O estigma presente nos discursos de professores sobre laudos e a relação com as queixas escolares

Análise a partir de um contexto neoliberal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v23i00.16203

Palavras-chave:

Transtornos mentais, Dificuldade de aprendizagem, Educação inclusiva, Estigma, Neoliberalismo

Resumo

Esse trabalho buscou compreender concepções sobre as crianças com laudos. O objetivo foi analisar os discursos sobre os laudos como solução para queixas de dificuldades de aprendizagem. Foram entrevistados professores e profissionais de apoio da rede pública de ensino em uma cidade no interior de Goiás. As entrevistas foram transcritas e, na sequência, foi feita uma análise de conteúdo (temática). A partir das temáticas centrais nos discursos dos entrevistados, foram criadas seis categorias e aqui será apresentada a categoria “Concepções sobre laudos e crianças com dificuldades de aprendizagem”. Observou-se, nos discursos, forte influência da concepção médica e biológica dos problemas de aprendizagem, além de estereótipos e preconceitos em relação às crianças com transtornos mentais e/ou dificuldades de aprendizagem. É necessário um olhar crítico dos profissionais que se inserem na educação para superar concepções de sujeito descontextualizadas do cenário social, econômico, político e educacional para, então, alcançar uma educação inclusiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Alves de Castro, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia – GO – Brasil

Psicóloga. Mestrado em Educação (UFG-Regional Jataí).

Eveline Borges Vilela-Ribeiro, Universidade Federal de Jataí (UFJ), Jataí – GO – Brasil

Professora. Doutorado em Química (UFG).

Referências

AMERICAM PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais - DSM-V. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BAUTHENEY, K. C. S. F. Transtornos de aprendizagem: Quando “ir mal na escola” torna-se um problema médico e/ou psicológico. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: https://repositorio.minedu.gob.pe/bitstream/handle/20.500.12799/1649/2011_Bautheney_Transtornos%20de%20aprendizagem-%20quando%20ir%20mal%20na%20escola%20torna-se%20um%20problema%20médico%20eou%20psicológico.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 19 jan. 2022.

BENEDETTI, M. D. et al. Medicalização e educação: Análise de processos de atendimento em queixa escolar. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 73-81, jan./abr. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pee/a/L3mdKtNP76n377M9F5SzhnN/abstract/?lang=pt. Acesso em: 23 fev. 2022.

BRASIL. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília, DF: UNESCO, 1994.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC; SECADI, 2014.

CASTRO, A. A. O estigma presente nos discursos de professores sobre laudos e a relação com as queixas escolares: análise a partir de um contexto neoliberal. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí, Goiás, 2021.

Conselho Federal de Psicologia - CFP. Resolução CFP 06/2019 comentada. Orientações sobre elaboração de documentos escritos produzidos pela(o) psicóloga(o) no exercício profissional. Brasília, DF: CFP, 2019.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 69. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019.

FREITAS, M. C.; GARCIA, E. C. De diagnósticos e prognósticos: Laudos na configuração de muitas experiências de escolarização. Cadernos de Pesquisa, v. 49, n. 173, p. 316-340, jul./set. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742019000300316&script=sci_arttext. Acesso em: 15 nov. 2019.

MARINHO, C. C.; OMOTE, S. Concepções de futuros professores a respeito da Educação Inclusiva e Educação Especial. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 30, n. 59, p. 629-641, set./dez. 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/3131/313153445007/html/. Acesso em: 18 abr. 2022.

OLIVEIRA, A. F. T. M.; ARAÚJO, C. M. A formação de professores para educação inclusiva no portal do professor do MEC: Discurso inclusivo x discurso médico. Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 140, p. 829-846, jul./set. 2017. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=87353321017. Acesso em: 18 ago. 2018.

Organização Mundial da Saúde - OMS. Classificação Internacional de Doenças e problemas relacionados à saúde: Décima revisão. São Paulo: Centro Colaborador da OMS para Classificação de Doenças em português, 1993.

PATTO, M. H. S. A escola transformadora: Da escola que temos à escola que queremos. In: KUPFER, M. C. M.; PATTO, M. H. S.; VOLTOLINI, R. (org.). Práticas inclusivas em escolas transformadoras: Acolhendo o aluno-sujeito. São Paulo: Escuta: Fapesp, 2017.

PATTO, M. H. S. Para uma crítica da razão psicométrica. Psicologia USP, v. 8, n. 1, 1997. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-65641997000100004&script=sci_arttext. Acesso em: 08 jul. 2020.

RAMOS, C. L. O “laudo” na inclusão de alunos no ensino regular: Uma estratégia da governamentalidade biopolítica. In: ANPED SUL, 10., 2014, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: Universidade do Estado de Santa Catarina, 2014. Disponível em: http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/1947-0.pdf. Acesso em: 08 fev. 2022.

SAVIANI, D. Transformações do capitalismo, do mundo do trabalho e da educação. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L. (org.). Capitalismo, trabalho e educação. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SILVA, C. C. B.; MOLERO, E. S. S.; ROMAN, M. D. A Interface entre Saúde e Educação: Percepções de educadores sobre educação inclusiva. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 109-115, jan./abr. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pee/a/hX5BPPhkyVgtBgTWHMyd7yg/?format=html&lang=pt. Acesso em: 11 jan. 2022.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 2017.

Publicado

30/11/2022

Como Citar

CASTRO, A. A. de; VILELA-RIBEIRO, E. B. O estigma presente nos discursos de professores sobre laudos e a relação com as queixas escolares: Análise a partir de um contexto neoliberal. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 23, n. 00, p. e022008, 2022. DOI: 10.30715/doxa.v23i00.16203. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/16203. Acesso em: 28 jan. 2023.