Abordagem quantitativa em pesquisas educacionais

Perspectivas no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (2017-2019)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v23i00.17833

Palavras-chave:

Abordagem quantitativa, Pesquisa educacional, PPGE/UFMG

Resumo

O presente artigo objetiva apresentar um levantamento documental concernente ao uso da abordagem quantitativa nos trabalhos de conclusão do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (PPGE/UFMG), tendo como recorte temporal o período de 2017 a 2019. A metodologia empregada foi a análise bibliográfica e documental. Como documento, foram pesquisadas 140 teses, sendo 139 (99,3%) trabalhos qualitativos e apenas 01 (0,7%) de abordagem quantitativa, disponíveis no Banco de Teses e Dissertações da CAPES e do repositório do PPGE/UFMG. Partiu-se, para a construção do artigo, sobretudo, dos referenciais de Gatti (2004); Moreira (2014); Gouveia (1980); Di Dio (1974) e Johnson e Onwuegbuzie (2004) para a realização da análise, respeitando a lógica imbricada em cada texto. Nestas teses atentou-se para os métodos de investigação e de seus instrumentos de coleta de dados, os aportes teóricos, bem como as discussões concernentes ao tema de estudo. Como resultado, foi possível mensurar um panorama da abordagem quantitativa em pesquisas educacionais, em específico, o PPGE/UFMG, compreender como a tese analisada estrutura sua abordagem quantitativa e perceber a inexpressividade de produções de abordagem quantitativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Alves da Costa, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza – CE – Brasil

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UECE).

Stela Lopes Soares, Centro Universitário INTA (UNINTA), Sobral – CE – Brasil

Coordenadora do Curso de Educação Física. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar (GEPEFE/UECE). Doutorado em Educação (PPGE/UECE).

Thaís de Sousa Florêncio, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza – CE – Brasil

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UECE).

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. (org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 2008.

ANDRÉ, M. E. D. A. Formação de Professores: a Constituição de um Campo de Estudos. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, 19 dez. 2010. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8075/5719. Acesso em: 10 nov. 2022.

DI DIO, R. A. T. A pesquisa educacional no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, v. 60, n. 136, p. 461-629, out./dez. 1974.

FERREIRA, C. A. L. Pesquisa quantitativa e qualitativa: perspectivas para o campo da Educação. Revista Mosaico, v. 8, n. 2, p. 173-182, jul./dez. 2015. DOI: 10.18224/mos.v8i2.4424. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/mosaico/article/view/4424/0. Acesso em: 10 nov. 2022.

GATTI, B. A. Estudos quantitativos em educação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 11-30, jan./abr. 2004. DOI: 10.1590/S1517-97022004000100002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/XBpXkMkBSsbBCrCLWjzyWyB/abstract/?lang=pt. Acesso em: 10 nov. 2022.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOUVEIA, A. J. Origem social, escolaridade e ocupação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 32, p. 3-30, fev. 1980. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/1625. Acesso em: 10 nov. 2022.

JOHNSON, R. B.; ONWUEGBUZIE, A. J. Mixed methods research: a research paradigm whose time has come. Educational Researcher, v. 33, v. 7, p. 14-26, 2004. DOI: 10.3102/0013189X033007014. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.3102/0013189X033007014. Acesso em: 10 nov. 2022.

KLEES, S. Métodos Quantitativos na Educação Comparada e em Outros Cursos: são válidos? Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 42, n. 3, p. 841-858, jul./set. 2017. DOI: 10.1590/2175-623664816. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/Qkw3TVKQSyKJnWLXJBS9YvQ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 nov. 2022.

LAKATOS, E. M; MARCONI, M. A. Metodologia Científica. 3. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, 2000.

MOREIRA, C. R. B. S. Reflexões sobre a utilização de dados quantitativos em pesquisa educacional: o caso das taxas de cobertura de matrículas na educação básica. Jornal de Políticas Educacionais, n. 15, p. 33–43, jan./jun. 2014. DOI: 10.5380/jpe.v8i15.35090. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/jpe/article/view/35090. Acesso em: 10 nov. 2022.

NASCIMENTO, M. N. et al. Métodos Quantitativos Interpretativos na Educação em Ciências: Abordagens para Análise Multivariada de Dados. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 19, p. 775–800, 2019. DOI: 10.28976/1984-2686rbpec2019u775800. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/14682. Acesso em: 10 nov. 2022.

NOLETO, C. A. S. N. A Construção Do Número Pela Criança Com Deficiência Intelectual: A Percepção Entre Diferentes Ambientes Escolares. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

OLIVEIRA, M. M. de. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

PEREIRA JÚNIOR, E. A. Condições de Trabalho Docente nas Escolas de Educação Básica no Brasil: uma análise quantitativa. 2017. 229 f. Tese (Doutorado em Educação) –Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

PIZZANI, L. et al. A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 10, n. 2, p. 53-66, 2012. DOI: 10.20396/rdbci.v10i1.1896. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1896. Acesso em: 10 nov. 2022.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: Métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 2009.

RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 18. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. 128 p.

Publicado

30/12/2022

Como Citar

COSTA, M. A. A. da; SOARES, S. L.; FLORÊNCIO, T. de S. Abordagem quantitativa em pesquisas educacionais: Perspectivas no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (2017-2019). DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 23, n. 00, p. e022019, 2022. DOI: 10.30715/doxa.v23i00.17833. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/17833. Acesso em: 24 maio. 2024.