

01/06/2021

Como Citar

FISTAROL, C. F. da S.; SILVEIRA, Éderson L.; FISCHER, A. COVID-19 e uso de plataformas digitais: reverberações da sala de aula do espaço físico para o virtual. Revista EntreLínguas, Araraquara, v. 7, n. 00, p. e021001, 2021. DOI: 10.29051/el.v7i00.15158. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/15158. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos