Relatos de mães ouvintes sobre os processos comunicativos com filhos surdos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26673/tes.v17i00.14665

Palavras-chave:

Surdez, Comunicação, Família, Aprendizagem

Resumo

Este estudo tem o objetivo de caracterizar os processos de comunicação entre mães ouvintes e filhos surdos no lar. Participaram deste estudo três mães ouvintes com filhos surdos em idade escolar. Para a coleta dos dados, foram realizadas entrevistas em áudio gravadas com as mães. Os resultados apontaram que as mães ouvintes fazem uso constante da linguagem oral e de gestos caseiros para se comunicarem com as crianças surdas e consideram os processos de comunicação satisfatórios, embora algumas vezes difíceis. A negação da condição de surdez encontra-se nas entrelinhas das respostas e revelou-se a expectativa de que as crianças venham a ouvir e falar para melhor se desenvolverem. Evidenciou-se que não houve menção pelas mães da possibilidade de comunicação por Língua de Sinais com seus filhos surdos, o que poderia favorecer o desenvolvimento da linguagem e da aprendizagem das crianças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lidiane Augusta Ferrari Botteon, Centro Universitário Padre Albino (UNIFIPA), Catanduva – SP

Docente no curso de Pedagogia. Mestrado em Educação (UNIARA).

Maria Lucia Oliveira Suzigan Dragone, Universidade de Araraquara (UNIARA), Araraquara – SP

Docente nos cursos de Pedagogia presencial e EaD e no Programa de Pós-Graduação em Processos de Ensino, Gestão e Inovação. Doutorado em Educação Escolar (UNESP).

Referências

GOLDFELD, M. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sócio-interacionista. São Paulo: Ed. Plexus, 1997. 171 p.

LACERDA, C. B. F. Um pouco da história das diferentes abordagens na educação dos surdos. Cadernos Cedes, Campinas, v. 19, n. 46, p. 68-80, set. 1998. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32621998000300007

LIEBER, S. N. Aspectos da constituição de uma criança surda pela fala do ouvinte: Entre traços e significantes. 2015. 119 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

NEVES, R. T. Políticas Públicas de Inclusão de alunos com deficiência de 1994 a 2014: limites e perspectivas na inclusão de alunos surdos no município de Colombo-PR. 2016. 141 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Tuiutí do Paraná, Paraná, 2016.

PAIVA, A. B. S. O aluno surdo na escola regular: imagem e ação do professor. 2003. 103 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

SCHIAVON, D. N. Prática pedagógica com alunos surdos: sala de recursos e classe comum. 2012. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2012.

SKLIAR, C. A surdez: um olhar sobre as diferenças. 6. ed. Porto Alegre: Mediação, 2013. 189 p.

TAVARES, M. Os efeitos do diagnóstico nos pais da criança surda: uma análise discursiva. 2001. 181 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2001.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. Trad. Jefferson Luiz Camargo. Rev. José Cipolla Neto. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 169 p.

WINNICOTT, D. W. A família e o desenvolvimento individual. Trad. Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 1993. 247 p.

Publicado

20/04/2021

Como Citar

BOTTEON, L. A. F.; DRAGONE, M. L. O. S. Relatos de mães ouvintes sobre os processos comunicativos com filhos surdos. Temas em Educação e Saúde , Araraquara, v. 17, n. 00, p. e021005, 2021. DOI: 10.26673/tes.v17i00.14665. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/tes/article/view/14665. Acesso em: 11 maio. 2021.