“Gosto muito de estudar inglês”: atitudes positivas em relação à aprendizagem da língua inglesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29051/el.v7i00.14745

Palavras-chave:

Atitudes positivas, Língua inglesa, Ensino-aprendizagem

Resumo

Este artigo foi elaborado sob a égide da Linguística Aplicada. O tema central são as atitudes positivas de aprendizes de língua inglesa. No cerne dessa reflexão emergem alguns fatores diretamente relacionados às atitudes, como motivação e orientação para aprender uma língua estrangeira. O objetivo deste trabalho é discutir como as atitudes são originadas, ressaltando a elaboração de um continuum das atitudes positivas, para uma melhor compreensão delas. Para tanto, são apresentados dados da pesquisa etnográfica, gerados a partir de uma entrevista conduzida com 91 estudantes da graduação da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, que apontam a ocorrência de orientações instrumental e integrativa e da motivação. A relevância deste trabalho reside no fato de poder apresentar dados que podem auxiliar professores de língua inglesa a terem uma compreensão mais acurada da questão das atitudes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávius Almeida dos Anjos, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Santo Amaro – BA

Professor Adjunto de Língua Inglesa no Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas. Doutorado em Língua e Cultura (UFBA).

Referências

ALLPORT, G. W. The historical background of modern social psychology. In: LINDZEY, G. (Ed.). Handbook of social psychology. Cambridge University Press, 1954.

ANJOS, F. A. "Passei o semestre todo estudando o verbo to be": atitudes, (des)motivação e orientação para aprender inglês de alguns bacharelandos da UFRB. 2018. 254 f. Tese (Doutorado r em Língua e Cultura) – Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2018.

BORTONI-RICARDO, S. M.; PEREIRA, A. D. P. Formação continuada de professores e pesquisa etnográfica colaborativa: a formação do professor pesquisador. Revista Moara, Belém. n. 26, p. 149-162. Ago./dez. 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.18542/moara.v2i26.3317

BZUNECK, J. A.; BORUCHOVITCH, E. (Org.). A motivação do aluno: contribuições da psicologia contemporânea. Petropólis, RJ: Vozes, 2011.

DÖNEYI, Z. Motivation and motivating in the foreign language classroom. The modern language journal, v. 78, n. 3, p. 273-284, 1994.

EAGLY, A. H.; CHIKEN, S. The psychology of attitudes. Fort Worth, TX: Harcourt Brace Jovanovich, 1993.

GARDNER, R. C.; LAMBERT, W. E. Attitudes and motivation in second language learning. Rowley, Mass: Newbury House, 1959.

GARDNER, R. C. Social Psychology and second language learning: the role of attitudes and motivation. Edward Arnold, 1985.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. 1. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

GHAZVINI, S. D.; KHAJEHPOUR, M. Attitudes and motivation in learning English as second language in high school students. Procedia Social and Behavioral Sciences, cidade, v. 15, p. 1209-1213, 2011.

GIROUX, H. A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Trad. Daniel Bueno. Porto Alegre: Artmed, 1997.

GRADDOL, D. English next: why global English may mean the end of English as a foreign language. The British Council. London: The English Company (UK) Ltda, 2004.

GUIMARÃES, S. É. R. Motivação intrínseca, extrínseca e o uso de recompensas em sala de aula. In: BORUCHOVITCH, E.; BZUNECK, J. A. (Org.). A motivação do aluno: contribuição da psicologia contemporânea. Petropólis, RJ: Vozes, 2011. p. 37-57.

HOSSEINI, S.B.; POURMANDNIA, D. Language learners´attitudes and beliefs: brief review of the related literature and frameworks. International Journal on new trends and education and their implications, v. 4, n. 4, p. 63-7, 2013.

JACOB, L. K. Diferenças motivacionais e suas implicações no processo de ensino/aprendizagem de Espanhol como língua estrangeira. In: CONSOLO, D. A.; VIEIRA-ABRAHÃO, M. H. Pesquisas em linguística aplicada. Ensino e aprendizagem de língua estrangeira. São Paulo: Unesp, 2004. p. 31-54.

MOITA LOPES, L. P. Oficina de linguística aplicada. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1996.

NICHOLSON, S. J. Influencing motivations in the foreign language classroom. Journal of International Education Research, v. 9, n. 3, p. 277-286, 2013.

RAMOS, E. Transferência fonológica no ensino de língua inglesa. In: LIMA, D. C. (Org.). Inglês em escolas públicas não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola, 2011. p. 53-58.

RICHARDS, J. C.; RODGERS, T. S. Approaches and methods in language teaching. United Kingdom: Cambridge University Press, 2014.

SCHEYERL, D. Ensinar língua estrangeira em escolas públicas noturnas. In: LIMA, D. C. (Org.) Ensino/aprendizagem de língua inglesa: conversas com especialistas. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. p. 125-139.

YU, Y. Attitudes of learners toward English: a case of chinese college students. 20120. 195 f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Ohio, Ohio, 2010. Disponível em: https://etd.ohiolink.edu/!etd.send_file?accession=osu1283303545&disposition=inline. Acesso em: 03. set. 2020.

Publicado

01/06/2021

Como Citar

ANJOS, F. A. dos. “Gosto muito de estudar inglês”: atitudes positivas em relação à aprendizagem da língua inglesa. Revista EntreLínguas, Araraquara, v. 7, n. 00, p. e021006, 2021. DOI: 10.29051/el.v7i00.14745. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/entrelinguas/article/view/14745. Acesso em: 21 jun. 2021.

Edição

Seção

Artigos