O pai e a escolarizaçao dos filhos

Geraldo Romanelli

Resumo


As relações entre família e escola têm sido objeto de pesquisas voltadas para a investigação dos elos entre as duas instituições. Esses estudos, sobretudo na área da sociologia da educação, procuram descrever e analisar esses vínculos para contribuir para aprimorar o conhecimento acerca do processo de escolarização de crianças, adolescentes e jovens.  No entanto, a leitura de resultados de pesquisas publicadas em livros e periódicos das áreas de educação, sociologia, antropologia e psicologia sobre o processo de escolarização e a relação entre família e escola mostrou que a figura paterna é pouco presente nos estudos sobre o tema.  Este artigo debruça-se sobre o modo como é construída a condição paterna procurando discutir as representações sobre ela e acerca do exercício da paternidade visando contribuir para elucidar os motivos da relativa escassez de análises sobre a atuação do pai nos estudos que tratam da família e do processo de escolarização dos filhos.


Palavras-chave


Pai. Paternidade. Paternagem. Família e escola. Escolarização dos filhos.

Texto completo:

PDF

Referências


ABADE, F. Famílias patrifocais: paternagem e socialização dos filhos. 2014. 90f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-13052014-113027/pt-br.php. Acesso em: 17 nov. 2017.

BILAC, E. D. Trabalho e família: articulações possíveis. Tempo Social: Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v.26, n.1, p.129-145, jun. 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/84984/87748. Acesso em: 17 nov. 2017.

BOURDIEU, P. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Org.). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998a. p.71-79.

BOURDIEU, P. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Org.). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998b. p.39-64.

BOURDIEU, P. O espírito de família. In: BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1997. p.124-135.

BRAGA, M. J. O bom desempenho escolar em meios populares: um elemento para uma definição e alguns dados de pesquisa. Sociologia da educação, [S.l.], v.2, n.3, p.107-124, 2012.

BRANDÃO, Z.; CARVALHO, C. P. Processos de produção das elites escolares. Educação e Sociedade, Campinas, v.32, n.115, p.507-522, 2011.

BRASIL. Lei n. 13.257, de 8 de março de 2016. Dispõe sobre as políticas públicas para a primeira infância e altera a Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), o Decreto-Lei no 3.689, de 3 de outubro de 1941 (Código de Processo Penal), a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, a Lei no 11.770, de 9 de setembro de 2008, e a Lei no 12.662, de 5 de junho de 2012. Diário Oficial da União: República Federativa do Brasil: Poder Legislativo, Brasília, DF, 9 mar. 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/l13257.htm. Acesso em: 01 dez. 2017.

BRASIL. Lei n. 11.698, 13 de junho de 2008. Altera os arts. 1.583 e 1.584 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 – Código Civil, para instituir e disciplinar a guarda compartilhada. Diário Oficial da União: República Federativa do Brasil: Poder Legislativo, Brasília, DF, 16 jun. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11698.htm. Acesso em: 01 dez. 2017.

BRUGEILLES, C.; SEBILLE, P. Le partage des tâches parentales: les pères, acteurs secondaires. Informations sociales, Paris, n.176, p.24-30, 2013.

BRUSCHINI, M. C. A.; RICOLDI, A. M. Revendo estereótipos: o papel dos homens no trabalho doméstico. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v.20, n.1, p.259-287, 2012.

BRUSCHINI, M. C. A.; RICOLDI, A. M. Família e trabalho: difícil conciliação para mães trabalhadoras de baixa renda. Cadernos de Pesquisa, [S.l.], v.39, n.136, p.93-123, 2009.

CARSTEN, J. (Org.). Cultures of relatedness: new approaches to the study of kinship.

Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

CARVALHO, M. P.; SENKEVICS, A. S.; LOGES, T. A. O sucesso escolar de meninas de camadas populares: qual o papel da socialização familiar? Educação e Pesquisa, São Paulo, v.40, n.3, p.717-734, jul./set., 2014.

CHAUVIÉRE, M. La parentalité comme catégorie de l'action publique. Informations sociales, Paris, n.149, p.16-29, 2008.

CIA, F.; BARHAM, E. J. Influências das condições de trabalho do pai sobre o relacionamento pai-filho. Psico-USF, São Paulo, v.11, n.2, p.257-264, 2006.

COSTA, J. F. Ordem médica e norma familiar. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

DONOSO, L. B. Práticas paternas na educação dos filhos: um estudo com pais trabahadores manuais. 2015. 158f. Dissertação (Mestrado em educação) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.

GIDDENS, A. A transformação da intimidade. São Paulo: Ed. da UNESP, 1993.

GLÓRIA, D. M. A. Uma análise de fatores sociodemográficos e sua relação com a escolarização dos filhos em famílias de camadas médias. 2007. 288f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

LAMB, M. E. Introduction: the emergent american father. In: LAMB, M. E. (Org.). The father's role: cross-cultural perspectives. London: Lawrende Erlbaum, 1987. p.3-25.

LYRA, J. et al. Homens e cuidados: uma outra família. In: ACOSTA, A. R.; VITALE, M. A. F. (Org.). Família: redes, laços e políticas públicas. São Paulo: Cortez , 2010. p.79-91.

MARTIAL, A. Des pères « absents aux pères « quotidiens »: représentations et discours sur la paternité dans l'après-divorce, Informations sociales, Paris, n.176, p.36-43, 2013.

MARTIAL, A. Le travail parental: du côté des pères séparés et divorcés. Informations sociales, Paris, n.154, p.96-104, 2009.

MONTANDON, C. As práticas educativas parentais e a experiência das crianças. Educação e sociedade, Campinas, v.26, n.9, p.485-507, 2005.

NOGUEIRA, M. A. As construções da excelência escolar: um estudo de trajetórias feito com estudantes universitários provenientes das camadas médias intelectualizadas. In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.; ZAGO, N. (Org.). Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. 6.ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p.125-153.

NOGUEIRA, M. A. Classes médias e escola: novas perspectivas de análise. Currículo sem fronteiras, [S.l.], v.10, n.1, p.211-231, 2010.

ORAIN, R. Paternité et enjeux professionnels. Informations sociales, Paris, n.176, p.58-60, 2013.

PARSEVAL, G. D.; HURSTEL, F. Paternity "à la française". In: LAMB, M. E. (Org.). The father's role: cross-cultural perspectives. London: Lawrende Erlbaum, 1987. p.59-87.

PORTES, E. A. O trabalho escolar das famílias populares. In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.; ZAGO, N. (Org.). Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. 6.ed. Petrópolis, Vozes, 2011. p.61-80.

ROMANELLI, G. Levantamento crítico sobre as relações entre família e escola. In: ROMANELLI , G.; NOGUEIRA, M. A.; ZAGO, N. (Org.). Família e escola: novas perspectivas de análise. Petrópolis: Vozes, 2013. p.29-60.

ROMANELLI, G. Pais, filhos, alunos: famílias de camadas populares e a relação com a escola. In: PINHO, S. Z. (Org.). Formação de educadores: o papel do educador e sua transformação. São Paulo: Ed. da UNESP, 2009. p.371-382.

ROMANELLI, G. Paternidade em famílias de camadas médias. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, n.2, p.79-95, 2003.

ROMANELLI, G. Autoridade e poder na família. In: CARVALHO, M. C. B. (Org.). A família contemporânea em debate. São Paulo: Educ, 1995. p.73-88.

ROSALDO, M. Z. Towards an anthropology of self and feeling. In: SHWEDER, R. A.; LEVINE, R. A. Culture Theory: essays on mind, self, and emotion. Cambridge: Cambridge University Press, 1992. p.137-157.

SARTI, C. Famílias enredadas. In: ACOSTA, A. R.; VITALE, J. A. F. (Org.). Família: redes, laços e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 2010. p.21-36.

SELLENET, C. Introduction. In: SELLENET, C. (Org.). Les pères en débat: regards croisés sur la condition paternelle en France et à l'étranger. Paris: Editions érès, 2007, p.7-16.

SINGLY, F. Sociologia da familia contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. da FGV, 2007.

THIN, D. Un travail parental sous tension: les pratiques des familles populaires à l'épreuve des logiques scolaires. Informations sociales, Paris, n.154, p.70-76, 2009.

VERJUS, A.; VOGEL, M. Le travail parental: un travail comme un autre? Informations sociales, Paris, n.154, p.4-6, 2009.

WATARAI, F.; ROMANELLI, G. Escolarização e trabalho de adolescentes do sexo masculino de camadas populares. In: CUNHA, M. V.; PASIAN, S. R.; ROMANELLI, G. (Org.). Pesquisas em Psicologia: múltiplas abordagens. São Paulo: Vetor, 2009. p.205-232.

ZAGO, N. Agricultura familiar e destinos sociais dos jovens: entre a permanência na agricultura e a busca de novos horizontes. In: ROMANELLI , G.; NOGUEIRA, M. A.; ZAGO, N. (Org.). Família e escola: novas perspectivas de análise. Petrópolis: Vozes, 2013. p.165-196.

ZAGO, N. Processos de escolarização nos meios populares: as contradições da obrigatoriedade escolar. In: NOGUEIRA, M. A.; ROMANELLI, G.; ZAGO, N. (Org.). Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. 6.ed. Petrópolis: Vozes, 2011. p.17-44.

ZAOUCHE-GUADRON, C. Précarité sócio-économique: les pères en risque? In: SELLENET, C. (Org.). Les pères en débat: regards croisés sur la condition paternelle en France et à l'étranger. Paris: Editions érès, 2007. p.19-28.




DOI: https://doi.org/10.30715/rbpe.v19.n2.2017.10957

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação



 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385, p-ISSN 1413-2060.

DOI: 10.30715/rbpe

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.