A página omissa: contribuições para uma história do ensino de línguas no Brasil

José Carlos Paes Almeida Filho

Resumo


A aprendizagem e o ensino de línguas formam uma área prática profissional e uma área teórica. Essa área se conhece por Aquisição e Ensino de Línguas (AELin) ou, simplesmente, Ensino de Línguas, e inclui o processo formador de agentes que concorrem a esses processos. Esses processos existiram desde sempre na história educacional do país, mas tardamos em reconhecer e ter reconhecida essa narrativa do seu vir-a-ser como especialidade tributária. A bibliografia é escassa e há muito pouca oferta dessa especialidade como disciplina nos currículos ditos de Letras na grande área da Linguagem. Neste artigo, retomo a escrita sobre a trajetória de personagens, fatos e enredo da história do ensino de línguas no Brasil não para sinalizar períodos e pontos de emergência de consciência de área, mas, para discutir, principalmente, a falta de estudos de natureza histórica para o ensino de línguas (estrangeiras e o Português na perspectiva de LE) e para a constituição de uma disciplina científica madura e pujante de história nos currículos de graduação em Letras e de pós nos estudos de ensino e aprendizagem de línguas no país.


Palavras-chave


História do ensino de línguas no Brasil; Aprendizagem e ensino de línguas; Ensino de línguas: aspectos históricos; História do ensino de línguas; Formação de professores de línguas;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29051/el.v1i2.8059



Direitos autorais 2015 Revista EntreLínguas



Rev. EntreLínguas, Araraquara, SP, Brasil. e-ISSN: 2447-3529

DOI Prefix: 10.02951/rel

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.