Comunicação oral e voz do professor de educação física escolar - um recurso de trabalho em risco

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v15i2.13154

Palavras-chave:

Professor, Educação física, Comunicação oral, Voz.

Resumo

O uso da voz como recurso de trabalho pelo professor de educação física escolar revela peculiaridades relacionadas à profissão, tais como demanda vocal intensa em ambientes inapropriados acusticamente, o que ocasiona desgaste vocal com prejuízo na prática profissional. Esta pesquisa busca compreender as relações entre risco vocal e interações por comunicação oral de professores de educação física com seus alunos. Os dados foram obtidos por questionários e respostas a uma escala de sintomas vocais. Os resultados salientam dificuldades dos professores decorrentes do uso da voz durante as aulas e revelam iniciativas isoladas para minimizar o desconforto vocal, confirmando as expectativas de necessidade da preparação do professor para o uso da voz no trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vagner José Pedersen, Universidade de Araraquara-SP

Professor de Educação Física escolar graduado pela Fundação Educacional São Carlos em 1986. Especializado em fisiologia do exercício pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR - em 2002. Mestre em educação pela Universidade de Araraquara - UNIARA - em 2017. Atualmente é professor de educação física na Escola Técnica "Professor Armando Bayeux da Silva" de Rio Claro - SP.

Maria Lucia Oliveira Suzigan Dragone, Universidade de Araraquara - UNIARA.

Doutora e Mestre em Educação Escolar - UNESP-FCLAr. Fonoaudióloga - PUCCamp. Docente Programa de Pós-Graduação em Processos de Ensino, Gestão e Inovação - Mestrado profissional em Educação- UNIARA. Docente Cursos de Pedagogia presencial e EaD - UNIARA.

 

Referências

ALVES, Nássara Luiza Lanzoni. Distúrbio de voz e capacidade para o trabalho em docentes: um estudo caso-controle. Orientador: Léslie Piccolloto Ferreira. 2011. 63 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11910. Acesso em: 20 nov. 2019.

BEHLAU, Mara; ZAMBON, Fabiana C.; MORETI, Felipe; OLIVEIRA, Gisele; COUTO JR, Euro Barros. Voice self-assessment protocols: different trends among organic and behavioral dysphonias. Journal of Voice, Philadelphia, USA. v. 31, n. 1, p. 112-27, jan. 2017.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2ª versão. 2016. 652 p.

CRUZ, Ana Maria Lima; SILVA, Paulo da Trindade Nerys. A prática pedagógica dos professores de educação física nas escolas públicas de São Luíz - MA. 2002. 21 p. Disponível em: http://www.ufpi.br/subsiteFiles/ppged/arquivos/files/eventos/evento2002/GT.2/GT2_4_2002.pdf. Acesso em: 2 set. 2015.

CUNHA, Denise de Souza. Distúrbios vocais, estresse e condições de trabalho e associação entre tempo máximo de fonação e a regulação autonômica cardíaca em professores de educação física do ensino fundamental de escolas públicas de Marília (SP). Orientador: Vitor Engrácia Valenti. 2013. 83 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia), Universidade Estadual Paulista, Marília, 2013. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/89926. Acesso em: 20 nov. 2019.

DAOLIO, Jocimar. Os significados do corpo na cultura e as implicações para a Educação Física. Porto. Movimento, Porto Alegre, n. 2, p. 24-28, jun. 1995.

ESTEVES, Daiane Clara. A influência da hidratação sistêmica na qualidade vocal. Coordenador: Lídia Cristina da Silva Teles. 2011. 77 f. Dissertação (Mestrado em Bioengenharia), Universidade de São Paulo, São Carlos, 2011. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/82/82131/tde-17072012-151625/pt-br.php. Acesso em: 20 nov. 2019.

FERREIRA, Léslie Piccolotto et al. Condições de produção vocal de professores da rede do município de São Paulo. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, v. 14, n. 2, p. 275-308, jun. 2003.

FERREIRA, Léslie Piccolotto et al. Distúrbio de voz relacionado ao trabalho: proposta de um instrumento para avaliação de professores. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, n. 19, p. 127-136, abr. 2007.

KLODSINKI, Dhayane et al. Correlation between voice symptoms and auditory-perceptual evaluation of voice in dysphonic individuals. Audiology – Communication Research, São Paulo. v. 20, n. 1, p. 84-7, set. 2015.

MORETI, Felipe et al. Equivalência cultural da versão Brasileira da Voice Symptom Scale: VoiSS. Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo. v. 23, n. 4, p. 398-400, dez. 2011.

MORETI, Felipe et al. Cross-cultural Adaptation, validation, and cutoff values of the Brazilian version of the Voice Symptom Scale – VoiSS. Journal of Voice, Philadelphia. v. 28, n. 4, p. 454-465, jul. 2014.

REINA, Fábio Tadeu. O papel da disciplina educação física no processo de inclusão de alunos provindos das camadas populares no espaço escolar. Orientadora: Luci Regina Muzzeti. 2005. 133 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2005. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/90353. Acesso em: 20 nov. 2019.

SALEMA, Luís Fernando Pinto; MENDES, Ana; RODRIGUES, Américo. Prevalência dos problemas de voz em professores dos segundo e terceiro ciclos do ensino básico e do ensino secundário. Revista da Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial. Lisboa, v. 44, n. 4, p. 379-397, dez. 2006. Disponível em: http://www.journalsporl.com/index.php/sporl/article/viewFile/495/395. Acesso em: 25 dez.2016.

SOARES, Carmem Lucia. Educação física: raízes europeias e Brasil. Campinas: Autores Associados, 2004.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE FONOAUDIOLOGIA- SBFa. Respostas para as perguntas mais frequentes sobre voz – FAQs. 2008/2009. Disponível em: http://www.sbfa.org.br/portal/pdf/faq_voz. pdf. Acesso em: 20 nov. 2016.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

Publicado

30/07/2019

Como Citar

PEDERSEN, V. J.; DRAGONE, M. L. O. S. Comunicação oral e voz do professor de educação física escolar - um recurso de trabalho em risco. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 15, n. 2, p. 277–290, 2019. DOI: 10.26673/tes.v15i2.13154. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/13154. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Área da Educação